Camila Farinhas
Camila Farinhas
21 Jul, 2020 - 09:48

Grupos de risco para a COVID-19: quais são e o que devem saber?

Camila Farinhas

Algumas pessoas pertencem a grupos de risco para a COVID-19. Dizemos-lhe quem são e respondemos às dúvidas mais frequentes.

Grupos de risco para a COVID-19: mulher na janela de um hospital

Pessoas com determinadas morbilidades associadas ao novo coronavírus, tendem a desenvolver quadros clínicos mais severos e a necessitarem de assistência hospitalar mais intensiva. São os chamados grupos de risco para a COVID-19. Comum a todos, está o fato de o seu sistema imunitário se encontrar fragilizado.

Quais são os grupos de risco para a COVID-19?

Os indivíduos considerados grupos de risco para a COVID-19 são (1):

  1. Pessoas de idade igual ou superior a 65 anos.
  2. Pessoas com patologias crónicas:
    •  Pulmonares
    •  Oncológicas
  3. Doentes com o sistema imunitário fragilizado devido a:
    • Tratamentos de quimioterapia
    • Doenças auto-imunes (artrite reumatóide, lúpus, esclerose múltipla e ainda, doenças inflamatórias do intestino)
    • Infetados com o VIH
    • Transplantados

Tenho mais de 65 anos e preciso sair de casa. Que cuidados devo ter?

Idoso com máscara de proteção

Pessoas com idade mais avançada devem sair de casa apenas para o estritamente necessário, e desde que cumpram os seguintes cuidados:

  • Usar máscara cirúrgica
  • Evitar espaços públicos com mais de 20 pessoas
  • Manter a distância de 2 metros das restantes pessoas
  • Lavagem frequente das mãos e uso de etiqueta respiratória

Vivo com familiares com mais de 65 anos. O que devo ter em atenção?

Quando se reside com familiares que são considerados grupo de risco para a COVID-19, as recomendações da Direção-Geral da Saúde (2) devem ser redobradas. Assim, deve lavar as mãos com mais frequência, usar máscara, lavar a roupa quando chega a casa, desinfetar o calçado e superfícies de uso comum. Neste caso, o recurso ao teletrabalho está indicado sempre que possível.

Como trabalhar com filhos em casa: mãe no computador
Veja também Como trabalhar com filhos em casa? 6 ideias que podem ajudar

Posso deixar os meus filhos com os avós?

Neto no colo da avó

De acordo com o Serviço Nacional de Saúde (1), não é recomendado que as crianças tenham contato próximo com os avós por serem considerados grupos de risco. Embora sejam menos afetadas pelo novo coronavírus, as crianças constituem um vetor de transmissão da doença.

Estou grávida. Pertenço aos grupos de risco para a COVID-19?

Não. De acordo com a Sociedade Portuguesa de Medicina Interna (3) as grávidas não pertencem ao grupo de risco para a COVID-19. No entanto, as alterações imunológicas da gravidez, podem predispor a mulher para infeções respiratórias aumentando a morbilidade materna. Desta forma, devem cumprir todas as medidas de redução de contágio e praticar o isolamento social. Após o parto, a mulher infetada com o novo coronavírus não deve ser separada do bebé, pois o impato desta separação parece ser mais prejudicial que o risco de infeção.

Outro aspeto importante é a amamentação. Não existe evidência científica de que o novo coronavírus seja transmitido pelo leite materno, sendo que os benefícios da amamentação superam qualquer risco potencial de transmissão. As mães podem (e devem) continuar a amamentar, tomando as precauções necessárias para evitar o contágio: higienizar as mãos antes de dar de mamar e colocar máscara (3).

COVID-19 e grávidas: mulher grávida com máscara
Veja também COVID-19, grávidas e bebés: respondemos às dúvidas essenciais

Pessoas que sofrem de asma são consideradas grupo de risco?

Mulher a utilizar um inalador de asma

Sim. Os asmáticos devem praticar o isolamento social e cumprir a terapêutica habitual (1). Na sua habitação, ventile, aspire e desinfete com frequência os espaços para diminuir os alergénios e poluentes. Caso verifique agravamento de crises, inicie a medicação SOS prescrita pelo seu médico e contate o Serviço Nacional de Saúde através do número 808 24 24 24.

Asma em tempos de COVID-19: mulher a usar inalador da asma
Veja também Asma e COVID-19: o que um asmático deve saber

Os fumadores são considerados grupo de risco?

Não existe evidência que confirme se os fumadores possuem maior risco de infeção pelo novo coronavírus (1). No entanto, caso existam já alterações ao nível do parênquima pulmonar (comum nos casos de tabagismo de longa data), existe maior probabilidade de desenvolver um quadro clinico desfavorável. Se o fumador possuir outras co-morbilidades (como doenças cardiovasculares), o risco de desenvolver complicações é mais elevado.

Sofro de diabetes. O que posso fazer para prevenir o contágio pela COVID-19?

Mulher a injetar insulina na barriga

Pessoas que sofrem de diabetes, por possuírem um sistema imunitário mais debilitado, são consideradas grupo de risco para a COVID-19. Assim, devem:

  • Manter o tratamento habitual para a diabetes, como a insulina
  • Controlar a glicemia a cada 4 horas
  • Fazer uma alimentação saudável
  • Beber mais água ao longo do dia (preferencialmente de 30 em 30 minutos)
  • Medir a temperatura basal de manhã e à noite

Sou doente oncológico. Como me posso proteger do novo coronavírus?

Os doentes oncológicos devem, particularmente, adotar as medidas de distanciamento social. Dada a sua situação, possuem o sistema imunitário bastante debilitado, nomeadamente pessoas que estejam em tratamentos de quimioterapia e radioterapia. Devem fazer a autovigilância dos sintomas da COVID-19 antes de aceder a qualquer unidade de saúde, informando de imediato os profissionais de saúde.

A ajuda de familiares e amigos é fundamental, nomeadamente nas idas ao supermercado e farmácia, pois são locais onde naturalmente estão presentes mais pessoas e a probabilidade de contágio é maior. A Liga Portuguesa Contra o Cancro – Núcleo Regional do Norte (LPCC – NRN) disponibiliza uma linha telefónica gratuita para apoiar os doentes oncológicos durante a pandemia. Pode contatar a Linha Oncológica COVID-19, de segunda a sexta-feira entre as 9h e as 18h através do número 800 919 232.

Profissional de saúde a fazer teste com zaragatoa em ambiente hospitalar

Os doentes oncológicos devem realizar o teste de diagnóstico à COVID-19?

Sim. Os doentes oncológicos devem realizar o teste, mesmo que não apresentem sintomas (1):

  • Antes de iniciar tratamento de quimioterapia
  • Durante o tratamento de quimioterapia, antes de cada administração, mas nunca com uma periodicidade inferior a uma semana
  • Antes de iniciar radioterapia
  • Durante o tratamento com radioterapia, uma vez por semana
  • Antes da admissão para tratamento cirúrgico

Fontes

  1. Serviço Nacional de Saúde (2020). Temas da Saúde: grupos de risco. Acedido a 19 de Julho de 2020. Disponível em: https://www.sns24.gov.pt/tema/doencas-infecciosas/covid-19/grupos-de-risco/#sec-0
  2. Direção-Geral da Saúde (2020). Perguntas frequentes. Acedido a 19 de Julho de 2020. Disponível em: https://covid19.min-saude.pt/perguntas-frequentes/
  3. Sociedade Portuguesa de Medicina Interna (2020). Risco de infeção pela COVID-19 em grávidas. Acedido em 19 de Julho de 2020. Disponível em: https://www.spmi.pt/risco-de-infeccao-pelo-covid-19-em-gravidas/
Veja também