Mónica Carvalho
Mónica Carvalho
29 Jan, 2021 - 09:33

Todos os dias morre uma mulher com cancro do colo do útero

Mónica Carvalho

Até 31 de janeiro, assinala-se a semana cancro do colo do útero e pretende-se dar destaque à importância do diagnóstico precoce.

Rastreio do cancro do colo do útero

O cancro do colo do útero é uma doença evitável e curável. Não obstante, todos os dias, em Portugal, uma mulher morre com a doença.

Os dados de 2020 dão conta de 865 mulheres diagnosticadas e 379 vítimas mortais. Já no mundo, todos os anos, cerca 300 mil mulheres perdem a vida no mundo devido ao cancro do colo do útero.

Como tal, a mensagem a reforçar na Semana Europeia de Prevenção do Cancro do Colo do Útero, que decorre entre 25 e 31 de janeiro, chama a atenção para a necessidade de realização dos rastreios e para a deteção precoce.

A Liga Portuguesa Contra o Cancro (LPCC), com o apoio da Roche – Sistemas de Diagnósticos, criou a ação “Faz o Rastreio e Alerta as Mulheres da Tua Vida” e promove ainda sessões de esclarecimento para alertar para a problemática e sensibilizar as cidadãs.

Menos rastreios em 2020

Segundo dados do Portal da Transparência citados pela LPCC, entre novembro de 2019 e novembro de 2020, “assistiu-se a uma redução de 10% no número de rastreios do cancro do colo do útero, justificada pela sobrecarga que a COVID-19 tem causado nos serviços de saúde. Mas há cuidados que não se podem adiar, sendo essencial que cada um desempenhe também um papel ativo na gestão da sua saúde.”

O cancro do colo do útero é causado pelo vírus HPV. O rastreio permite, então, a deteção e tratamento de lesões pré-cancerosas causadas pelo HPV, evitando a sua evolução para cancro.

Em Portugal, o programa nacional de rastreio destina-se a todas as mulheres dos 25 aos 60 anos e é feito com base num teste HPV: se for negativo, só precisa de ser repetido ao fim de 5 anos.

Além disso, a vacina contra o HPV faz parte do plano nacional de vacinação desde 2008, no entanto, mesmo as mulheres vacinadas devem manter a participação no rastreio.

O cancro do colo do útero é o 4º tipo de cancro mais frequente nas mulheres, mas é uma doença evitável e curável, graças aos rastreios.

Fontes

  1. Liga Portuguesa Contra o Cancro: “25 a 31 de janeiro – Semana Europeia de Prevenção do Cancro do Colo do Útero”. Disponível em: https://www.ligacontracancro.pt/noticias/detalhe/url/25-a-31-de-janeiro-semana-europeia-de-prevencao-do-cancro-do-colo-do-utero/
Veja também