Nutricionista Rita Lima
Nutricionista Rita Lima
19 Abr, 2017 - 12:00

Alimentação Infantil Saudável: “de pequenino se torce o pepino”

Nutricionista Rita Lima

Uma alimentação infantil saudável é meio caminho andado para mais saúde tanto na infância como na idade adulta. Leia o nosso artigo para descobrir mais.

Alimentação Infantil Saudável: "de pequenino se torce o pepino"

Uma alimentação infantil saudável é importante, não só para garantir adequado crescimento e desenvolvimento da criança, mas também para lhe incutir hábitos saudáveis.

De facto, a prática de uma alimentação infantil saudável aumenta a probabilidade de a criança manter esses hábitos ao longo da sua vida, tornando-se um adulto mais saudável e menos propenso ao aparecimento e desenvolvimento de doenças.

Alimentação infantil saudável: em que consiste?

Em primeiro lugar, é fundamental ter a noção que as crianças imitam os pais em tudo, incluindo na alimentação.

Como tal, a melhor maneira de promover uma alimentação infantil saudável para o seu filho é dando o exemplo e praticar também uma boa alimentação.

12 Regras para uma alimentação infantil saudável

1. A água deve ser a bebida de eleição

agua

A água deve ser a bebida que acompanha a refeição e deve ser consumida durante todo o dia entre refeições.

Já os sumos de fruta e os refrigerantes devem ser evitados pelo seu elevado teor em açúcar e/ou adoçantes.

E não se esqueça que refrigerantes não são só os gaseificados, pois tanto esses como os não gaseificados possuem o que se chama “calorias vazias”, ou seja, as calorias que fornecem são desprovidas de qualquer valor nutricional importante para a saúde.

2. A carne, o peixe e os ovos devem fazer parte da alimentação da criança

Pelo menos 2x/dia (almoço e jantar) a alimentação da criança deve incluir uma fonte de proteína de elevado valor biológico, de que são exemplo a carne, o peixe e os ovos.

Tenha, no entanto, em atenção ao tamanho da porção, que não deverá ser exagerada. Guie-se pelo tamanho da palma da mão da criança.

3. Os hortícolas e a sopa devem estar sempre presentes na alimentação das crianças

horticolas

Todas as refeições principais deverão iniciar-se com a sopa de legumes. Este é um alimento nutricionalmente rico, que ajuda a potenciar a saúde da criança.

Além da sopa, também os hortícolas devem fazer parte do prato. Varie dentro dos diferentes hortícolas e entre crus e cozinhados.

Adicionar legumes na confeção do arroz/massa poderá ser uma boa estratégia para introduzir os legumes na alimentação da criança.

4. As leguminosas deverão fazer parte importante da alimentação infantil

O feijão, grão, favas, ervilhas e as lentilhas são muito ricos do ponto de vista nutricional, mas são frequentemente esquecidos na alimentação da criança.

Recomenda-se que comece por doses pequenas, cerca de 1 a 2 colheres de sopa e que vá gradualmente aumentando, à medida que a criança for crescendo.

5. Não esquecer dos lacticínios

leite

Através do leite, do queijo ou dos iogurtes, as crianças obtêm proteínas, vitaminas e minerais importantes para o fortalecimento do sistema imunitário e para um crescimento adequado.

Deve fornecer à criança duas a três doses diárias de lacticínios, preferencialmente nas versões magra ou meio gorda.

6. Prefirir o pão às bolachas ou cereais mais processados

O pão, ao contrário das bolachas e da maioria dos cereais destinados às crianças, não contêm açúcar nem gordura e é um alimento muito mais saciante e muito menos processado.

Prefira o pão fresco e mais escuro (mistura, centeio ou cereais), em vez de pão de forma ou pão de leite.

7. Os alimentos com açúcar devem ser evitados

chocolate

Deve ser consumido apenas em dias de festa. Neste grupo de alimentos estão incluídos: bolachas, rebuçados, chocolates, biscoitos, bolos, gelados…

8. A criança deve fazer cerca de 5 a 6 refeições por dia

A estrutura do dia alimentar da criança deverá ser semelhante ao de um adulto: pequeno-almoço, meio da manhã, almoço, meio da tarde, jantar e, eventualmente, um pequena ceia antes de dormir.

9. A sobremesa deve ser sempre fruta

fruta

A fruta deverá ser a sobremesa a privilegiar em detrimento de sobremesas doces, como bolos, biscoitos, gelados, chocolate, entre outros.

Os iogurtes também não são uma boa opção, visto que o cálcio proveniente dos laticínios, quando é ingerido na refeição, diminui a absorção do ferro, fornecido pela carne, peixe e ovos.

10. Evitar alimentos ricos em gorduras

Embora as crianças necessitem de incluir algumas gorduras na sua alimentação – a gordura não deixa de ser um nutriente essencial e que ajuda à absorção de vitaminas lipossolúveis – a alimentação infantil deve incluir o mínimo possível de alimentos como batatas fritas, carnes fritas, enchidos, manteiga e margarina, tortas e bolos.

11. Tomar sempre o pequeno-almoço

pequeno almoco

O corpo humano necessita de energia para funcionar. Depois de uma noite de sono, os níveis de energia estão baixos, razão pela qual o dia das crianças deve começar com um pequeno-almoço completo: com pão, fruta, leite ou iogurte.

12. Variar a alimentação

Uma das regras básicas de uma alimentação infantil saudável é apostar na variedade de alimentos, uma vez que as crianças necessitam de mais de 40 tipos diferentes de nutrientes para assegurar o bom funcionamento do organismo.

Tendo em conta que não existe nenhum alimento que os contenha todos, é importante equilibrar as escolhas diárias e variar.

Veja também: