Camila Farinhas
Camila Farinhas
11 Set, 2020 - 10:05

Teste de gravidez positivo, e agora? Quais os próximos passos?

Camila Farinhas

Após o teste de gravidez positivo, é fundamental agendar a primeira consulta pré-natal, para dar inicio à vigilância da gestação.

Mulher com teste de gravidez positivo nas mãos

Os primeiros sintomas de gravidez, como a falta da menstruação, aumento da tensão mamária, ou ainda náuseas e vómitos, podem levar à dúvida quanto a uma possível gestação. Mas, o que fazer quando o teste de gravidez é positivo?

tESTE DE GRAVIDEZ POSITIVO: os passos a seguir

Com o teste de gravidez positivo, a primeira consulta pré-natal deve ser agendada. Idealmente, esta consulta deve ser efetuada antes das 12 semanas. O início precoce da vigilância da gravidez, contribui para uma gestação saudável e também para a tranquilidade dos futuros pais.

1.

Marcar a consulta pré-natal

Mulher em consulta pré-natal

Na primeira consulta pré-natal, avalia-se 1, 2:

  1. Informações relativas à consulta pré-concecional (recomendada quando a mulher decide engravidar. Contempla a história clinica do casal, fatores de risco e doenças que possam interferir na gestação).
  2. Datação da gravidez e data possível de parto (DPP).
  3. Avaliação física (peso, altura, índice de massa corporal, pressão arterial, sinais de anemia).
  4. Avaliação ginecológica.
  5. Cuidados a ter durante a gravidez (alimentação, exercício físico, saúde oral e relações sexuais) e sinais de alerta.
  6. Avaliação da adaptação do casal à gravidez, nomeadamente se foi planeada e aceite no contexto familiar;
  7. Rastreio à violência doméstica.
  8. Preenchimento e entrega do boletim de saúde da grávida.
  9. Avaliação do histórico de vacinas.
2.

Datação da gravidez

A correta datação da gestação é fundamental para a vigilância obstétrica.

A datação da gravidez é calculada a partir da data da última menstruação, e posteriormente é corrigida com os dados da ecografia do 1º trimestre (comprimento crânio-caudal do feto).

3.

Boletim de saúde da grávida

Mulher a analisar documento

O boletim de saúde da grávida, é um documento onde são registados todos os dados relativos à saúde materna e fetal, garantindo o fluxo de informação entre a Unidade de Saúde Familiar e os cuidados hospitalares. É entregue na primeira consulta pré-natal, e deverá acompanhar a futura mãe durante toda a gestação, parto e pós-parto.

Caso seja acompanhada por um obstetra particular, deverá também realizar o acompanhamento da gestação na Unidade de Saúde Familiar da sua área de residência. Além do curso de preparação para o parto que muitas unidades disponibilizam gratuitamente, é também aqui que autorizam a baixa médica, caso exista necessidade.

Uma forma simples de garantir que não se esquece deste documento, assim como de todos os exames que irá realizar ao longo da gravidez, é optar por uma pasta ou dossier. Assim, poderá tê-los sempre consigo e organizados. Futuramente, pode também colocar o plano de parto.

4.

Exames laboratoriais

Os exames laboratoriais têm como finalidade avaliar a saúde geral da grávida e feto, assim como prevenir e tratar adequadamente condições clinicas que possam interferir na gestação.

De acordo com o Programa Nacional para a Vigilância da Gravidez de Baixo Risco 2, os exames a realizar no primeiro trimestre de gravidez são:

  1. Citologia Cervical – Conforme recomendações do Plano Nacional de Prevenção e Controlo das Doenças Oncológicas 2007-2010 para as mulheres não grávidas.
  2. Tipagem ABO e fator Rh D.
  3. Pesquisa de aglutininas irregulares (teste de Coombs indireto).
  4. Hemograma completo.
  5. Glicémia em jejum.
  6. VDRL.
  7. Serologia Rubéola – IgG e IgM (se desconhecido ou não imune em consulta pré-concecional).
  8. Serologia Toxoplasmose – IgG e IgM (se desconhecido ou não imune em consulta pré-concecional).
  9. Ac VIH 1 e 2.
  10. AgHBs.
  11. Urocultura com eventual TSA.
5.

Suplementação

Mulher a tomar comprimido

Durante a gestação, é recomendado fazer suplementação de 1, 2:

  • Ácido fólico: Iniciar na fase pré-concecional e a sua toma ao longo de todo o primeiro semestre de gravidez, de modo a reduzir o risco de defeitos no tubo neural. A dose recomendada é de 400 µg/dia
  • Ferro: Durante o segundo e terceiro semestre de gravidez, especialmente para as grávidas que desenvolvem anemia. A dose recomendada é de 30-60 mg/dia
  • Iodo: Iniciar na fase pré-concecional, durante toda a gravidez e amamentação. Este nutriente é essencial à vida, pois regula o metabolismo celular e o desenvolvimento cerebral. A dose recomendada é de 150-200 µg/dia

Sinais de alerta durante a gravidez

O corpo da futura mãe passa por inúmeras transformações durante a gestação. Alguns sintomas desaparecem, mas outros permanecem ao longo de toda a gravidez. No entanto, existem sinais de alerta que, caso verifique, deverá de imediato recorrer ao seu médico. São eles:

  • Sangramento vaginal
  • Perda de líquido pela vagina ou corrimento com comichão, ardor ou cheiro
  • Dor abdominal ou pélvica contínua
  • Febre
  • Dor, ardor ou presença de sangue na urina
  • Náuseas e vómitos contínuos
  • Dor de cabeça persistente
  • Alterações na visão
  • Subida da tensão arterial
  • Diminuição dos movimentos fetais
Gravidez semana a semana: o que saber
Veja também A gravidez semana a semana: guia completo

Fontes

  1. Serviço Nacional de Saúde (2020). Guia para grávidas. Acedido a 10 de Setembro de 2020. Disponível em: https://www.sns24.gov.pt/guia/guia-para-gravidas/
  2. Direção-Geral da Saúde (2015). Programa Nacional para a Vigilância da Gravidez de Baixo Risco. Disponível em: https://www.dgs.pt/em-destaque/programa-nacional-para-a-vigilancia-da-gravidez-de-baixo-risco-pdf11.aspx
Veja também