Alimentos que interferem com medicamentos: as combinações que deve evitar

Existem determinados alimentos que interferem com medicamentos, potenciando ou inibindo a sua ação. Mesmo sendo alimentos “naturais”, a sua ação pode ser bastante eficaz. Como tal, há interações alimentos – medicamentos que deve evitar, de modo a não comprometer as terapêuticas prescritas pelo seu médico. Leia com atenção.

Alimentos que interferem com medicamentos: as combinações que deve evitar
Porque nem tudo o que é natural é inócuo, há certos alimentos que deve evitar quando está a tomar medicamentos.

Chás, algas, frutos… são vários os alimentos que interferem com medicamentos e que podem potenciar ou inibir o efeito dos mesmos. E alguns destes alimentos representam tendências / modas alimentares atuais, que muita gente tende a consumir de forma desmensurada.

Com efeito, a interação entre alimentos e medicamentos é um assunto bastante complexo, sendo extensa a lista de alimentos com capacidade para interferir com a ação de diversos tipos de medicamentos.

Como tal, sempre que estiver a tomar algum medicamento de forma prolongada, informe-se junto do seu médico ou nutricionista ou até através da bula do medicamento se algum dos alimentos que abordaremos de seguida está contra-indicado.

Alimentos que interferem com medicamentos de uma forma geral


alimentos que interferem com medicamentos

Aipo, alcachofra, bétula, boldo, cáscara sagrada, cavalinha, dente-de-leão, ruibarbo, sene e urtiga, são alimentos muito utilizados em dietas de emagrecimento e detox devido às suas propriedades laxantes e/ou diuréticas, sendo inclusive utilizados, em muitos casos, como suplementos, de modo a aumentar a quantidade ingerida.

No entanto, essas mesmas propriedades influenciam a eficácia da maioria dos medicamentos, visto que promovem a diminuição da sua absorção ou aumentam a sua eliminação pelo organismo, diminuindo o efeito terapêutico.

Alimentos que interferem com medicamentos Anti-hipertensores


medicamentos anti hipertensores

Os anti-hipertensores são um grupo de medicamentos utilizados para baixar a pressão arterial, em pessoas com hipertensão ou problemas cardiovasculares.

– Alimentos com cafeína, como chá preto e verde, ginseng e beringela podem interferir com esta medicação, pois promovem o aumento da pressão arterial, atenuando ou até inibindo o efeito destes medicamentos.

– Já alimentos como gingko biloba, oliveira e até o próprio alho, quando consumido de forma concentrada em suplemento, potenciam os efeitos desta medicação, podendo originar cenários de hipotensão.

– Alimentos ricos em potássio, como a banana, laranja, kiwi e hortícolas de folha verde também interferem com esta medicação, podendo provocar palpitações.

Alimentos que interferem com medicamentos Anticoagulantes


medicamentos brancos

Os medicamentos anticoagulantes têm como principal função inibir a cascata da coagulação e diminuir a agregação plaquetária, de modo a evitar a formação de coágulos de sangue. São especialmente úteis em casos de problemas de circulação, hemodiálise e prevenção de doenças cardiovasculares.

– Alimentos como açafrão, alho, aloé, bagas de goji, camomila, cardo mariano, castanheiro-da-índia, chlorella, gengibre e pirliteiro interagem, essencialmente, com os medicamentos anticoagulantes, potenciando a sua função e, consequentemente, o risco de hemorragias.

– Já os alimentos ricos em vitamina K, como produtos fermentados e vegetais de folha verde, chá preto, chá verde, hipericão e urtiga, promovem a coagulação e diminuem a eficácia dos anticoagulantes, aumentando o risco de tromboses, AVC e enfartes.

Alimentos que interferem com medicamentos para o Colesterol


colesterol aumentado

Como o nome indica, estes medicamentos são utilizados por quem tem valores de colesterol elevados, nomeadamente colesterol LDL (mau), de modo a prevenir futuras doenças cardiovasculares. Os mais utilizados são as famosas Estatinas.

– O consumo de alimentos como erva de S. João, salvia e sumo de laranja diariamente e em quantidades elevadas pode diminuir a eficácia destes medicamentos, enquanto o consumo de ginseng e aloé pode potenciar os seus efeitos, pois provoca uma maior permanência destes mesmos medicamentos no organismo.

Esta situação pode resultar numa maior incidência de efeitos secundários e toxicidade associados ao medicamento, tal como a rabdomiólise e consequentes dores musculares.

Alimentos que interferem com medicamentos para controlo da Diabetes


medicacao e diabetes

Os antidiabéticos orais e a insulina administrada em situações de diabetes, têm como função regular a glicemia, promovendo a passagem da glicose do sangue para as células. Desta forma, previne-se a ocorrência das frequentes hiperglicemias que caracterizam a diabetes.

– No entanto, a ingestão regular e/ou exagerada de açafrão-da-índia, aloé, bagas de goji, canela, gengibre, ginseng, goma de guar, mirtilos, psílio, sabugueiro, e sementes de linhaça, podem potenciar os efeitos destes medicamentos, resultando em hipoglicemia e possíveis desmaios, fraqueza, mau estar, entre outros.

Alimentos que interferem com medicamentos anti contracetivos (pílula)


cha e medicamentos

Os anticontracetivos, em particular a pílula, têm como função inibir a gravidez, sendo o efeito anulado por outros medicamentos, nomeadamente antibióticos, assim como por alguns alimentos / suplementos, mais precisamente o amieiro negro, cáscara sagrada, clorela, dente-de-leão, hipericão e sene.

Alimentos que interferem com medicamentos antibióticos


alimentos e antibioticos

Os antibióticos têm como função combater infeções provocados por microrganismos, em particular bactérias.

– A sua eficácia e segurança ficam comprometidas com a ingestão de Açafrão-da-índia, alcaçuz, alecrim, alho, ananás, leite, dente-de-leão, equinácea, funcho e toranja.

Além das interações mencionadas, nunca é demais relembrar que o álcool e o tabaco são duas substâncias que interferem com um largo espetro de medicamentos e, como tal, devem ser evitadas ao máximo nestas situações.

Veja também:

Nutricionista Rita Lima Nutricionista Rita Lima

Rita Lima é nutricionista e trabalha, atualmente, nos ginásios Urban Fit de Ermesinde, Antas Prime Fitness e CulturaFit Club no Porto. Durante 2 anos colaborou no projeto Dragon Force do Futebol Clube do Porto e com o Boavista Futebol Clube. É licenciada em Ciências da Nutrição pela Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto e frequentou o Curso de Nutrição no Desporto na mesma faculdade.