Nutricionista Rita Lima
Nutricionista Rita Lima
26 Abr, 2017 - 16:18

Que frutas e legumes dar aos bebés durante a diversificação alimentar?

Nutricionista Rita Lima

Quer saber que frutas e legumes dar aos bebés durante a diversificação alimentar? Descubra a resposta e esclareça as suas dúvidas no nosso artigo.

Que frutas e legumes dar aos bebés durante a diversificação alimentar?
O artigo continua após o anúncio

A introdução da alimentação complementar, vulgarmente designada por diversificação alimentar, é um processo que suscita muitas dúvidas nos pais e cuidadores das crianças. Uma das mais frequentes é “ que frutas e legumes dar aos bebés?”

Antes de dar resposta a essa questão importa referir que a diversificação alimentar consiste na transição de uma alimentação exclusivamente láctea para outra que inclui, para além do leite, alimentos de consistência cada vez mais sólida.

De facto, se até aos 6 meses de vida, tanto o leite materno como as fórmulas para lactentes, conseguem suprir as necessidades nutricionais da criança, a partir dessa altura, essas necessidades aumentam e deixam de ser satisfeitas pelo regime lácteo, principalmente no que respeita a energia, ferro e proteína.

Este período revela-se, assim, uma ponte para a alimentação familiar, sendo um período essencial para iniciar os princípios de uma alimentação saudável, da qual deverão fazer parte os hortofrutícolas.

Mas afinal, que frutas e legumes dar aos bebés?

Conhecidos pela sua riqueza em vitaminas, minerais, antioxidantes, entre outros, a fruta e os legumes deverão ser dos primeiros alimentos a introduzir na alimentação infantil.

Os hortofrutícolas têm ainda a capacidade de reduzir a ingestão de alimentos menos saudáveis, que estão na origem do desenvolvimento de várias doenças, incluindo a obesidade infantil.

No início da diversificação alimentar, a oferta de legumes resume-se à sopa/ creme de legumes e a algumas frutas com menos potencial alergénico.

No entanto, com o passar do tempo e evoluir da dentição, os legumes devem ser apresentados ao bebé de forma isolada e diversa, sendo uma presença habitual na refeição, como complemento da mesma, assim como a fruta.

O artigo continua após o anúncio

Por último, referir que os legumes e frutas mais propensos a causar alergias (espinafres, nabo, kiwi, morangos, pêssego…), só devem ser introduzidos a partir dos 12 meses, para evitar o desenvolvimento de eventuais alergias alimentares.

Que frutas e legumes dar aos bebés: Legumes por idade

4-6 MESES

batata doce

As primeiras sopas deverão ter como base a batata ou batata-doce e cenoura, à qual deverá adicionar, gradualmente, um outro hortícola entre alface, abóbora, cebola, alho francês e curgete.

Os novos legumes devem ser introduzidos com um intervalo de 3 a 5 dias para detetar eventuais alergias alimentares ou para desenvolver a conhecer o paladar da criança.

Nesta fase, todos os legumes devem ser bem triturados para que a sopa fique com uma textura suave.

6-8 MESES

brocolos

Nesta fase, novos legumes podem ser introduzidos na sopa. São eles:

8-10 MESES

espinafres

A partir dos 8 meses, pode aumentar o leque de legumes a fornecer ao bebe.

  • Ervas aromáticas (funcho, coentros, salsa)
  • Couve branca
  • Couve coração
  • Beterraba
  • Couve lombarda
  • Penca
  • Espinafre
  • Beringela

Dentro destes, salientam-se as ervas aromáticas, que além de poderem ser adicionadas na sopa, podem também ser adicionadas ao prato para ajudar a dar um pouco mais de sabor aos alimentos que o bebe já consome por esta altura.

11-12 MESES

tomate

Com esta idade, a base da sopa já pode conter praticamente todos os legumes, assim como leguminosas (feijão, grão, ervilhas…).

O artigo continua após o anúncio

De forma gradual é importante evoluir na textura dos alimentos. Nas primeiras etapas é importante oferecer tudo ao bebé em puré, mas a partir dos 11 meses deve começar a dar os legumes em pedaços pequenos (cozinhados ou em salada) para que o bebé aprenda a reconhecer o seu sabor.

O hábito de consumir legumes (e também a fruta) crus, deve estar bem implementado, antes da criança se tornar mais seletiva, o que acontece por volta dos 12-18 meses.

Que frutas e legumes dar aos bebés: frutas por idade

A fruta desempenha um papel primordial tanto no início da diversificação alimentar, como durante o resto da vida da criança.

De primeiro alimento sólido oferecido (4-6 meses), passa para complemento da refeição (12 meses), preferencialmente a seguir à mesma, para garantir a absorção mais eficaz do ferro existente na carne, peixe e ovo.

A fruta pode ser fornecida crua ou cozida, desde que esteja madura, bem lavada, descascada e triturada. A ingestão de fruta é parte integrante de um regime alimentar equilibrado e saudável e o seu consumo deve ser sempre incentivado.

Neste sentido, evite fornecer à criança boiões de fruta, pois contêm açúcar de adição, entre outros ingredientes, que lhes confere um sabor mais apurado, podendo levar o bebé a recusar a fruta natural no futuro.

4-6 MESES

banana

As primeiras frutas a dar ao bebe são:

6-8 MESES

laranja

Nesta fase, poderá introduzir as seguintes frutas:

O artigo continua após o anúncio
  • Marmelo
  • Melancia
  • Meloa
  • Melão
  • Ameixa
  • Uva
  • Laranja
  • Tangerina

8-11 MESES

abacate

Nesta idade, o leque de frutas torna-se ainda mais alargado:

12 MESES

morango

Aos 12 meses, já poderá introduzir aquelas frutas com maior potencial alergénico:

Note-se que a fruta oferecida ao bebe deve respeitar a sazonalidade e deve ser oferecida em Natureza, evitando-se a oferta sob a forma de sumos de fruta natural (efeito laxante e maior teor de açúcar).

Acima de tudo, a introdução de novos alimentos deve ser gradual, tranquila e sem pressas para que o bebé se adapte a novas texturas e novos sabores.

A partir dos 12 meses as refeições devem ser constituídas por sopa só de legumes, prato e fruta.

Por outro lado, além de saber que frutas e legumes dar aos bebes durante a diversificação alimentar, é também muito importante respeitar a saciedade do bebe e não o forçar a comer quando ele demonstrar que já não tem mais apetite.

Por fim, é importante referir que as crianças têm oscilações de apetite, pelo que não deverá ser motivo de preocupação a criança não querer comer um dia ou outro.

Sabia mais sobre a alimentação do bebe por idade aqui >>

Veja também: