Farmacêutica Cátia Rocha
Farmacêutica Cátia Rocha
28 Fev, 2018 - 16:48

Doenças da tiróide: quais as mais comuns?

Farmacêutica Cátia Rocha

As doenças da tiróide mais comuns são os nódulos, o hipotiroidismo (produção insuficiente de hormonas) e o hipertiroidismo  (produção excessiva de hormonas). Afetam sobretudo as mulheres (80%) a partir dos 35 anos. São muitas vezes silenciosas e com sintomas inespecíficos, atrasando o início do tratamento e o seu sucesso.

Doenças da tiróide: quais as mais comuns?
O artigo continua após o anúncio

As causas exatas das doenças da tiróide não estão ainda totalmente esclarecidas, mas pensa-se estarem relacionadas com as seguintes:

  • Fatores genéticos (familiares);
  • Fatores geográficos (mais comum em zonas interiores, afastadas do mar);
  • Fatores alimentares (consumo de iodo).

O que é a tiróide?

doencas da tiroide e tiroide

A tiróide é uma glândula endócrina, localizada na região anterior do pescoço, à frente da traqueia e por baixo da cartilagem cricóide (maçã-de-Adão).

É formada por dois lóbulos, unidos na parte central (istmo), assemelhando-se à forma de uma borboleta. Nas pessoas sem doença tiroideia a glândula não é visível e dificilmente palpável.

A tiróide produz e liberta na circulação sanguínea várias hormonas, sendo as mais importantes a triiodotironina (T3) e tiroxina (T4), com funções essenciais no organismo, nomeadamente o crescimento e regulação do metabolismo em geral.

Em Portugal, as doenças da tiróide afetam cerca de 4% da população. Aumentam com a idade e são 10 vezes mais frequentes nas mulheres do que nos homens.

QUAIS SÃO AS PRINCIPAIS DOENÇAS DA TIRÓIDE?

Há dois grandes grupos de doenças da tiróide.

Aquele em que a tiróide funciona mal (demais no caso do hipertiroidismo ou défice no caso do hipotiroidismo) e, aquele em que a tiróide cresce de forma desordenada com a possibilidade de surgirem nódulos.

HIPOTIROIDISMO

hipotiroidismo

O hipotiroidismo resulta da falta das hormonas tiroideias condicionando uma diminuição generalizada do metabolismo.
Na maior parte das vezes tem origem no mau funcionamento da tiróide.

A causa mais comum é a Tiroidite de Hashimoto onde o organismo produz anticorpos contra a própria tiróide, prejudicando o seu normal funcionamento.

O artigo continua após o anúncio

Outras causas incluem a cirurgia à tiróide, terapia com iodo radioativo e medicamentos que alteram a produção das hormonas da tiróide.

Os sinais e sintomas do hipotiroidismo incluem:

  • Fraqueza muscular;
  • Intolerância ao frio;
  • Prisão de ventre (obstipação);
  • Queda de cabelo e pêlos;
  • Entre outras.

O tratamento do hipotiroidismo consiste na reposição hormonal. A dose é ajustada frequentemente através de doseamentos periódicos no sangue.

HIPERTIROIDISMO

O hipertiroidismo define-se como uma perturbação em que a glândula tiróide está hiperativa. O excesso das hormonas da tiróide origina um aumento do metabolismo, responsável por muitos dos sintomas e sinais de diferentes graus e gravidade:

  • Ansiedade, alterações de humor, irritabilidade;
  • Cansaço;
  • Dispneia (falta de ar);
  • Intolerância ao calor;
  • Diarreia;
  • Bócio (aumento do tamanho da tiróide).

Surge mais nas mulheres e são múltiplas as causas de hipertiroidismo. A mais frequente é uma doença autoimune conhecida por bócio difuso tóxico ou Doença de Graves.

Existem vários tratamentos possíveis: medicamentos (antitiroideus), cirurgia ou irradiações (iodo radioativo), que têm por objetivo diminuir a quantidade de hormonas tiroideias em circulação.

Alguns doentes necessitam de cirurgia para remoção parcial ou total da glândula tiróide, sobretudo quando temos aumentos muito marcados do volume (bócio) ou quando não é possível realizar outros tratamentos.

NÓDULOS

nodulos na tiroide

Manifestam-se, normalmente, através de uma saliência indolor no pescoço. Pode existir rouquidão, endurecimento e presença de gânglios aumentados no pescoço.

O artigo continua após o anúncio

Os nódulos com menos de um centímetro não têm significado clínico. A partir desse limite, os doentes devem ser referenciados ao endocrinologista e vigiados regularmente pelos clínicos gerais.

Apesar de a maioria dos nódulos serem benignos, são diagnosticados cerca de 400 casos de cancro da tiróide por ano.

Em 90% dos casos, este tipo de cancro tem um bom prognóstico, pois a cirurgia é, na maior parte das vezes, curativa, não causa dor nem incapacidade.

Veja também: