Beatriz Santos
Beatriz Santos
10 Ago, 2020 - 09:45

Terceiro mês de gravidez: o mês de alívio para a maioria dos pais

Beatriz Santos

O terceiro mês de gravidez é o mês em que os pais ficam mais tranquilos e o mês em que a maioria já revela a boa notícia a familiares e amigos, sem receios.

Terceiro mês de gravidez

O terceiro mês de gravidez engloba o período entre a 9ª à 12ª semana da gravidez, e corresponde ao último mês do 1º trimestre. Este é um mês marcado por uma intensa carga emocional para a maioria das mães, pois é o momento de fazer a primeira ecografia e ver o seu bebé pela primeira vez.

Para muitos pais, o final do terceiro mês, significa um período de alívio pois termina o período mais crítico da gestação, onde a percentagem de ocorrer um aborto espontâneo diminui e, por essa razão, sentem-se seguros para começar a desvendar este segredo tão precioso.

Neste mês, o seu futuro bebé passa a ser considerado um feto e já se parece com um ser humano em ponto pequeno.

EXAMES A FAZER NO TERCEIRO MÊS DE GRAVIDEZ

Mulher a fazer ecografia

Por volta da 12ª semana, irá realizar a 1ª ecografia, o momento pelo qual esperou todo o primeiro trimestre, onde poderá ver a cabeça, o perfil, os membros, a barriga e os diferentes órgãos do seu bebé. Até é possível ouvir os batimentos do coração e acredite que é um som mágico!

Durante este exame do 3º trimestre, a médica fará uma análise detalhada do feto e de todas as estruturas envolventes, conseguindo obter as seguintes informações:

  • Realiza a datação da gravidez, pela medição do comprimento crânio-caudal do embrião
  • Localiza o saco gestacional (se é intra-uterino ou ectópico, no caso de uma gravidez ectópica)
  • Avalia a viabilidade embrionária
  • Verifica se é uma gravidez de um ou mais fetos
  • Faz o rastreio de cromossopatias mediante a análise das principais estruturas do bebé (ossos e órgãos). Faz o diagnóstico de malformações congénitas através da medição da prega da nuca (exame da translucência da nuca) e da presença dos ossos do nariz:
    • Este exame mede a quantidade de fluido acumulada na parte de trás da nuca do bebé, ou seja, a espessura da prega da nuca
    • É a combinação da ecografia, com a idade da mãe, análises ao sangue materno que ajudam a medir o risco de ser portador de Trissomia 21 ou Síndrome de Down
    • Se houver suspeita de anomalias cromossómicas poderá realizar uma amniocentese (por volta das 16 semanas, o fluido é extraído do saco amniótico à volta do bebé) ou uma biopsia das vilosidades coriónicas (entre as 11-14 semanas, as células são extraídas da placenta com uma agulha ultrafina)

É pouco provável, mas com um pouco de sorte, o profissional que faz a ecografia poderá conseguir o sexo do bebé, no entanto não é uma tarefa fácil, pois as estruturas sexuais ainda estão em desenvolvimento.

Nota: Existem alguns cuidados a ter em conta para a realização deste exame, nomeadamente, beber bastante água previamente, porque o útero é mais facilmente visível, quando a bexiga está cheia.

ALTERAÇÕES HORMONAIS E FÍSICAS NO TERCEIRO MÊS DE GRAVIDEZ

1.

Mudanças hormonais

No primeiro trimestre, as mudanças hormonais são muito semelhantes entre os três primeiros meses. As hormonas que apresentam um papel primordial no desenvolvimento da gravidez são: a progesterona, a Beta-hCG, estriol e prolactina. Os seus efeitos no corpo da mulher estão descritos no primeiro mês gestacional.

As grandes oscilações das hormonas, resultam por exemplo, em hipersensibilidade no seu sentido do olfato e de paladar.

2.

Mudanças físicas

Os sintomas durante o terceiro mês de gravidez não são novos, mas podem alcançar a máxima intensidade.

Um dos sintomas da gravidez que é típico do terceiro mês é a melhoria dos enjoos, que são substituídos pela fome. Lembre-se de comer bem, pensando em qualidade e não em quantidade.

Além disso, algumas mulheres apontam para o surgimento de corrimento vaginal branco, indolor e inodoro nesta fase.

O aumento da produção de hormonas também afeta a pele, com formação de acne, aumento de oleosidade e alterações nas unhas. Poderá sentir prurido (comichão) nos seios, devido ao aumento do seu tamanho. Utilize cremes específicos para aliviar a comichão e evitar as estrias.

A nível abdominal, poderá notar o aparecimento de uma linha negra entre a púbis e o umbigo.

No rosto poderá surgir mudanças na pigmentação da pele, os melasmas, manchas acastanhadas, que geralmente desaparecem após o parto. Evite o sol direto, use chapéus com aba larga.

Nesse período é normal ter ganhado um ou dois quilos. Durante a gravidez, de forma a prevenir complicações e ajudar na recuperação pós-parto, o ideal é ganhar um máximo de 11 a 13 quilos no total.

As flutuações de humor, assim como as dores de cabeça, tendem a acentuar.

Algumas veias, como as da barriga, mamas e pernas, tendem a ficar mais visíveis em virtude do aumento do volume sanguíneo, podendo surgir varizes e/ou hemorróidas.

Alguns sintomas experimentados durante os primeiros três meses de gravidez, como o crescimento uterino, continuarão durante todo o período.

EVOLUÇÃO DO BEBÉ NO TERCEIRO MÊS DE GRAVIDEZ

Casal a ver eco de bebé no telemóvel

Este mês o embrião passa a ser considerado um feto, e ocorre um crescimento e maturação das estruturas formadas durante o período embrionário, ficando com uma aparência tipicamente humana.

A cabeça continua maior em relação ao resto do corpo e as estruturas como as mãos e pés já se encontram bem diferenciados. O rosto toma forma: inicia-se o contorno das orelhas, olhos, nariz, boca, queixo. A cabeça arredonda-se, as pálpebras recobrem os olhos, os lábios se formam, abrem-se as narinas.

O sistema nervoso continua a desenvolver-se e a aperfeiçoar-se rapidamente, continua a desenvolver-se mais neurónios.

É também nessa fase que se inicia o desenvolvimento da sua identidade, já apresenta impressões digitais e o seu sexo, em alguns casos, fica definido.

Os órgãos vitais já estão completamente formados e, com o passar das próximas semanas, os outros também se desenvolverão. O esqueleto fica mais definido e os intestinos recolhem à cavidade abdominal.

A placenta está completamente formada e ligada à parede uterina, sendo totalmente responsável pela função de nutrir o bebé.

Na pele aparece uma penugem delicada, o chamado lanugo, que a protege do ambiente líquido e regula a temperatura corporal. As unhas estão a nascer nas pontas dos dedos das mãos. Dentro das gengivas, começam a formar-se os dentes.

A partir de agora, passará a maior parte do tempo a amadurecer, a crescer e a engordar.

Ao fim da 12ª semana, ele já tem aproximados 61 milímetros, e 13 gramas.

DICAS E CUIDADOS A TER NO TERCEIRO MÊS DE GRAVIDEZ

O primeiro trimestre (engloba o 1º, 2º e 3º mês) é o que exige mais atenção e cuidado devido ao risco de aborto espontâneo. No entanto, mesmo após essa fase, os cuidados referidos nos meses anteriores devem continuar, e deve ter em atenção ao seguinte:

1.

Retomar a prática de exercício físico

Grávida a praticar natação

Pode voltar a praticar algum desporto caso tenha parado anteriormente, no entanto com pouca carga e intensidade entre o leve a moderada.

Os exercícios mais recomendados são: caminhadas e a natação. No entanto, antes de iniciar a atividade, consulte o seu médico.

2.

Anunciar ao seu empregador e colegas que está grávida

Esta é uma boa altura para anunciar ao seu empregador e colegas de trabalho que está grávida, e começar a programar com eles o período de licença, bem como ajustar o seu trabalho à sua nova condição física.

A licença de maternidade em Portugal é atribuída por um período até 120 ou 150 dias seguidos, de acordo com a opção dos pais. Poderá optar ainda por uma licença alargada, informe-se junto da segurança social sobre os seus direitos.

3.

Manter uma alimentação variada e equilibrada

Grávida a comer um iogurte

Devido ao intenso crescimento do seu bebé, é de extrema importância uma alimentação variada e equilibrada, com proteína incluída.

4.

Desfrutar da barriga de grávida

Usufrua deste momento mágico, e aproveite bem a sua barriga, pois o seu bebé já consegue ouvir alguns sons, principalmente o som da sua voz e seus batimentos cardíacos. É de extrema importância que comece a criar laços com ele conversando, cantando para a barriga, ou ouvindo sua música favorita juntos.

5.

Compartilhar todos os momentos com o seu companheiro

A gravidez é algo que pode ser vivido e compartilhado por ambos os pais. Fale com seu parceiro sobre de que forma ele pode ajudar. Isso ajudará o futuro pai a sentir-se mais envolvido.

POSSÍVEIS COMPLICAÇÕES NO TERCEIRO MÊS DE GRAVIDEZ

No final do terceiro mês de gestação, o risco de um aborto espontâneo desce drasticamente, aliviando o coração da grande maioria dos pais.

No entanto, as mulheres grávidas têm uma maior probabilidade de desenvolver anemia devido à quantidade excessiva de sangue que o corpo produz para ajudar a fornecer nutrientes para o bebé.

A anemia pode ser uma condição leve e facilmente tratada se for detetada logo no início. No entanto, pode tornar-se perigosa, tanto para a mãe como para o bebé, se não for tratada atempadamente.

Na gestação poderá ocorrer os seguintes tipos de anemia:

A anemia pode ser facilmente tratada adicionando suplementos de ferro. No entanto, há casos mais raros em que as mulheres com anemia grave podem precisar de uma transfusão de sangue.

ALIMENTAÇÃO NO TERCEIRO MÊS DE GRAVIDEZ

Mulher a pesar-se numa balança em casa

Apesar das necessidades nutricionais e energéticas da mulher durante a gravidez estarem aumentadas, deve-se ter em consideração que não é necessário que a ingestão alimentar tenha de redobrar.

A gestão de peso na gravidez é um fator fundamental para um adequado desenvolvimento fetal e para evitar complicações durante o parto, assim como para prevenir o desenvolvimento de problemas de saúde por parte da mãe.

A monitorização do peso é fundamental de modo a evitar ganhos excessivos ou deficitários de peso por parte da mulher grávida que possam comprometer a saúde da mãe e do bebé.

O ideal será consultar um nutricionista, que irá adequar as necessidades alimentares a cada momento da gravidez, e um médico, que irá acompanhar a gravidez no que diz respeito à saúde materna e fetal.

Tal como no segundo mês de gestação, no terceiro os enjoos podem ser recorrentes, assim como a prisão de ventre e a retenção de líquidos.

As dicas nutricionais mantém-se por isso idênticas. É importante beber muita água, garantir o consumo de fruta, cereais integrais, leguminosas e hortícolas de modo a ingerir uma quantidade de fibra significativa e fracionar as refeições ao longo do dia para não piorar o desconforto abdominal.

No caso de ser vegetariana, ou se raramente comer carne, lembre-se que existem outras fontes de proteína que pode optar, tais como, leguminosas associadas com cereais (como arroz com feijão), mas também peixe, ovos e produtos lácteos.

Alimentos ricos em ácido fólico e em vitamina B6 devem continuar a ser consumidos, como por exemplo a banana, arroz integral, carnes magras, peixe, abacate e castanhas.

De forma a prevenir as situações de anemia anteriormente referidas, poderá ingerir em maior quantidade alimentos como ovos, carnes vermelhas e de aves, brócolos, couve e espinafres, nozes e sementes, feijão, lentilhas e tofu. Ingira também alimentos ricos em vitamina C, pois ajuda o corpo na correta absorção do ferro.

Outro nutriente indispensável é o cálcio. É essencial que beba leite e consuma produtos lácteos todos os dias. O cálcio também está presente em certas frutas e vegetais (espinafres, brócolos, etc.), em leguminosas e nas amêndoas. O seu médico poderá prescrever um suplemento se tiver uma deficiência pronunciada.

Dicas essenciais para a alimentação durante a gravidez

Mulher a beber água de uma garrafa de plástico
  • Garantir a ingestão diária de cereais complexos, vegetais, fruta e consumir diferentes fontes de proteína, nomeadamente carne, peixe, ovos, soja e outras leguminosas;
  • Optar por laticínios ultrapasteurizados para evitar toxinfeções alimentares;
  • A alimentação deve ser distribuída por várias refeições ao longo do dia e deve evitar estar mais de 3 horas sem comer;
  • Evitar o consumo de alimentos com grande quantidade de gordura e fazer confeções simples como cozidos, grelhados, assados e estufados;
  • Manter-se hidratada: beba entre 2-3 litros de água por dia;
  • Optar por alimentos da época, com o menor grau de processamento possível;
  • Evitar ao máximo o consumo de lacticínios não pasteurizados, enchidos e e fumados, queijos frescos e mal curados, marisco e peixe cru, peixes como espadarte, tamboril ou tintureira, e patês;
  • Garantir sempre que os legumes e frutas são muito bem lavados;
  • Evitar o consumo de salgados e adição de sal às refeições.

GESTÃO DE PESO NO TERCEIRO MÊS DE GRAVIDEZ E NECESSIDADES NUTRICIONAIS

No primeiro trimestre, o metabolismo basal e o gasto energético total não se alteram significativamente, visto que ainda não há um crescimento acentuado do bebé. Assim, o ganho de peso deverá ser mínimo, no final deste terceiro mês, entre 1 a 2 kg, não estando recomendado um consumo adicional de energia.

Do valor energético total consumido pela grávida, cerca de 45%–65% desse valor deve provir dos hidratos de carbono, 20%–35% dos lípidos e 10%–25% da proteína.

Se a mulher respeitar os aumentos acima referidos e se se alimentar nessa proporção, a gestão de peso na gravidez torna-se mais fácil, o que permitirá um adequado desenvolvimento do bebé e facilitará o retorno ao peso normal após este período.

As recomendações do ganho de peso materno na gravidez são estipuladas de acordo com o IMC (Índice de Massa Corporal) pré-gravídico, na medida em que, se o peso da mãe antes da gravidez for já excessivo, a margem de aumento será muito menor, de modo a não prejudicar o desenvolvimento da criança nem a saúde da mãe.

Assim sendo, e para mulheres normoponderais (IMC entre 18,5 e 25 Kg/m2), o ganho médio de peso no primeiro trimestre deverá rondar os 1,6 kg.

O EXERCÍCIO FÍSICO DURANTE A GRAVIDEZ

Grávida a fazer exercícios com bola suiça

Cada fase da gravidez obriga a cuidados especiais, havendo, por conseguinte, exercícios que poderão ser realizados no primeiro trimestre e não no segundo ou terceiro. Linhas gerais, à medida que vai avançando do primeiro, para o segundo e finalmente para o terceiro trimestre, os cuidados terão de ser redobrados, e deverá ser dada atenção a outros grupos musculares mais específicos e por vezes negligenciados.

Serão aqui apresentados guidelines gerais, que deverão ser avaliados caso a caso, consoante a experiência de treino da grávida, bem como a existência (ou não) de alguma limitação física prévia.

Relativamente a contraindicações, estas dividem-se em 2 categorias principais: relativas e absolutas.

Contraindicações relativas

  • Gestação múltipla após 28 semanas
  • Anemia (Hemoglobina menor que 100g/l)
  • Doença da Tiroide
  • Fadiga extrema
  • Dores musculares extremas
  • Tonturas e dores de cabeça
  • Contractilidade uterina que dure várias horas após o exercício
  • Obesidade excessiva ou baixo peso extremo
  • História Clínica Anterior de aborto espontâneo

Contraindicações absolutas

  • Incompetência cervico-ístmica
  • Placenta prévia após as 28s de gestação
  • Sangramento vaginal persistente ao longo do segundo/terceiro trimestre
  • Rutura de bolsa / bolsa rota
  • Crescimento intrauterino retardado ou macrossomia
  • Gravidezes múltiplas (maior ou igual a 3)
  • Doença cardíaca (conhecida geralmente antes da gravidez:
    miocardiopatia ativa, insuficiência cardíaca, arritmias);
  • Doença Pulmonar (conhecida antes da gravidez), Embolia pulmonar recente
  • Hipertensão gestacional, pré-eclampsia
  • Tromboflebite
  • Doença infeciosa aguda
  • Realização recente de amniocentese
  • História de abortos de repetição
  • Gestante sem assistência pré-natal

O EXERCÍCIO FÍSICO DURANTE O TERCEIRO MÊS DE GRAVIDEZ

Mulher grávida a fazer prancha

Indicações gerais

Para o último mês do primeiro trimestre, poderá continuar a executar exercícios em segurança. Alterações comuns ao nível do peito são o aumento da sensibilidade, peso, aporte sanguíneo (veias visíveis), volume dos ductos, dilatação das glândulas sebáceas, pigmentação do mamilo e da auréola e aparecimento de colostro.

Estas alterações são graduais e têm alguma variabilidade inter-individual, sendo comum aparecerem gradualmente entre as 4 e as 12 semanas.

Haverá também um aumento do volume abdominal e da curvatura lombar.

Contraindicações

Exercícios que envolvam muito equilíbrio, atividade competitiva com movimentos repentinos, saltos, artes marciais e mergulho, deverão ser evitados.

1. Agachamento com bola suíça

– Execução –

  1. Coloque a bola encostada à parede, encoste-se, mantenha as mãos ao longo do corpo e coloque os pés ligeiramente mais adiantados em relação à linha do corpo.
  2. Agache-se com as costas bem posicionadas e alinhadas contra a bola, até as suas pernas formarem um ângulo de 90 graus.
  3. Tenha em atenção para os seus joelhos não ultrapassarem a ponta dos pés.
  4. Eleve-se, esticando as pernas e volte a repetir o exercício de forma controlada.
  5. Faça 3 séries de 15 repetições e descanse 30 segundos entre cada série.

2. Reverse Lunge

– Execução –

  1. Deve iniciar com os pés à largura dos ombros e deslocar a perna para trás, ficando neste caso o peso do corpo sobre uma coxa.
  2. De seguida deverá descolar a perna que foi atrás, para a frente de forma a regressar à posição inicial, e terá aqui 2 opções: ou realiza sempre com a mesma perna 12 a 15 repetições, ou vai alternando de perna.

3. Isquiotibiais bola suíça

– Execução –

  1. Deite-se de barriga para cima e com os pés em cima de uma bola suíça, mantendo a bacia elevada.
  2. Eleve as pernas e bacia mantendo o tronco firme e dobre as pernas, sentindo que a força vem da parte de trás das coxas.
  3. Repita 15 vezes.

4. Remada no TRX

– Execução –

  1. Agarre nas pegas do trx com as palmas das mãos virada para baixo e incline-se para trás até que o peso do seu corpo esteja nos calcanhares, com o tronco na diagonal e braços esticados.
  2. Puxe o tronco até os cotovelos formem um ângulo de 90º, dobrando os cotovelos e apertando as omoplatas no topo do movimento.
  3. Volte à posição inicial, descendo o tronco de forma controlada.

5. Prancha

– Execução –

  1. Virada de barriga para baixo e com os antebraços apoiados no chão à largura dos ombros, elevar o corpo (como se fosse uma flexão), contraindo o abdominal e mantendo a coluna sempre direita.
  2. Manter a posição durante um tempo que lhe permita sentir os abdominais a trabalhar, mas sem ir ao limite. Fundamental manter um padrão respiratório adequado, evitando a manobra de valsava, ou seja, não bloqueando a respiração.
Veja também