Enfermeira Isabel Silva
Enfermeira Isabel Silva
30 Out, 2017 - 18:10

Conheça as 7 doenças mais comuns no infantário

Enfermeira Isabel Silva

Com a entrada no infantário a criança fica exposta a novos vírus e bactérias. No entanto, as doenças mais comuns no infantário são normalmente ligeiras e não acarretam problemas de maior.

Conheça as 7 doenças mais comuns no infantário
O artigo continua após o anúncio

A entrada para a creche ou infantário é uma mudança radical para a criança e uma sensação de aperto no peito para a mãe. A razão desta angústia por parte das mães tem muitos motivos: a primeira vez que se vão separar durante algumas horas, a sensação de que o seu filho está a crescer muito depressa, o medo de que este não se consiga integrar e o medo de que o contacto com outras crianças possa prejudicar a sua saúde.

Esta nova fase na vida da criança é fundamental para o seu desenvolvimento físico, cognitivo e social da criança. No entanto, apesar da sua importância para o desenvolvimento da criança, esta fica mais exposta a várias doenças. As doenças mais comuns no infantário são, normalmente, ligeiras e não acarretam graves problemas. Por outro lado, isto poderá ser positivo na medida em que estimula o desenvolvimento do sistema imunitário da criança.

Selecionamos as 7 doenças mais comuns no infantário, para que os pais possam saber do que se tratam sem se alarmarem demasiado.

As doenças mais comuns no infantário

1. Constipação

doencas mais comuns no infantario e menino constipado

A constipação é uma das doenças mais comuns no infantário. Consiste na infeção das vias respiratórias superiores (nariz, garganta e cordas vocais) provocada por um vírus. Na maior parte dos casos, a constipação é ligeira sem acarretar problemas maiores.

Este problema pode afetar qualquer criança. No entanto, o risco é maior quando existem doenças respiratórias crónicas como sinusite, bronquite, asma, entre outras.

Ainda que uma criança constipada seja capaz de ir para o infantário, não o deve fazer, para evitar o contágio.

2. Amigdalite

menina no medico com amigdalite

A faringite consiste na infeção das vias aéreas superiores, nomeadamente na faringe. Esta infeção pode ser provocada por vírus ou bactérias e normalmente surge associada a uma constipação ou gripe. Os seus sintomas incluem febre, dor de garganta e dificuldade em engolir.

Nas crianças e adolescentes entre os 5 e os 15 anos, a faringite estreptocócica é a mais comum, sendo rara em crianças com idade inferior a 3 anos. Quando a infeção se propaga para as amigdalas, estamos perante uma amigdalite.

A amidalite é uma doença contagiosa e que se transmite pelos espirros ou tosse. Uma criança com amigdalite pode ir à escola, desde que se sinta bem e não tenha febre. No caso de amigdalite bacteriana a criança só deve voltar para o infantário 24 horas após a primeira toma do antibiótico.

O artigo continua após o anúncio

3. Gastroenterite

bebe com dores de barriga

A gastroenterite consiste na inflamação da mucosa do estômago e do intestino. É uma doença normalmente comum durante os primeiros anos de vida. Os seus sintomas são diarreia e vómitos persistentes, desidratação e febre alta.

A origem da gastroenterite é, na maior parte dos casos, viral sendo que o principal causador é o rotavírus. É geralmente benigna tendo uma duração de aproximadamente 4 a 5 dias. Durante este período a criança não deve ir à escola até que esteja completamente recuperada.

4. Otite externa

menina com dor forte no ouvido

Esta doença consiste na infeção da pele que recobre o canal auditivo a partir do pavilhão auricular até ao tímpano. A otite externa é causada por bactérias. Os seus sintomas incluem dor, comichão e dificuldade auditiva.

Este problema pode agravar-se quando o canal auditivo tem alguma lesão (devido ao uso de cotonetes, por exemplo), quando está frequentemente molhada (no caso de crianças que frequentam a piscina ou não secam bem as orelhas depois do banho) ou quando há a produção de pouco cerúmen (ajuda na proteção do canal contra agentes infecciosos).

Esta doença não apresenta risco de contágio, pelo que a criança pode ir para o infantário. Contudo, para conforto da mesma, é recomendado que esta permaneça em casa até à sua recuperação.

5. Laringite

menina com laringite no pediatra

A laringite consiste na infeção da laringe. É uma doença provocada por uma grande variedade de vírus: adenovírus, influeza A e B, parainfluenza, enterovírus, vírus sincícial respiratório, entre outros. Apresenta sintomas como febre, rouquidão, coriza, tosse seca e pieira.

Devido ao risco de contágio a criança só deve regressar ao infantário quando já não tiver tosse e apenas 24 horas após a cessação da febre.

6. Otite média

bebe com febre

Consiste na infeção do ouvido médio (região do ouvido imediatamente a seguir ao tímpano. É uma doença provocada por bactérias. Tem como sintomas dor no ouvido, dificuldade auditiva e febre alta.

O artigo continua após o anúncio

A criança com otite média pode ir ao infantário, pois não apresenta risco de contágio. No entanto, devido ao desconforto que a doença provoca, é recomendado que esta permaneça em casa até à remissão dos sintomas.

7. Gastrite

menina com gastrite

A gastrite é uma doença infecciosa que é provocada pela bactéria Helicobacter pylori. É uma doença que provoca dor abdominal, náuseas, vómitos e consequente perda de peso.

A criança pode frequentar o infantário desde que sinta confortável. No entanto, devido ao desconforto que a doença provoca, é recomendado que esta permaneça em casa até à remissão dos sintomas.

Normalmente, as doenças mais comuns no infantário são benignas e de tratamento simples. No entanto, os pais devem sempre aconselhar-se com o médico assistente ou pediatra antes de medicar os seus filhos.

Veja também: