Teresa Santos
Teresa Santos
29 Out, 2020 - 11:15

Fact-check: será eficaz e seguro para a mulher tomar a pílula contínua?

Teresa Santos

A pílula contínua levanta algumas questões, principalmente junto das mulheres que a utilizam. Tire as dúvidas e fique esclarecido com este fact-check.

fact-check verdadeiro

Questão em análise

A eficácia e a segurança da pílula contínua são, por vezes, postas em causa. Haverá razão para tal? Ou tudo não passa de mitos? Fique a saber.

Chama-se pílula contínua à pílula de toma contínua que pode ser conhecida por outros nomes, tais como: pílula sem estrogénios; pílula só com progestativo; contracetivo oral com progestagénio; progestativo oral contraceptivo; contraceção progestativa oral; entre outras designações.

Geralmente recomendada no pós-parto, durante o período da amamentação, a pílula contínua tem vindo a levantar algumas questões relativamente à sua eficácia, enquanto método contracetivo, mas também relativamente à sua segurança, no que respeita à saúde da mulher, uma vez que é comum causar amenorreia (não menstruação).

Assim, importa fazer um fact-check em relação a esta questão e perceber, com base na evidência científica, se é ou não eficaz e seguro para a mulher tomar a pílula contínua.

Pílula contínua: o que é?

Mulher a tomar a pílula

Antes de mais, importa explicar quais as diferenças entre esta pílula e as demais.

Logo à partida, a diferença mais evidente prende-se com o modo de toma desta pílula. Como o nome indica, esta pílula deve ser tomada de forma contínua, ou seja,  diariamente, durante os 28 dias do ciclo.

Sem paragens e sem intervalos, esta pílula deve ser sempre tomada mais ou menos à mesma hora. Em caso de esquecimento, é importante tomá-la nas 12 horas seguintes à hora habitual de toma. Isto porque, a partir desse período, a eficácia contracetiva fica comprometida (1).

Obviamente que esta não é a única diferença entre a pílula contínua e as restantes. Como as suas outra designações também indicam, esta pílula possui apenas um progestativo, ou seja, não é combinada com estrogénios, como acontece com as outras pílulas anticoncecionais, chamadas, por isso, de contracetivos orais combinados.

Esta carateristica da pílula contínua torna-a mais indicada para algumas mulheres, nomeadamente aquelas para quem, por alguma razão, os estrogénios estão contra-indicados (2).

Como começar a tomar a pílula contínua?

Mulher a tomar comprimido

Esta é outra dúvida recorrente, em relação a esta pílula. Eis alguns aspetos a ter em conta:

  1. No caso das mulheres que menstruam, a toma da pílula contínua pode ser iniciada nos 5 dias seguintes ao princípio da menstruação. Se iniciar a toma após esses 5 dias, então deve usar outro método contracetivo durante 7 dias.
  2. No caso das mulheres que não menstruam, e desde que tenham a certeza de que não estão grávidas, podem iniciar a toma desta pílula em qualquer altura (3).

Vantagens e desvantagens da pílula contínua

Efeitos secundários da pílula

Como qualquer outro contracetivo, o uso da pílula contínua tem vantagens e desvantagens (2).

Algumas das suas vantagens são:

  1. Ser eficaz, desde que tomada de forma regular.
  2. Ser uma alternativa para as mulheres para quem os estrogénios estão contra-indicados.
  3. Não interferir na quantidade ou na qualidade do leite produzido, durante a amamentação.
  4. Poder ajudar a prevenir problemas de saúde como a doença fibroquística da mama, a doença inflamatória pélvica e os cancros do ovário e do endométrio.
  5. Reduzir o risco tromboembólico.
  6. Diminuir o efeito metabólico.
  7. Não comprometer a fertilidade.

Quanto às desvantagens, elas prendem-se essencialmente com o facto de:

  1. Só ser eficaz, se houver uma toma diária, num horário regular.
  2. Não proteger das doenças sexualmente transmissíveis, como a SIDA ou a Hepatite B.
  3. Poder causar irregularidades no ciclo menstrual ou mesmo amenorreia;
  4. Se se esquecer de tomar a pílula, isso aumenta mais o risco de engravidar, do que acontece se se esquecer de tomar uma pílula oral combinada;
  5. Causar mastodinia e tensão mamária;
  6. Contribuir para o aumento de peso;
  7. Provocar acne;
  8. Suscitar alterações de humor.

Quem deve tomar a pílula contínua?

Mulher com botija na barriga por causa das dores menstruais

Apesar da pílula contínua poder ser tomada por qualquer mulher, há situações onde ela é particularmente recomendada, a saber (2, 4):

Avaliação Vida Ativa: Verdadeiro

Sim, a toma da pílula contínua ou pílula só com progestativo é eficaz e segura para a saúde da mulher.

Ainda que possa ser mais “sensível” aos esquecimentos e à hora de toma do que os contracetivos orais combinados, a verdade é que se houver uma toma diária e regular da pílula contínua, ela revela-se eficaz enquanto método contracetivo.

No que respeita à sua segurança para a saúde da mulher, e apesar de ser comum ela causar ciclos menstruais irregulares ou mesmo amenorreia, a realidade é que este efeito secundário não põe em causa o bem-estar da mulher, muito menos a sua fertilidade.

Logo, achar que, por poder provocar amenorreia, a pílula contínua contribui para a infertilidade ou para outros problemas de saúde é, simplesmente, um mito.

A amenorreia pode acontecer sempre que o contracetivo oral utilizado não tem estrogénios ou possui uma baixa dosagem destes, sendo um efeito secundário normal e sem consequências graves para a saúde (5).

Estas alterações no ciclo menstrual não são prejudiciais, a menos que perturbem o bem-estar psicológico e a segurança, auto-estima e auto-confiança da mulher.

Veja também