Teresa Santos
Teresa Santos
17 Fev, 2021 - 16:44

Má circulação nas pernas em tempos de confinamento

Teresa Santos

A má circulação nas pernas é um problema que pode agravar com um maior sedentarismo provocado pelo confinamento. Saiba como contornar esta situação.

Mulher sentada numa cadeira com dores causadas pela má circulação nas pernas

Apesar da má circulação nas pernas poder ser uma condição relativamente comum, isso não significa que deva ser encarada com naturalidade e que não se deva procurar uma avaliação médica. Este problema pode estar na origem de sintomas incomodativos e, até, incapacitantes, como dores nas pernas, formigueiro e inchaço.

Além disso, a má circulação nas pernas está, muitas vezes, na origem de outras doenças circulatórias, como as varizes e as tromboses. Sabemos que passar muito tempo sentado ou de pé agrava esta condição e, por isso, o atual confinamento pode ser um desafio ainda maior para quem sofre deste problema de saúde. Saiba mais sobre esta doença e como contrariá-la, mesmo passando mais tempo em casa.

Combater a má circulação nas pernas em confinamento: 10 dicas essenciais

Os hábitos a que o confinamento conduz podem não ser os mais benéficos para a circulação sanguínea. Não praticar exercício físico; não fazer caminhadas; estar muito tempo sentado ou deitado; e beber pouca água, são apenas algumas rotinas comuns a muitas pessoas hoje em dia, as quais favorecem, em grande medida, o problema da má circulação nas pernas.

Portanto, há que contrariar esta tendência, mesmo passando mais tempo em casa e tendo menos liberdade para sair. Assim, atente em algumas das dicas que deixamos em seguida (1).

Mulher com sintomas de retenção de líquidos nas pernas
Veja também Retenção de líquidos: sintomas, causas, como prevenir e tratar
1

Usar roupas confortáveis

Mulher em teletrabalho vestida com roupa confortável

Seguramente que esta não é uma medida difícil de adotar, já que está por casa e que, mesmo que esteja em teletrabalho, o dress code é sempre mais flexível, certo? Assim, deve evitar todas as peças de roupa que apertem os músculos, como é o caso das skinny jeans.

Claro que isto não deve servir de desculpa para passar todo o dia de pijama, embora deva privilegiar calças com cortes mais largos e calçado confortável.

2

Privilegiar alimentos ricos em fibras e em gorduras polinsaturadas

A falta de atividade física pode tornar as digestões mais difíceis e favorecer problemas como a obstipação, as varizes e as hemorróidas. Fazer as refeições em casa permite que selecione de forma mais crítica e criteriosa os alimentos que ingere.

Por esse motivo, deve preferir alimentos que facilitem a digestão e que, desse modo, não aumentem a pressão abdominal, nem contribuam para debilitar as paredes das veias. Assim, mais do que nunca, deve privilegiar as frutas e os legumes na sua dieta diária, tentando incluir uma porção deles em cada refeição que faz.

Quanto às gorduras polinsaturadas, elas diminuem a viscosidade, melhorando a fluidez da corrente sanguínea e regulando a tensão arterial, a vasodilatação e a coagulação do sangue.

Assim, deve privilegiar o consumo de peixes gordos, como salmão, sardinhas e cavala, e de óleos vegetais (milho, soja, girassol). Por outro lado, deve tentar reduzir a ingestão de laticínios, de carnes vermelhas e de enchidos.

3

Levantar as pernas

Mulher a descansar depois de um dia em teletrabalho

Claro que se está em teletrabalho, pode ter de passar muitas horas sentado. Contudo, há uma maneira de minorar os efeitos negativos dessa posição sobre a má circulação nas pernas.

Mesmo sentado, tente elevar as pernas durante alguns minutos, colocando-as sobre uma cadeira, por exemplo. Assim, vai garantir um bom retorno do sangue às veias.

À noite, pode ainda deitar-se com os pés sobre uma almofada, de modo a aproveitar as horas de sono para melhorar a circulação.

4

Fazer intervalos no teletrabalho

Mesmo que esteja em teletrabalho, procure fazer alguns intervalos para “esticar as pernas”; beber água; e fazer refeições, as quais até pode aproveitar para fazer em pé, no balcão da cozinha, por exemplo.

Esta é uma forma de ir intercalando os períodos sentado com períodos em pé, obrigando assim à ativação da circulação sanguínea.

5

Praticar exercício físico

Mulher a ter aulas online sem supervisão de um personal trainer

O confinamento não deve servir de desculpa para não fazer exercício físico. Mesmo quem tem uma casa pequena pode praticar alguns exercícios benéficos para a circulação, como colocar-se em meias pontas ou deitar-se no chão e levantar as pernas, formando um ângulo de 90º.

A atividade física melhora a circulação sanguínea, pois exercita os músculos que comprimem as veias, conduzindo o sangue para a parte superior do corpo.

Outros exercícios físicos que ajudam a combater a má circulação nas pernas são, sem dúvida, caminhar e andar de bicicleta, o que pode fazer, mesmo durante o estado de emergência, desde que junto à sua zona de residência e durante curtos períodos de tempo.

Mulher a fazer treino sem equipamento em casa
Veja também Treino em casa sem equipamento: 8 exercícios
6

Beber água

A verdade é que há pessoas que se esquecem de beber água durante o dia, o que pode conduzir a situações de desidratação que agravam o problema da má circulação nas pernas.

Assim, deve procurar ingerir 2 a 3 litros de água por dia, de modo a eliminar toxinas. Para o ajudar a atingir esta meta, tenha sempre junto a si uma garrafa com água.

beber mais água em casa: mulher a encher copo de água da torneira
Veja também 10 truques para beber mais água em casa
7

Evitar o calor excessivo

Mulher em casa a aquecer-se junto a radiador

As temperaturas elevadas podem prejudicar a circulação do sangue, pois o calor pode causar vasodilatação, cansaço, inchaço e dor nas extremidades. Deste modo, deve regular a temperatura de sua casa, de maneira a garantir um ambiente mais fresco.

8

Massajar

As massagens são uma forma agradável e relaxante de melhorar a circulação sanguínea e a irrigação dos tecidos.

Em tempos em que o stress afeta muitas pessoas, devido à pandemia e a todos os condicionalismos impostos por ela, as massagens podem ser uma excelente forma não só de combater a má circulação nas pernas, como também  a ansiedade.

9

Colocar meias elásticas

Mulher a calçar meias de compressão

As meias elásticas de compressão podem ajudar a combater a má circulação nas pernas, pois contribuem para que o sangue suba até ao coração. Se acha estas meias um pouco inestéticas, esta é uma excelente altura para as usar, já que está por casa.

10

Não fumar

A nicotina é prejudicial para o nosso corpo de diversas formas. No caso da má circulação nas pernas, o tabaco danifica as artérias e favorece o aparecimento de varizes.

Por este motivo, é recomendável que deixe de fumar, se ainda o faz. O confinamento pode ser um bom momento para deixar de lado o tabaco, já que talvez esteja mais afastado dos ambientes e momentos onde costuma fumar.

Má circulação nas pernas: 10 principais sintomas

Na origem da má circulação nas pernas, pode estar a acumulação de gordura nas paredes das artérias; peso acima do normal; e/ou toma da pílula anticoncecional.

Geralmente, este quadro piora com as temperaturas baixas, devido à contração das artérias, a qual, por sua vez, dificulta ainda mais a passagem do sangue. Este problema de saúde pode manifestar-se através de vários sintomas (1).

Mulher com sintomas de retenção de líquidos nas pernas

1. Úlceras

Estas úlceras podem surgir acompanhadas de dor e são, normalmente, causadas por pequenos traumatismos. Têm um aspeto circular, uma profundidades variável e não cicatrizam facilmente.

2. Inchaço

A má circulação também pode causar inchaço nas mãos e nos pés, o que se pode tornar bastante desconfortável e dificultar a realização de coisas tão básicas como, por exemplo, caminhar.

3. Cianose

É comum que quem sofre de má circulação nas pernas apresente uma cor de pele diferente, mais azulada e brilhante (cianose). Esta caraterística denota que a circulação sanguínea não ocorre adequadamente.

4. Cabelo e unhas enfraquecidas

Uma má circulação nas pernas pode comprometer o fornecimento de sangue e de nutrientes a todas as partes do corpo. Consequentemente, um dos sintomas muito frequente deste problema é o enfraquecimento do cabelo, que pode começar a cair; a pele muito seca; e as unhas quebradiças.

vitaminas para o cabelo e unhas
Veja também As principais vitaminas para cabelo e unhas e suplementos

5. Sistema imunológico débil

A irrigação de sangue para todo o corpo é uma condição essencial para o bom funcionamento do organismo, como um todo.

Quando essa irrigação não decorre apropriadamente, a eficácia do sistema imunológico pode ficar comprometida. Consequentemente, a capacidade de cicatrização e de combate às doenças fica enfraquecida.

6. Mãos e pés frios

Uma má circulação nas pernas também contribui para uma temperatura corporal mais baixa, sobretudo nas extremidades, como é o caso das mãos e dos pés.

A explicação está no facto do sangue tardar a chegar a estas zonas do corpo. Por este mesmo motivo, a má circulação nas pernas também pode causar uma sensação de dormência.

7. Fadiga

O sangue transporta oxigénio e nutrientes, o que significa que se ele não chega, atempadamente, aos músculos do corpo, pode surgir uma sensação de cansaço e de fadiga.

Além disso, podem ainda registar-se outros sintomas como falta de ar, dores musculares e menos energia.

8. Disfunção erétil

Os homens com má circulação nas pernas podem ainda sofrer de disfunção erétil, pelo facto de não chegar aos órgãos reprodutores sangue suficiente para, por exemplo, atingirem a ereção.

9. Angina de peito

Como dissemos no início, a má circulação nas pernas pode estar na origem de outras doenças. A angina de peito é exemplo de uma delas, já que ela pode ser causada por uma diminuição da quantidade de sangue que chega ao coração.

10. Pensamento confuso

Assim como o coração, o cérebro também precisa de uma correta irrigação com sangue para que consiga funcionar adequadamente. Logo, quem sofre de má circulação pode revelar cansaço mental e problemas de memória.

Má circulação nas pernas: o que fazer?

Além de todas as dicas que deixámos, é importante que o problema da má circulação nas pernas seja devidamente diagnosticado por um especialista em cirurgia vascular que indique quais as melhores medidas a adotar para manter este problema de saúde controlado.

Mesmo no atual contexto de pandemia e de confinamento, é importante não descurar nos cuidados com os demais problemas de saúde, além da COVID-19.

Paralelamente, a eventuais terapêuticas farmacológicas de que possa necessitar, manter um estilo de vida saudável, comendo de forma equilibrada e praticando exercício físico diariamente, é um passo determinante para evitar complicações decorrentes do problema da má circulação nas pernas.

Alimentação saudável
Veja também Alimentação saudável: as 10 recomendações essenciais a seguir

Fontes

  1. Hospital Prof. Doutor Fernando Fonseca EPE. Má circulação sanguínea: saiba como prevenir e tratar. Disponível em: https://hff.min-saude.pt/ma-circulacao-sanguinea-saiba-como-prevenir-e-tratar/
Veja também