Nutricionista Hugo Canelas
Nutricionista Hugo Canelas
12 Ago, 2022 - 09:05

Cafeína na queima de gordura: é eficaz?

Nutricionista Hugo Canelas

Talvez esteja curioso sobre o efeito da cafeína na queima de gordura. Funciona mesmo? Avisamos: para perda de peso, os efeitos são outros.

Cafeína na queima de gordura

A ideia do efeito da cafeína na queima de gordura já é antiga, remontando aos anos 70. No entanto, e embora seja um efeito amplamente aceite, os resultados dos vários estudos realizados neste âmbito são muito variados. Foi publicado um estudo que vem confirmar que a cafeína aumenta a taxa de oxidação da gordura.

A análise revela que a cafeína aumenta a taxa de oxidação de gordura em cerca de 27%. Mas terão estes resultados alguma aplicabilidade prática nas estratégias de perda de peso? Fique a saber a resposta neste artigo.

Cafeína na queima de gordura: como funciona?

Mulher a tomar café antes do treino

Os ácidos gordos são armazenados em vários tecidos, mas encontram-se maioritariamente no tecido adiposo. Em caso de necessidade, estas moléculas são mobilizadas das reservas e transportadas para o músculo, ficando, assim, disponíveis para utilizar durante o exercício físico.

Este aumento das concentrações de ácidos gordos no sangue pode traduzir-se – nem todos os autores concordam neste ponto – num aumento da sua oxidação, ou seja, quanto mais gordura é mobilizada, mais é queimada.

Importa salientar que a cafeina nada tem a ver com a libertação de ácidos gordos para a corrente sanguínea mas antes com o aumento da sua “queima” e apenas neste sentido é que o efeito estimulante deste composto pode estar envolvido no metabolismo dos ácidos gordos.

https://www.vidaativa.pt/a/suplementos-termogenicos-o-que-sao/
Veja também Suplementos termogénicos: uma opção que realmente funciona?

Em que casos a cafeína pode ajudar na queima de gordura?

Mulher a fazer treino de HIIT

Os autores do estudo, que é de 2020, concluíram que a ingestão de 3 mg/kg de cafeína (cerca de 2 a 3 cafés cheios para um adulto de 70 kg) antes de uma sessão de treino de intensidade baixa a moderada, durante 60 minutos, aumenta a queima de gordura em cerca de 27%.

Contudo, os autores relataram que não houve diferenças no nível de metabolismo basal após o consumo da cafeína. No que diz respeito à taxa de oxidação de gordura, estes são resultados impressionantes. Contudo, e embora o estudo esteja bem desenhado, estes dados levantam algumas questões.

Em primeiro lugar, e como dito anteriormente, o potencial da cafeína na queima de gordura não é uma descoberta nova. Embora muitos outros estudos o tenham demonstrado anteriormente, outros não obtiveram os mesmos resultados. Ao que parece, a principal diferença entre os estudos está na intensidade de exercício utilizada.

Um outro estudo dos mesmos autores mostrou que o efeito da cafeína na oxidação de gordura verificava-se em intensidades de exercício baixas a moderadas (50% VO2max), mas não em intensidades superiores (superior a 80% VO2max).

Em segundo lugar, outros fatores relacionados com os participantes podem influenciar os resultados, como o nível de treino, a duração das sessões e mesmo o controlo da dieta antes da realização dos testes.

Neste sentido, importa informar que o estudo em questão foi realizado com os participantes em jejum, período em que a queima de gordura é naturalmente mais elevada. Esta escolha de timing pode explicar os níveis elevados de gordura consumidos durante a experiência.

Cafeína na queima de gordura: ajuda mesmo na perda de peso?

mulher a pesar-se na balança

Efetivamente, a cafeína parece não ser muito eficaz na perda de peso a longo prazo, pura e simplesmente porque, com o tempo, é desenvolvida uma tolerância a este composto.

Embora a cafeína possa efetivamente aumentar a oxidação de ácidos gordos, a libertação de gordura para a corrente sanguínea apenas é significativa em casos em que o balanço energético é negativo, ou seja, consumir menos e gastar mais calorias do que as que ingere.

Como os autores puderam verificar – e ao contrário de outros estudos – a cafeína não aumentou o metabolismo basal, o que quer dizer que, para perder peso, deverá sempre restringir a ingestão calórica.

Quem consome cafeína para a perda de peso ou para a redução da gordura corporal, deve estar também preparado para os efeitos secundários como ansiedade, insónias e problemas gastrointestinais.

Por fim, mesmo neste estudo em que os efeitos da cafeína na queima de gordura são bastante pronunciados, estamos a falar de uma diferença de 5 g de gordura por hora de treino, ou seja, nesta linha de raciocínio, para perder cerca de 1 kg de massa gorda teria que se exercitar durante 200 horas.

Conclusão

Em linha com trabalhos anteriores, pode-se concluir que sim, a cafeína aumenta a queima de gordura, mas apenas em situações específicas, como a intensidade da sessão de treino, nível de treino e ingestão prévia de alimentos. No entanto, embora interessantes, os resultados desta pesquisa não parecem suficientemente importantes para a perda significativa de peso.

Veja também