Nutricionista Rita Lima
Nutricionista Rita Lima
15 Fev, 2021 - 10:03

Porque é que o leite sem lactose é doce? Nós explicamos!

Nutricionista Rita Lima

O leite sem lactose tem açúcar? O facto de ser mais doce suscita dúvidas. Saiba qual é a composição nutricional deste leite.

Leite sem lactose não tem açúcar

O leite sem lactose é, tipicamente, mais doce que o leite com lactose. Este facto pode parecer contraditório visto que a lactose é o açúcar naturalmente presente no leite. Ora se o leite sem lactose não contém este açúcar, seria de esperar tudo, menos que este leite tivesse, efetivamente um sabor doce!

Mas porque é que o leite sem lactose é mais doce? Será que o leite sem lactose tem açúcar adicionado? Ou tem algum tipo de açúcar para substituir a lactose? Esclarecemos agora as suas dúvidas.

Porque é que o leite sem lactose é mais doce?

Lacticínios causam asma: alergia ao leite

Para aumentar a digestibilidade do leite, no caso do leite sem lactose é adicionada uma enzima chamada de lactase, à sua constituição. Esta enzima tem como função decompor a lactose em dois açúcares para que são mais facilmente digeridos: a galactose e glicose.

Exemplo de lista de ingredientes do leite sem lactose

INGREDIENTES: LEITE MEIO-GORDO (ORIGEM: PORTUGAL), ENZIMA LACTASE.

A glicose e a galactose são açúcares simples fazendo com que o leite sem lactose fique mais doce. Assim, o sabor adocicado é resultado dos açúcares simples que se originaram por da ação da enzima lactase sob a lactose, e não necessariamente a adição de outros açúcares ao leite.

Como se pode constatar, a composição nutricional do leite sem lactose é muito próxima da do leite com lactose (versões naturais, sem sabores).

Leite Meio gordo (valores por 100g) (3)

Energia47 Kcal
Lípidos1,6 g
Dos quais saturados0,9 g
Hidratos de carbono4,9 g
Dos quais açúcares4,9 g
Proteína3,3 g

Leite Meio gordo sem lactose (valores por 100g) (3)

Energia58 Kcal
Lípidos1,6 g
Dos quais saturados0,9 g
Hidratos de carbono5,1 g
Dos quais açúcares4,9 g
Proteína3,3 g

A glicose e a galactose são os mesmos açúcares que irão ser originados no final da digestão no intestino delgado de uma pessoa tolerante. No caso do leite sem lactose, a enzima é adicionada antes para evitar a dificuldade de digestão da lactose.

Com o desdobramento da lactose em componentes mais simples, os sintomas provocados pela sua má digestão não se verificam.

Como se desenvolve a intolerância à lactose?

Mulher com dores de barriga

A intolerância à lactose define-se como a incapacidade total ou parcial para digerir a lactose, o açúcar presente no leite, devido, maioritariamente, à produção insuficiente da enzima lactase, responsável pela digestão deste açúcar. Esta condição leva a transtornos gastrointestinais após o seu consumo, nomeadamente diarreias, náuseas, vómitos, flatulência, entre outros (1).

Neste sentido, e devido à importância deste grupo alimentar para a maioria da população, surgiram no mercado diversas alternativas para colmatar esta necessidade, entre os quais os lacticínios (leite, queijo e iogurtes) sem lactose.

A digestão da lactose

O intestino delgado é o órgão onde ocorre a maior parte da digestão e absorção dos nutrientes, sendo também o responsável pela produção da enzima lactase.

Como o organismo não consegue absorver a lactose inteira, a lactase tem como função decompor a lactose (açúcar mais complexo – dissacarídeo) em dois açúcares mais simples (monossacarídeos), a glicose e a galactose, de modo a que estes sejam absorvidos e utilizados para produção de energia.

No entanto, para que este processo ocorra de forma eficaz é necessário produzir lactase suficiente, algo que não acontece nas pessoas com intolerância a este açúcar.

Intolerância à lactose

Neste contexto, é ainda importante referir que a produção de lactase tende a diminuir com a idade, sendo este um processo natural que ocorre como uma adaptação genética às mudanças dos hábitos alimentares, em que gradualmente se vai aumentando o consumo de alimentos sólidos em detrimento do leite.

Além disso, a modificação da composição da microbiota intestinal, derivado de hábitos alimentares menos equilibrados, parece também estar associada à diminuição da tolerância a este açúcar (2).

Quais as soluções para quem sofre de intolerância à lactose?

Mulher a comer iogurte após ter deitado fora o líquido do iogurte

Os sintomas de intolerância à lactose podem ser facilmente minimizados ou até mesmo eliminados com a redução ou eliminação da ingestão de lactose, de acordo com o grau de intolerância.

Note-se que, a maior parte das pessoas que sofre de intolerância à lactose, consegue tolerar uma dose de cerca de 6g de lactose por dia sem sofrer sintomas adversos após a sua ingestão.

Neste sentido, a primeira medida para evicção dos sintomas é a diminuição dos principais alimentos com lactose, mais precisamente o leite e, em alguns casos, os derivados e sua substituição pelas alternativas vegetais ou sem lactose.

Contudo, é importante salientar que, por norma, o queijo e os iogurtes possuem quantidades de lactose muito mais reduzidas, sendo bem tolerados por quem sofre desta condição.

Para os casos mais complicados existem medicamentos contendo a enzima lactase, que podem ser tomados em conjunto com as refeições, de modo a minimizar a sintomatologia (2).

Em suma

Como se pode constatar, a diferença do leite sem lactose reside apenas no facto de possuir o açúcar original e natural do leite, a lactose, já desdobrada nos seus componentes mais simples, de modo a ser mais facilmente absorvida pelo organismo de quem sofre de intolerância.

Por esse motivo, a sua composição nutricional é muito aproximada da versão original, não sendo mais nem menos saudável do que esta última.

É recomendado o seu consumo por quem sofre de intolerância diagnosticada a este açúcar ou outra patologia que provoque sensibilidade e mau estar após o seu consumo, de modo a manter o consumo de lacticínios, um grupo de alimentos ricos em proteína de elevado valor biológico e de vitaminas e minerais essenciais ao organismo.

As pessoas que não têm qualquer sintomatologia adversa após o consumo de leite, devem manter o consumo da sua versão original, pois não advém nenhum benefício da sua alteração para a versão sem lactose (2).

Fontes

  1. Mayo Clinic, nd. “Lactose Intolerance”. Disponível em: https://www.mayoclinic.org/diseases-conditions/lactose-intolerance/symptoms-causes/syc-20374232
  2. Yanyong Deng et al, 2015. “Lactose Intolerance in Adults: Biological Mechanism and Dietary Management”. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4586575/
  3. Tabela de Composição de Alimentos Portuguesa, 2019. Disponível em: http://portfir.insa.pt/#
Veja também