Beatriz Santos
Beatriz Santos
31 Ago, 2020 - 10:20

Sétimo mês de gravidez: chegamos ao último trimestre de gravidez

Beatriz Santos

O sétimo mês de gravidez é o início do último trimestre e, com este início, começam os maiores desconfortos.

Sétimo mês de gravidez

Entramos no terceiro e último trimestre da gravidez, a reta final de um sonho tão desejado. O sétimo mês de gravidez engloba da 27ª à 30ª semana de gestação e, infelizmente, é quando começa a tornar-se desagradável e aborrecido estar grávida, pois a mulher passa grande parte do tempo cansada e as dores de costas são mais intensas e constantes, bem como outros sintomas.

Nesta fase a mulher pode ficar apreensiva com várias situações, mas principalmente com o medo de entrar em trabalho de parto e ter um parto prematuro.

EXAMES A FAZER NO SÉTIMO MÊS GRAVIDEZ

Mulher grávida a observar ecografia

Neste mês é quando deve realizar a ecografia do terceiro trimestre. Este exame deve ser realizado entre as 30 e as 32 semanas, e continua a ser tão importante quanto as duas ecografias anteriores.

A ecografia do terceiro trimestre permite:

  • Avaliar o crescimento do bebé
  • Determinar o percentil de crescimento do feto
  • Avaliar o volume de líquido amniótico
  • Verificar a posição do bebé, ou seja, se está de cabeça para baixo (em apresentação cefálica) ou sentado (apresentação pélvica)
  • Confirmar a localização da placenta
  • Procurar malformações fetais que se manifestam apenas nesta idade gestacional
  • Medir o colo do útero
  • Observar a dinâmica fetal
  • Realizar a fluxometria do cordão umbilical e do feto (avaliação da circulação placentar e fetal)

ALTERAÇÕES HORMONAIS E FÍSICAS NO SÉTIMO MÊS DE GRAVIDEZ

1.

Mudanças hormonais

Nesta fase, a maior mudança hormonal que pode afetar a gravidez de algumas mulheres, é o facto das hormonas poderem dificultar a produção e utilização da insulina, podendo originar diabetes gestacional.

2.

Mudanças físicas

O parto está cada vez mais próximo e o corpo da gestante vai-se modificando para se preparar para esse momento. As mudanças físicas mais comuns no corpo materno este mês são:

  • Leucorreia (corrimento vaginal), bem como incontinência urinária, sendo que ambas as situações podem causar uma infeção
  • Barriga cada vez maior, no entanto, devido ao crescimento do bebé, o espaço começa a ficar apertado no útero, o que pode levar a que o bebé não se mexa tanto. Porém, ainda deverá sentir alguns movimentos diariamente
  • Dor nas costas
  • A pressão do útero sobre a parte inferior das costas pode provocar dor ciática, uma dor tipo choque elétrico, que se pode prolongar pelas pernas
  • Fadiga: o coração bate mais depressa para bombear o sangue até à placenta. Por esse motivo, é normal sentir cansaço e por vezes dificuldade em respirar
  • Os seios aumentam de tamanho e o mamilo fica mais escuro. Pode surgir colostro quando mexe no mamilo
  • Edema das mãos e pés
  • Azia
  • Estrias
  • Prurido: para melhorar este sintoma, colocar em movimentos circulares óleos ricos em vitamina E ou cremes hidratantes suaves e tomar banho com água morna, pois a água muito quente seca a pele
  • Cãibras nas pernas e pés, devido à quantidade insuficiente de ferro no sangue
  • Alterações de humor
  • Insónia
  • Contrações de Braxton Hicks ou as falsas contrações de parto, que acontecem no útero e região abdominal, fazendo com que a barriga fique dura durante uns momentos e depois relaxada. Distinguem-se das contrações de parto por não serem dolorosas, são irregulares e esporádicas, mas poder tornar-se desconfortáveis para a mulher
  • Ansiedade, considerando que o parto se está a aproximar. A preocupação pelo que irá acontecer pode refletir-se também na qualidade do sono
  • Saída do rolhão mucoso: o corpo começa a dar sinais do trabalho de parto, como a saída do rolhão mucoso, que pode começar a sair dias ou meses antes do grande dia

EVOLUÇÃO DO BEBÉ NO SÉTIMO MÊS DE GRAVIDEZ

Grávida a preparar enxoval do bebé

O feto nesta altura já está praticamente apto a sobreviver caso ocorra o parto, apenas os pulmões apresentam um desenvolvimento ainda imaturo, pelo que, no caso de um parto prematuro, o bebé teria de passar um tempo na neonatologia até esta questão estar resolvida.

O sétimo mês é o período em que ocorrem as seguintes mudanças fetais:

  1. O feto começa a descer em direção ao útero, preparando-se para a parto. Mas não se preocupe, o crânio do feto continua “flexível” para que o bebé consiga passar pelo canal vaginal.
  2. Os ossos ficam mais rígidos.
  3. Devido à acumulação de gordura, a pele encontra-se menos transparente e mais pálida;
  4. Apesar dos pelos e cabelos se continuarem a desenvolver, estes ainda não são os definitivos e caem entre os 2 e 6 meses de vida.
  5. O feto já consegue abrir e fechar os olhos, bem como ter uma perceção à luz.
  6. As papilas gustativas estão formadas, o que torna possível que o feto com 7 meses já seja capaz de distinguir entre o sabor doce e salgado.
  7. No caso dos meninos, é neste período em que os testículos costumam descer.
  8. A estrutura do sistema respiratório está agora completa, mas ainda imatura.

No final deste mês o peso do feto varia entre 1 kg e 1,3 kg e o tamanho pode variar entre 37 e 40 cm.

DICAS E CUIDADOS A TER NO SÉTIMO MÊS DE GRAVIDEZ

Grávida deitada na cama a descansar
1.

Descanse bastante

Acredite que depois do bebé nascer, os primeiros meses de adaptação poderão ser extremamente exaustivos física e psicologicamente para ambos os pais.

2.

Prepare o enxoval do bebé

Esta é uma atividade que quase todas as mães têm o maior prazer em realizar, afinal as peças de roupa de bebé são tão perfeitas que dá vontade de perder a cabeça e trazer tudo o que existe na loja. No entanto, é importante pensar nos básicos e nos essenciais para os primeiros tempos. Se sentir que está perdida, não desespere; existem muitas listas na internet que pode recorrer para ter uma noção do que realmente precisa.

Para simplificar, divida tudo o que precisa em secções diferentes: roupas, roupa de cama e atoalhados, higiene, alimentação, acessórios e produtos para a mamã. Não se esqueça que nos primeiros tempos os bebés precisam, essencialmente, é de conforto. Além disso, não se esqueça que as crianças crescem rapidamente e, como tal, não precisa de gastar muito dinheiro em roupa, até porque possivelmente irá receber presentes de familiares e amigos.

Para evitar receber artigos repetidos crie uma lista de prendas para o seu bebé.

3.

Prepare a mala de maternidade

O mais tardar até à 32ª semana, deve conter na mala de maternidade tudo o que é necessário para si e para o seu filho para os três primeiros dias pós-parto, período provável de internamento.

Algumas maternidades, geralmente as privadas, têm disponíveis alguns produtos, nomeadamente de higiene para mãe e bebé e outros itens como fraldas descartáveis. Informe-se antecipadamente junto do serviço onde planeia ter o seu bebé.

4.

Injeção de imunoglobulina Rh

Na 28ª semana, caso a gestante seja Rh negativo, é importante que receba uma injeção de imunoglobulina Rh, a fim de prevenir a eritroblastose fetal nesta e em futuras gestações, caso se trate de bebé Rh positivo.

POSSÍVEIS COMPLICAÇÕES NO SÉTIMO MÊS DE GRAVIDEZ

1. Diabetes gestacional

Ocorre quando, durante a gravidez, a mulher apresenta hiperglicemia (níveis elevados de açúcar no sangue).

Esta situação nem sempre é fácil de identificar, uma vez que geralmente não causa sintomas. Por isso, é preciso fazer exames periódicos durante toda a gravidez, principalmente entre as semanas 24 e 28.

A sintomatologia associada é:

  • Aumento da sede
  • Aumento da micção (vontade de urinar)
  • Aumento da fome
  • Visão turva

No entanto, a própria gravidez causa essas sensações na maioria das mulheres, pelo que os sintomas nem sempre significam que a mulher tenha diabetes. O diagnóstico desta situação ocorre geralmente entre a 24ª e 28ª semanas de gravidez, quando a resistência à insulina começa.

O tratamento da diabetes passa por um conjunto de mudanças no estilo de vida da gestante, tais como:

  •  Monitorizar o nível de açúcar no sangue
  • Fazer uma dieta saudável
  • Praticar atividade física regular
  • Poderá ser necessária medicação oral ou insulina através de injeções

A diabetes gestacional é uma complicação que dever ser monitorizada de perto e regularmente, de forma a prevenir um conjunto de complicações, como:

  • Peso excessivo do feto ao nascer
  • Parto prematuro
  • Síndrome do desconforto respiratório
  • Hipoglicémia fetal logo após o nascimento
  • Diabetes tipo 2 fetal no decorrer da vida
  • Morte fetal antes ou após o parto
  • Pressão arterial elevada e pré-eclâmpsia na mãe
  • Diabetes no futuro na mãe

2. Parto prematuro (antes das 37 semanas)

Podem considerar-se alguns sintomas que antecedem o parto, pelo que se aconselha que os tenha em atenção de forma a saber reconhecê-los e dirigir-se ao hospital rapidamente:

  • Dor nas costas
  • Perda do rolhão mucoso, um muco com um pouco de sangue, que bloqueia o colo do útero. Porém, a sua perda pode ocorrer cerca de 2 semanas antes do dia do parto ou horas antes
  • Rutura das membranas
  • Sensação de alívio ao respirar: acontece quando a cabeça do bebé se encaixa na pélvis e o feto desce, aliviando a pressão sobre as costelas e pulmões maternos
  • Urina rosada

ALIMENTAÇÃO NO SÉTIMO MÊS DE GRAVIDEZ

Grávida a comer salada

Durante o sétimo mês é normal que retorne a azia e a má disposição. Para reduzir os efeitos da azia, tente fracionar ao máximo as suas refeições, comendo mais vezes ao dia, mas em menor quantidade. Procure ainda evitar alimentos muito condimentados e gordurosos.

Para além destes cuidados, reforce a ingestão de alimentos ricos em vitamina A para promover um adequado desenvolvimento da pele e olhos do bebé. Legumes e fruta de cor laranja ou amarela e batata-doce são algumas das opções.

DICAS ESSENCIAIS PARA A ALIMENTAÇÃO DURANTE A GRAVIDEZ

  1. Garantir a ingestão diária de cereais complexos, vegetais, fruta e consumir diferentes fontes de proteína, nomeadamente carne, peixe, ovos, soja e outras leguminosas.
  2. Optar por laticínios ultrapasteurizados para evitar toxinfeções alimentares.
  3. A alimentação deve ser distribuída por várias refeições ao longo do dia e deve evitar estar mais de 3 horas sem comer.
  4. Evitar o consumo de alimentos com grande quantidade de gordura e fazer confeções simples como cozidos, grelhados, assados e estufados.
  5. Manter-se hidratada: beba entre 2-3 litros de água por dia.
  6. Optar por alimentos da época, com o menor grau de processamento possível.
  7. Evitar ao máximo o consumo de lacticínios não pasteurizados, enchidos e e fumados, queijos frescos e mal curados, marisco e peixe cru, peixes como espadarte, tamboril ou tintureira, e patês.
  8. Garantir sempre que os legumes e frutas são muito bem lavados.
  9. Evitar o consumo de salgados e adição de sal às refeições.

GESTÃO DE PESO NO SÉTIMO MÊS DE GRAVIDEZ E NECESSIDADES NUTRICIONAIS

Grávida a pesar-se numa balança

O ganho de peso no terceiro trimestre da gravidez deverá ser o mais significativo, devido ao acentuado desenvolvimento do bebé nesta fase.

Neste caso, e ainda que as necessidades energéticas diárias possam variar muito entre mulheres grávidas, preconiza-se um aumento da ingestão energética em cerca de 450 kcal, além das 2000 kcal recomendadas diariamente.

Neste trimestre, o ganho de peso não deverá ultrapassar os 5-6 Kg, sendo que uma parte significativa do aumento de peso deve ser devido ao bebé e não ao aumento de massa gorda.

De uma forma mais exata, durante o sétimo mês o aumento de peso numa mulher normoponderal deverá rondar os 0,4 kg / semana, enquanto que numa mulher com baixo peso deverá ser de 0,5 kg / semana e numa mulher com excesso de peso de 0,3 kg / semana.

No caso de uma gravidez de gémeos, o aumento de peso neste mês deverá rondar os 0,7 kg / semana.

O EXERCÍCIO FÍSICO DURANTE A GRAVIDEZ

Cada fase da gravidez obriga a cuidados especiais, havendo, por conseguinte, exercícios que poderão ou não ser realizados. Linhas gerais, à medida que a gravidez avança, os cuidados terão de ser redobrados, e deverá ser dada atenção a outros grupos musculares mais específicos e por vezes negligenciados.

Serão aqui apresentados guidelines gerais, que deverão ser avaliados caso a caso, consoante a experiência de treino da grávida, bem como a existência (ou não) de alguma limitação física prévia.

Relativamente a contraindicações, estas dividem-se em 2 categorias principais: relativas e absolutas.

Contraindicações relativas

  • Gestação múltipla após 28 semanas
  • Anemia (Hemoglobina menor que 100g/l)
  • Doença da Tiroide
  • Fadiga extrema
  • Dores musculares extremas
  • Tonturas e dores de cabeça
  • Contractilidade uterina que dure várias horas após o exercício
  • Obesidade excessiva ou baixo peso extremo
  • História Clínica Anterior de aborto espontâneo

Contraindicações absolutas

  • Incompetência cervico-ístmica
  • Placenta prévia após as 28s de gestação
  • Sangramento vaginal persistente ao longo do segundo/terceiro trimestre
  • Rutura de bolsa / bolsa rota
  • Crescimento intrauterino retardado ou macrossomia
  • Gravidezes múltiplas (maior ou igual a 3)
  • Doença cardíaca (conhecida geralmente antes da gravidez
    miocardiopatia ativa, insuficiência cardíaca, arritmias)
  • Doença Pulmonar (conhecida antes da gravidez), Embolia pulmonar recente
  • Hipertensão gestacional, pré-eclampsia
  • Tromboflebite
  • Doença infeciosa aguda
  • Realização recente de amniocentese
  • História de abortos de repetição
  • Gestante sem assistência pré-natal

O EXERCÍCIO FÍSICO DURANTE O SÉTIMO MÊS DE GRAVIDEZ

Grávida a fazer exercício de ponte de glúteos

A partir deste trimestre, devem-se fazer apenas exercícios estáveis que não envolvam equilíbrio, movimentos rápidos, saltos, levantamento de peso, flexão ou extensão profunda, bem como jogos com bolas que possam causar traumas abdominais.

1. Agachamento peso corporal ou TRX

Em termos de treino de força, pode-se continuar a fazer agachamentos, usando o TRX para conferir algum suporte, sendo importante este movimento para fortalecer as coxas e glúteos.

2. Lunge peso corporal

– Execução –

  1. Colocando as mãos na bacia ou agarrando em 2 halteres leves, posicione-se de forma a ter uma perna à frente e outra atrás;
  2. Desça até formar um ângulo de 90º nos joelhos e regresse à posição inicial;
  3. Faça 10 repetições para cada lado.

3. Tricep francês

– Execução –

  1. Sentada num banco, agarre num halter com os braços esticados e lentamente dobre o braço, mantendo o resto do braço imóvel e inspirando em simultâneo;
  2. De seguida expire e ao mesmo tempo que estica o braço até à posição inicial.

4. Exercícios de Kegel

Os exercícios de Kegel servem para combater a perda involuntária de urina, pois tonificam e fortalecem o músculo chamado períneo, localizado no soalho pélvico.

Estes exercícios servem para prevenir ou combater problemas, como incontinência urinária, que são muito frequentes neste período devido ao crescimento do útero e do alongamento do períneo durante a fase de dilatação do parto normal, sendo também úteis para facilitar a saída do bebé.

5. Prancha lateral

– Execução –

  1. Deitada de lado no chão na lateral, coloque o cotovelo debaixo do ombro;
  2. Junte as pernas e coloque a perna mais acima diretamente por cima da outra;
  3. Estenda as pernas, mantendo todo o corpo alinhado lateralmente;
  4. Levante o corpo para cima até que fique numa posição reta com o apoio do antebraço e lateral do pé. Mantenha-se em isometria nessa posição. Para o caso de querer uma vertente mais fácil, opte por manter as pernas no chão, retirando apenas a bacia do mesmo.
Veja também