Psicóloga Ana Graça
Psicóloga Ana Graça
05 Fev, 2021 - 10:59

Entrada na menopausa: como enfrentar esta etapa com sucesso?

Psicóloga Ana Graça

Na entrada na menopausa intervêm diferentes fatores, nomeadamente fatores psicológicos. Como viver esta transição de forma positiva? Eis 4 dicas!

Entrada na menopausa

Com o aumento progressivo da esperança de vida da mulher, uma parte significativa da vida da mesma irá decorrer na fase da menopausa. Assim sendo, importa preparar a entrada na menopausa para que esta fase decorra com o máximo de qualidade de vida.

A entrada na menopausa e o bem-estar da mulher

Mulher em casa a beber um chá

Menopausa corresponde à última menstruação, que resulta do esgotamento do património folicular funcionante do ovário. Traduz falência ovárica, definitiva. É diagnosticada após um ano de amenorreia, sem suspeita de outra causa. Ocorre habitualmente entre os 45 e 55 anos, todavia, pode ser precoce (a que ocorre antes dos 45 anos, mas depois dos 40) ou tardia (a que ocorre depois dos 55 anos).

Apesar da entrada na menopausa representar um evento fisiológico, estão-lhe também associados uma grande variedade de sintomas que podem interferir significativamente com o bem-estar emocional da mulher (1).

Manifestações clínicas associadas à entrada na menopausa

São várias as possíveis manifestações clínicas da menopausa. Algumas fazem-se sentir mais a curto prazo, como as alterações do sono e emocionais, outras a médio prazo, como as alterações cutâneas, e outras ainda mais tardiamente, como a osteoporose.

No que ao bem-estar emocional e à saúde psicológica diz respeito, há algumas manifestações clínicas que podem ser especialmente impactantes, pelo que importa prestar-lhes especial atenção na entrada na menopausa:

Jovem mulher com sintomas de menopausa precoce

1. Sintomas vasomotores (afrontamentos, suores noturnos)

Começam tipicamente por uma sensação súbita de calor durante cerca de 2 a 4 minutos, associada frequentemente a sudorese e ocasionalmente a palpitações, seguida por vezes de calafrios, tremores e sensação de ansiedade.

2. Alterações cognitivas e do humor

Podem ter lugar alterações cognitivas, tais como a diminuição da memória verbal e dificuldades ao nível da concentração e da fluência verbal fonémica. São ainda relatados outras manifestações clínicas com impacto na saúde psicológica, nomeadamente flutuações de humor, tristeza, irritabilidade e dificuldades em lidar com alterações da imagem corporal.

Associadas a estas dificuldades surgem, com alguma frequência, eventos sociais e emocionais igualmente impactantes (dificuldades relacionais do casal, filhos a deixarem o lar, alteração de responsabilidade no emprego, doença ou morte de familiar).

3. Perturbações do sono

São frequentes as queixas de dificuldade em iniciar e manter o sono (acordar frequente durante a noite) e o despertar cedo ou, por outro lado, a sensação de que o sono não é suficientemente reparador.

4. Interferência no padrão sexual

A idade e diminuição dos níveis de estrogénios têm efeito negativo na função sexual e qualidade de vida. Apesar da maioria das mulheres permanecer sexualmente ativa com a entrada na menopausa, muitas referem um decréscimo na atividade sexual, desejo hipoativo e evitamento sexual (1, 2).

Entrada na menopausa: como enfrentar esta etapa com sucesso?

Mulher de meia idade sentada no sofá a olhar pela janela

Um estudo realizado em Portugal, em 2009, apurou que algumas mulheres consideram a menopausa de forma positiva, enquanto outras a consideram negativamente, associando-a a perdas, sentindo-se menos femininas, menos atrativas a nível sexual, mais envelhecidas e com menor vigor físico.

Importa garantir que na entrada na menopausa não ocorre uma diminuição da qualidade de vida e do bem-estar psicológico. Eis algumas dicas que podem ajudar a viver a transição para a menopausa de forma mais positiva:

1

Iniciar, ainda na fase reprodutiva, a preparação para a entrada na menopausa

Importa que a mulher esteja devidamente informada antes do momento da entrada na menopausa. É útil que tenha informação acerca das modificações biológicas e fisiológicas inerentes ao processo de transição, sintomatologia associada, como evitar e/ou minimizar complicações, fatores de risco e recursos na comunidade aos quais pode recorrer.

2

Procurar apoio

O apoio sentido no processo de transição para a menopausa pode fazer toda a diferença. Quando este apoio não existe, a mulher pode ser que as suas dúvidas não ouvidas e que as suas emoções não são validadas.

O apoio médico é importante na vigilância da saúde, no alívio de sintomas, na disponibilização de informação sobre a menopausa e no esclarecimento de dúvidas e aconselhamento.

O apoio de familiares, amigos e colegas é igualmente determinante. É fundamental que estes demonstrem maior tolerância e compreensão e estejam disponíveis para aconselhar e prestar informação de que disponham.

3

Ajustar expectativas

Ter expectativas realistas acerca da entrada na menopausa é importante. Para tal, as mulheres devem dispor de informação sobre de que forma decorre o processo de transição, a variabilidade da intensidade dos sintomas, as possíveis mudanças que irão ocorrer, bem como sobre a possibilidade da precocidade e rapidez do surgimento da menopausa.

4

Partilhar experiências

A partilha das experiências quer com os profissionais de saúde, quer com outras mulheres, pode ajudar a que a entrada na menopausa seja bem-sucedida.

Esta partilha de informação e experiências é útil para combater estigmas e preconceitos que ainda persistem sobre a menopausa (muitas vezes, ainda associada a falta de produtividade, envelhecimento, desprazer sexual, e doença que exige tratamento) (2).

Fontes

  1. Sociedade Portuguesa de Ginecologia. (2016). Consenso Nacional sobre MENOPAUSA. Disponível em: https://www.spginecologia.pt/uploads/Consenso_Menopausa_2016.pdf
  2. Pedras, C. (2017). Transição para a menopausa: necessidades e expectativas. Disponível em: https://comum.rcaap.pt/bitstream/10400.26/20974/1/Disserta%C3%A7%C3%A3o%20C%C3%A9lia%20Pedras.pdf
Veja também