Nutricionista Mafalda Serra
Nutricionista Mafalda Serra
23 Nov, 2020 - 09:54

Vitamina D e COVID-19: o que nos diz a evidência científica?

Nutricionista Mafalda Serra

Será que a insuficiência de vitamina D pode aumentar o risco da severidade de sintomas e da mortalidade associada à COVID-19?

Vitamina D e COVID-19

A deficiência de vitamina D na população é um problema de saúde pública que afeta mais de mil milhões de indivíduos globalmente, em diferentes fases de vida. Quando os valores diários recomendados de vitamina D não são atingidos, poderá ocorrer um comprometimento da função imunitária (1). Mas, haverá alguma relação entre vitamina D e COVID-19? O que diz a evidência científica acerca dos benefícios da vitamina D na prevenção e tratamento da COVID-19?

A vitamina D e o seu impacto na saúde

Mulher a apanhar sol junto a uma praia

Ao longo do tempo, a comunidade científica tem vindo a estudar a vitamina D, com as suas características imunomodulatórias, e o seu papel na prevenção de vários tipos de infeções agudas respiratórias.

Alguns estudos demonstraram que a vitamina D poderá estar relacionada com a redução do risco de infeções microbianas e possuir um efeito protetor em casos de pneumonia (2, 3, 4).

Em concordância com estes resultados, outros estudos associam baixos valores séricos de vitamina D a infeções agudas do trato respiratório (incluindo às infeções causadas pela epidemia do vírus da Influenza), à redução da função pulmonar ou até a doença cardiovascular (5, 6).

A comunidade científica debruçou-se ainda sobre os efeitos associados à suplementação em vitamina D. Algumas revisões sistemáticas e meta-análises mostram que as infeções do trato respiratório eram significativamente menores em indivíduos que faziam suplementação em vitamina D, comparativamente a grupos de controlo (7, 8, 9).

Apesar da literatura cientifica existente, que suporta as características imunomodulatórias da vitamina D e o seu papel na manutenção da homeostase imunitária, é essencial a realização de mais ensaios clínicos randomizados bem desenhados. Só assim será possível compreender de forma clara o papel da vitamina D nas respostas imunes contra micróbios respiratórios e na prevenção de vários tipos de infeções agudas respiratórias (10).

Tipos de vitamina D
Veja também D2 ou D3: qual é a diferença entre os tipos de vitamina D?

A vitamina D e a COVID-19

Idosa com máscara

O contexto pandémico atual tem vindo a levantar na comunidade médica e científica uma discussão relativa aos benefícios da vitamina D na prevenção e tratamento da COVID-19.

Estudos recentes sugerem que a insuficiência de vitamina D pode comprometer a função imune respiratória, aumentando o risco da severidade de sintomas e da mortalidade associada à COVID-19 (10, 11, 12).

O papel específico da vitamina D na prevenção e agravamento da infeção pelo novo coronavírus é pouco conhecido. Uma das hipóteses colocadas é a de que os níveis de vitamina D se associam inversamente a marcadores inflamatórios que se relacionam com a severidade da doença (10).

Por ser um tema relativamente recente, há poucos estudos que determinam o papel preventivo da vitamina D na COVID-19 e na taxa de mortalidade associada. No entanto, alguns estudos retrospetivos demonstraram uma correlação entre os níveis de vitamina D e o número de casos e severidade dos sintomas da COVID-19 (13,14,15).

No entanto, quando os vieses ou variáveis confundidoras são ajustados, os resultados dos vários estudos tornam-se inconsistentes (10).

A exposição solar contribui para a produção de vitamina D no corpo humano, o que suporta a hipótese de que populações mais próximas do equador apresentem menor deficiência de vitamina D e, consequentemente, taxas de mortalidade associadas à COVID-19 mais baixas.

A partir desta hipótese, têm sido conduzidos estudos científicos que procuram associar a latitude dos países, os níveis médios de vitamina D na população e a taxa de mortalidade da mesma por COVID-19 (10, 16). Porém, estes estão sujeitos a vários vieses e, até agora, têm sido incapazes de confirmar a hipótese ou demonstrar qualquer relação de causalidade (10).

COVID-19 e presença de outras comorbilidades

Sintomas da diabetes: 10 sinais associados à doença

A associação entre a COVID-19 e a vitamina D pode ainda estar a ser confundida com outros fatores associados à severidade e mortalidade do novo coronavírus.

A idade avançada ou a presença de outras comorbilidades (como obesidade, hipertensão, diabetes, condições cardíacas ou outros distúrbios respiratórios), para além de estarem intimamente ligados à deficiência de vitamina D, são fatores de risco associados ao agravamento e mortalidade da COVID-19 (17, 18, 19, 20).

Para além isso, o envelhecimento é acompanhado de menor exposição solar, menor capacidade de síntese de vitamina D cutânea e maior ocorrência de doenças crónicas, que são tratadas commumente com fármacos que podem também interferir com os valores de vitamina D séricos (11, 21, 22).

Assim, ainda não foi possível determinar com clareza qual o fator de risco associado ao agravamento e mortalidade da COVID-19: se a idade ou patologias associadas, se os deficientes níveis de vitamina D.

Haverá benefícios na suplementação de vitamina D?

Suplementos de vitamina D3

A comunidade médica e cientifica tem ainda levantado a discussão sobre os benefícios da suplementação de vitamina D no tratamento do novo coronavírus.

Os estudos têm concluído que, de facto, a suplementação tem efeitos protetores contra as infeções respiratórias. Porém, ainda nenhum estudo se debruçou especificamente sobre o seu papel na COVID-19. (10, 23).

A suplementação de vitamina D poderá ser considerada em doentes COVID-19 ou indivíduos saudáveis em caso de insuficiência ou deficiência da mesma. No entanto, não há evidência científica que suporte a suplementação de vitamina D em indivíduos com valores séricos normais com o objetivo de prevenção, profilaxia ou redução da severidade da doença (24).

Uma revisão sistemática e meta-análise publicada no inicio deste mês, confirmou a elevada prevalência de deficiência de vitamina D em pessoas infetadas pelo novo coronavírus (especialmente idosos) e observou uma associação positiva entre deficiência de vitamina D e a severidade dos sintomas de COVID-19. Deste modo, a avaliação dos níveis séricos de vitamina D pode vir a ser estabelecida como prática clínica regular (24).

No entanto, não pode ser afirmado que existe uma associação entre a deficiência de vitamina D e uma maior vulnerabilidade ou gravidade de sintomas associados à infeção pelo novo coronavírus.

Até agora, ainda não foi testada ou confirmada nenhuma relação causal e os níveis de vitamina D séricos ainda não foram estudados a fundo em pacientes infetados por SARS-CoV-2 (10, 24).

O que podemos concluir?

No contexto pandémico em que vivemos, manter uma nutrição adequada é essencial para a nossa saúde. Para além da vitamina D em particular, há outros nutrientes importantes para a modulação do sistema imunitário, nomeadamente proteínas, ácidos gordos insaturados, vitaminas (B6, B12, C, E ou folato) ou minerais (zinco, cobre, selénio).

Assim, manter uma alimentação saudável, equilibrada e variada e corrigir as deficiências nutricionais existentes é essencial, independentemente do nutriente em questão (24).

Impacto da dieta mediterrânica na COVID-19
Veja também O papel da dieta mediterrânica na COVID-19

Fontes

  1. Holick MF. The vitamin D deficiency pandemic: approaches for diagnosis,treatment and prevention. Rev Endocrine Metab Disord 2017;18:153–65.
  2. Gombart AF, Pierre A, Maggini S. A review of micronutrients and the immune system-working in harmony to reduce the risk of infection. Nutrients 2020;12:236.
  3. Lang PO, Aspinall R. Vitamin D status and the host resistance to infections: what it is currently (not) understood. Clin Ther 2017;39:930–45.
  4. Tsujino I, Ushikoshi-Nakayama R, Yamazaki T, Matsumoto N, Saito I. Pulmonary activation of vitamin D3 and preventive effect against interstitial pneumonia. J Clin Biochem Nutr 2019;65:245–51.
  5. Cannell JJ, Vieth R, Umhau JC, Holick MF, GrantWB, Madronich S, et al. Epidemic influenza and vitamin D. Epidemiol Infect 2006;134:1129–40.
  6. Shi Y, Liu T, Yao L, Xing Y, Zhao X, Fu J, et al. Chronic vitamin D deficiency induces lung fibrosis through activation of the renin–angiotensin system. Sci Rep 2017;7:1–10.
  7. Bergman P, Lindh ÅU, Björkhem-Bergman L, Lindh JD. Vitamin D and respiratory tract infections: a systematic review and meta-analysis of randomized controlled trials. PLoS ONE 2013;8:e65835.
  8. Charan J, Goyal J, Saxena D, Yadav P. Vitamin D for prevention of respiratory tract infections: a systematic review and meta-analysis. J Pharmacol Pharmacother 2012;3:300.
  9. Martineau AR, Jolliffe DA, Hooper RL, Greenberg L, Aloia JF, Bergman P, et al. Vitamin D supplementation to prevent acute respiratory tract infections: systematic review and meta-analysis of individual participant data. BMJ 2017:i6583.
  10. Ali N. Role of vitamin D in preventing of COVID-19 infection, progression and severity. J Infect Public Health. 2020 Oct;13(10):1373-1380.
  11. Grant WB, Lahore H, McDonnell SL, Baggerly CA, French CB, Aliano JL, et al. Evidence that vitamin D supplementation could reduce risk of influenza and COVID-19 infections and deaths. Nutrients 2020;12:988.
  12. Watkins J. Preventing a covid-19 pandemic. British Medical Journal Publishing Group; 2020.
  13. Li Y, Li Q, Zhang N, Liu Z. Sunlight and vitamin D in the prevention of coronavirus disease (COVID-19) infection and mortality in the United States (preprint, in review); 2020
  14. Lau FH, Majumder R, Torabi R, Saeg F, Hoffman R, Cirillo JD, et al. Vitamin D insufficiency is prevalent in severe COVID-19 [preprint]. Infect Dis (except HIV/AIDS) 2020.
  15. Hastie CE, Mackay DF, Ho F, Celis-Morales CA, Katikireddi SV, Niedzwiedz CL, et al. Vitamin D concentrations and COVID-19 infection in UK Biobank. Diabet Metab Syndr: Clin Res Rev 2020;14:561–5.
  16. Whittemore PB. COVID-19 fatalities, latitude, sunlight, and vitamin D. Am J Infect Control. 2020 Sep;48(9):1042-1044.
  17. Alberca RW, Oliveira LM, Branco ACCC, Pereira NZ, Sato MN. Obesity as a risk factor for COVID-19: an overview. Crit Rev Food Sci Nutr. 2020 Jun 15:1-15.
  18. de Oliveira LF, de Azevedo LG, da Mota Santana J, de Sales LPC, Pereira-Santos M. Obesity and overweight decreases the effect of vitamin D supplementation in adults: systematic review and meta-analysis of randomized controlled trials. Rev Endocr Metab Disord. 2020 Mar;21(1):67-76.
  19. Sattar N, McInnes IB, McMurray JJV. Obesity Is a Risk Factor for Severe COVID-19 Infection: Multiple Potential Mechanisms. Circulation. 2020 Jul 7;142(1):4-6.
  20. Angelidi AM, Belanger MJ, Mantzoros CS. Commentary: COVID-19 and diabetes mellitus: What we know, how our patients should be treated now, and what should happen next. Metabolism. 2020 Jun;107:154245.
  21. Pimenta FB, Pinho L, Silveira MF, Botelho AC. Factors associated with chronic diseases among the elderly receiving treatment under the Family Health Strategy. Cien Saude Colet. 2015 Aug;20(8):2489-98. English, Portuguese.
  22. Jin YH, et al. for the Zhongnan Hospital of Wuhan University Novel Coronavirus Management and Research Team, Evidence-Based Medicine Chapter of China International Exchange and Promotive Association for Medical and Health Care (CPAM). A rapid advice guideline for the diagnosis and treatment of 2019 novel coronavirus (2019-nCoV) infected pneumonia (standard version). Mil Med Res. 2020 Feb 6;7(1):4.
  23. Speeckaert MM, Delanghe JR. Association between low vitamin D and COVID-19: don’t forget the vitamin D binding protein. Aging Clin Exp Res. 2020 Jul;32(7):1207-1208. 
  24. Pereira M, Dantas Damascena A, Galvão Azevedo LM, de Almeida Oliveira T, da Mota Santana J. Vitamin D deficiency aggravates COVID-19: systematic review and meta-analysis. Crit Rev Food Sci Nutr. 2020 Nov 4:1-9. 
Veja também