Nutricionista Luís Cristino
Nutricionista Luís Cristino
27 Mar, 2020 - 08:00

Existe necessidade de tomar suplementos vitamínicos no desporto?

Nutricionista Luís Cristino

A suplementação em vitaminas é prática comum. No entanto, fará sentido tomar suplementos vitamínicos no desporto quando não existe necessidade?

suplementos vitaminicos no desporto

O uso de suplementos vitamínicos e minerais, sejam eles de forma isolada ou na forma de multivitamínicos, é uma prática comum observada na população geral, mesmo sem a presença de défices nutricionais relativos a uma ou mais vitaminas.

Entre várias alegações referidas por quem toma este tipo de suplementos nutricionais, destacam-se a otimização e a manutenção do estado de saúde. No entanto, fará sentido tomar suplementos vitamínicos no desporto quando não existem necessidades aumentadas ou défices?

A evidência atual tem demonstrado que o uso destes suplementos poderá não estar associado com melhorias no estado de saúde em indivíduos saudáveis e que não apresentem défices nutricionais, podendo inclusive causar prejuízos, devido à toma de doses muito superiores à dose diária recomendada (DDR) (1).

Quando ocorre a toma de doses elevadas de determinada(s) vitamina(s) ou mineral(ais) poderá ocorrer interações adversas entre nutriente-nutriente, assim como atingir o valor para o qual o micronutriente é tóxico para o organismo.

Existe necessidade de tomar suplementos vitamínicos no desporto?

Suplementos vitamínicos no desporto: vitaminas e minerais

No caso dos atletas, embora possa existir uma necessidade aumentada de vitaminas e minerais em praticantes de exercício físico, esta poderá ser suprimida unicamente com uma alimentação variada e equilibrada prescrita por um nutricionista, de forma a que a sua dieta seja adequada nutricionalmente às suas necessidades e à otimização da performance.

O uso de suplementos com vista o aumento da performance é controverso, apresentando evidência científica pouco clara, não existindo clareza sobre vantagens da toma de suplementos vitamínicos no desporto (1, 4).

Quando falamos em “atletas recreativos” é ainda menor a evidência apresentada para a toma deste tipo de suplementos em situações em que não exista carência em determinada vitamina ou mineral devidamente diagnosticada.  

Apenas atletas com alguma deficiência nutricional diagnosticada beneficiarão do uso de suplementação em vitaminas ou minerais. Quando necessário, a abordagem mais correta será a suplementação em determinada vitamina em detrimento de um multivitamínico. Pelo que, não existe necessidade de tomar suplementos vitamínicos no desporto de lazer, à exceção de pessoas que apresentem défices que não são suprimidos com o ajuste alimentar realizado por um nutricionista.

consultar um nutricionista para ser mais saudável
Veja também 6 motivos para consultar um nutricionista quando tem dúvidas sobre alimentação

O que são as vitaminas?

suplementos vitamínicos no desporto: vitaminas

Vitaminas são micronutrientes essenciais de que o organismo necessita em pequenas quantidades, uma vez que o organismo não tem a capacidade de sintetizar estes nutrientes em quantidades suficientes para a manutenção de todos os processos metabólicos, existindo a necessidade de os obter através da alimentação.

As vitaminas são componentes essenciais para um correto funcionamento do corpo humano, sendo necessárias para diversas funções fisiológicas e de regulação do metabolismo, tais como (1):

  • função antioxidante, diminuindo os danos causados pelas espécies reativas de oxigénio
  • modulação da transcrição dos genes
  • componentes e cofatores de enzimas componentes estruturais dos tecidos
  • metabolismo energético
  • síntese de proteínas envolvidas na coagulação sanguínea

Existem dois grupos de vitaminas, tendo em conta a sua solubilidade:

  1. As solúveis em água – vitaminas hidrossolúveis (vitaminas do complexo B e vitamina C) – por serem solúveis em água são eliminadas facilmente pela urina em caso de excesso.
  2. As solúveis em gordura – vitaminas lipossolúveis (vitamina A, D, E e K) – necessitam de gordura para serem absorvidas, sendo armazenada durante mais tempo no organismo.
Vitaminas hidrossolúveis: quais são e fontes alimentares
Veja também Vitaminas hidrossolúveis: quais são e fontes alimentares

Uma vez que através de uma alimentação variada e adequada, em situações normais, é possível garantir o aporte necessário de todas estas vitaminas, e dos minerais, necessários para a manutenção da homeostasia do corpo, geralmente não é necessário recorrer a multivitamínicos, salvo exceções em que levem a défices graves ou na presença de necessidades aumentadas (2, 3, 4).

Dadas as funções descritas, é fácil entender a importância de combater o défice de alguma vitamina ou mineral.

Vitaminas Lipossolúveis: quais são e qual a sua importância
Veja também Vitaminas lipossolúveis: quais são e qual a sua importância

Quem precisa de vitaminas?

Para a maioria das pessoas, e assumindo que são saudáveis e apresentam um consumo diário e adequado de fruta e hortícolas, a resposta a esta pergunta é ninguém (3).

O uso de multivitamínicos só deve ser considerado quando uma destas premissas existir (2):

  • para correção de deficiências devido à ingestão inadequada de micronutrientes através da dieta
  • em atletas em situações de elevada restrição energética, e consequentemente de micronutrientes (4)
  • em situações em que as necessidades em micronutrientes estão aumentadas (por exemplo, na gravidez) ou a absorção comprometida (por exemplo, doenças inflamatórias intestinas)
  • em atletas de alta competição com ciclos competitivos e de treinos muito exigentes

Fontes

  1. Jenkins, DJA et al. (2018). Supplemental Vitamins and Minerals for CVD Prevention and Treatment. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/29852980
  2. Combet, E et al. (2014). Micronutrient deficiencies, vitamin pills and nutritional supplements. Disponível em: https://www.medicinejournal.co.uk/article/S1357-3039(14)00326-0/abstract
  3. Incze, M. (2019). Vitamins and Nutritional Supplements: What Do I Need to Know? Disponível em: https://jamanetwork.com/journals/jamainternalmedicine/fullarticle/2720139
  4. Rodriguez, NR et al. (2009) American College of Sports Medicine position stand. Nutrition and athletic performance. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/19225360/
Veja também