Nutricionista Hugo Canelas
Nutricionista Hugo Canelas
21 Out, 2020 - 18:50

Toma medicação regular? Conheça as possíveis interações alimento-medicamento

Nutricionista Hugo Canelas

As interações alimento-medicamento são comuns e podem ser determinantes na eficácia do tratamento.

Interações alimento-medicamento

Os medicamentos são usados no tratamento de várias doenças devendo ser corretamente tomados no sentido de garantir a sua segurança e eficácia terapêutica.

De facto, muitos medicamentos podem interagir diretamente com alimentos ou nutrientes específicos, havendo situações em que os seus efeitos são potenciados ou cortados.

Neste artigo, fique a conhecer as principais interações alimento-medicamento e como as evitar.

as interações alimento/nutriente-medicamento mais comuns

1

Sumos de fruta e psicotrópicos

Dois copos de vidro com sumo de toranja

De entre todos os sumos de fruta, o de toranja é o que apresenta maior número de interações com vários tipos de fármacos. Neste caso específico, o sumo de toranja modifica a forma como o organismo metaboliza os medicamentos, afetando a capacidade do fígado para distribuir os fármacos pelo corpo.

O sumo de toranja é geralmente contraindicado em doentes que façam psicotrópicos, como o talinolol (1).

A presença alguns bioflavonoides reduz a biodisponibilidade oral de medicamentos como a fexofenadina (2). Outros flavonoides presentes no sumo de toranja podem interferir com a ação de grande parte dos antagonistas dos canais de cálcio e medicamentos para controlo da pressão arterial, como o enalapril, e do colesterol, como a lovastatina (3).

No caso da ciprofloxacina, um antibiótico, demostrou-se que a sua absorção pode ser altamente influenciada pela co-ingestão com sumo de toranja e, neste sentido, é altamente desaconselhado o consumo deste alimento durante a fase terapêutica de forma a evitar insucessos e resistência a bactérias (4, 5). 

2

Alimentos ricos em fibras e hipocolesterolemiantes

Variedade de alimentos ricos em fibras

O efeito terapêutico de alguns fármacos para controlo do colesterol como as estatinas (sinvastatina, pravastatina, lovastatina e fluvastatina) e o ezetimibe pode ser alterado por uma dieta rica em fibras (4).

A ingestão de alimentos com as estatinas pode alterar a farmacocinética e farmacodinâmica dos medicamentos, aumentando o risco de reações adversas como miopatia e rabdomiólise.

Assim, é recomendado que no momento da toma da medicação não sejam ingeridos alimentos ricos em fibras.

3

Vitamina K e varfarina

Variedade de alimentos ricos em proteína

A varfarina é usada no tratamento e prevenção de eventos tromboembolíticos e a vitamina K pode reduzir a sua absorção.

O mecanismo de interação, ocorre pelo fato dos constituintes da dieta reduzirem a absorção de varfarina por meio de um mecanismo de ligação a proteínas.

Alguns vegetais, como brócolos, couve-de-bruxelas e espinafre, são ricos em vitamina K, podendo interferir com a eficácia e segurança terapêutica da varfarina (7).

Outro alimento que pode interagir com a varfarina é o sumo de arando, uma vez que possui bioflavonoides, capazes de inibir a atividade do CYP2C9, a principal isoenzima envolvida no metabolismo da S-varfarina (8, 9).

4

Alimentos ricos em tiramina e inibidores da monoamina oxidase

Dois frascos de iogurte magro

Embora tenham caído em relativo desuso, os inibidores da monoamina oxidases (IMAO) são usados no tratamento da depressão. No entanto, a co-ingestão de IMAO com alimentos ricos em tiramina como queijos maturados, vinho tinto, iogurte, bananas e camarão pode causar crises hipertensivas nos doentes (10).

5

Alimentos ricos em proteína e antihipertensores

Taça com ovos cozidos

Vários alimentos ou nutrientes podem interferir com a ação terapêutica dos antihipertensores.

Entre os betabloqueadores, no caso do propranolol, existe um risco de aumento das concentrações séricas do medicamento se for tomado com um alimento rico em proteínas. Já a absorção intestinal do celiprolol pode ser diminuída quando este medicamento é tomado juntamente com sumo de laranja, devido à presença de hesperidina (11).

No caso dos inibidores da enzima de conversão da angiotensina, como o captapril, o enalapril e o lisinopril, devem ser ingeridos em jejum ou fora das refeições uma vez que a sua absorção é reduzida quando na presença de alimentos (12).

6

Produtos lácteos e antibióticos

Alimentos para dormir bem: o papel da melatonina

A ingestão de alimentos pode influenciar a farmacocinética e farmacodinamia dos antibióticos, induzindo interações que podem diminuir a sua eficácia terapêutica ou aumentar a toxicidade (13).

Regra geral, é pedido para evitar co-ingerir produtos lácteos, classicamente ricos em cálcio e magnésio, uma vez que estes formam complexos com os antibióticos, reduzindo a sua absorção.

No caso da ciprofloxacina, o cálcio e caseínas presentes no leite e derivados diminuem a absorção do fármaco (14, 15).

No caso das fluroquinonas, estas podem formar complexos com os iões metálicos presentes nos alimentos, fenómeno que diminui marcadamente a sua biodisponibilidade (16).

Outros antibióticos têm a sua absorção comprometida apenas devido à presença de alimentos que aumentam o tempo que esvaziamento gástrico, como a azitromicina e a tetraciclina (12, 17).

Por outro lado, o efeito do leite na biodisponibilidade da tetraciclina foi analisado, tendo-se concluído que mesmo quantidades extremamente pequenas de cálcio podem interferir grandemente com a absorção do fármaco (18).

7

Leite, analgésicos e antipiréticos

Homem a encher copo de leite

Os analgésicos e os antipiréticos são usados no tratamento de dores moderadas e febre e a coadministração com alimentos pode interferir na taxa de absorção de alguns destes fármacos como o acetaminiofeno (19).

Outros como os anti-inflamatórios não esteroides (ibuprofeno, naproxeno e cetoprofeno) podem causar irritação nas paredes do estômago e por isso devem ser tomados com alimentos.

8

Alimentos ricos em gordura, hidratos de carbono, cafeína e broncodilatadores

Mulher a encher chávena de café da cafeteira

Medicamentos como a teofilina, o albuterol e a epinefrina apresentam diferentes efeitos quando coadministrados com alimentos.

Os doentes devem ser instruídos a não consumir bebidas alcoólicas com a teofilina, arriscando efeitos secundários como náuseas, vómitos, dores de cabeça e irritabilidade.

Também o consumo de alimentos ou bebidas contendo cafeína é desencorajado. Uma vez que a teofilina é um derivado das xantinas – e sendo a cafeína uma xantina -, o consumo de alimentos ricos em cafeína pode aumentar o risco de toxicidade (12).

9

Ingestão de alimentos e anti-histamínicos

Mulher a tomar comprimido

Fármacos como a fexofenadina, loratadina, rupatadina, cimetidina e cetirizina não devem ser tomados com alimentos, de forma a aumentar a sua eficácia terapêutica (21).

No entanto, no caso da cimetidina, a co-ingestão de alimentos pode ser útil na manutenção das concentrações plasmáticas do fármaco e, por isso, os doentes são instruídos a tomar este anti-histamínico às refeições (22). 

10

Jejum e antidiabéticos orais

beneficios do iogurte no dia a dia

A glimepirida é um antidiabético oral que pertence à família das sulfonilureias e que deve ser tomado com a primeira refeição do dia (23). No caso da glipizida, a toma depende do tipo de libertação mas no caso dos comprimidos de libertação imediata, deve ser administrada 30 minutos antes do pequeno-almoço (24).

No caso do acarbose, para máximo efeito terapêutico, o fármaco deve ser tomado imediatamente antes de cada refeição.

Fontes

  1. Ellsworth AJ, Witt D, Dugdale D. (2000), Mosby’s Medical drug reference, 1999-2000.
  2. Li Y, Jiang X, Lan K, Zhang R, Li X, Jiang Q. (2007). Pharmacokinetic properties of rosuvastatin after single-dose, oral administration in Chinese volunteers: a randomized, open-label, three-way crossover study. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/18042475/
  3. McCabe BJ, Frankel EH, Wolfe JJ. (2003). Monitoring nutritional status in drug regimens. In: Hand book of food-drug Interactions.
  4. Vaquero MP, Sánchez Muniz FJ, Jiménez Redondo S, Prats Oliván P, Higueras FJ, Bastida S. (2010). Major diet-drug interactions affecting the kinetic characteristics and hypolipidaemic properties of statins. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/20449528/
  5. Akinleye MO, Coker HA, Chukwuani CM, Adeoye AW. (2007). Effect of Five Alive fruit juice on the dissolution and absorption profiles of ciprofloxacin. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/17688173/
  6. Hornsby LB, Hester EK, Donaldson AR. (2008). Potential interaction between warfarin and high dietary protein intake. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/18363537/
  7. Harris JE. (1995). Interaction of dietary factors with oral anticoagulants: review and applications. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/7722194/
  8. Ansell J, McDonough M, Zhao Y, Harmatz JS, Greenblatt DJ. (2009). The absence of an interaction between warfarin and cranberry juice: a randomized, double-blind trial. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/19553405/
  9. Griffiths AP, Beddall A, Pegler S. (2008). Fatal haemopericardium and gastrointestinal haemorrhage due to possible interaction of cranberry juice with warfarin. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/19058474/
  10. Walker SE, Shulman KI, Tailor SA, Gardner D. (1996). Tyramine content of previously restricted foods in monoamine oxidase inhibitor diets. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/8889911/
  11. Uesawa Y, Mohri K. (2008). Hesperidin in orange juice reduces the absorption of celiprolol in rats.
  12. Ismail (2009). Drug-Food Interactions and Role of Pharmacist.
  13. Hodel M, Genné D. (2009). Antibiotics: drug and food interactions. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/19908637/
  14. McCabe BJ, Frankel EH, Wolfe JJ, eds. (2003). Hand book of food-drug Interactions.
  15. Pápai K, Budai M, Ludányi K, Antal I, Klebovich I. (2010). In vitro food-drug interaction study: Which milk component has a decreasing effect on the bioavailability of ciprofloxacin? https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/20053516/
  16. Füredi P, Pápai K, Budai M, Ludányi K, Antal I, Klebovich I. (2009). In vivo effect of food on absorption of fluoroquinolones. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/19634639/
  17. Cardona Pera D. (1999). Drug-food interactions. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/10548035/
  18. Jung H, Peregrina AA, Rodriguez JM, Moreno-Esparza R. (1997). The influence of coffee with milk and tea with milk on the bioavailability of tetracycline. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/9210983/
  19. Miller B, Carthan N. (2003) Non-prescription drug and nutrient interaction. In: Hand book of food-drug Interactions.
  20. Kondal A, Garg SK. (2003). Influence of acidic beverage (Coca-Cola) on pharmacokinetics of ibuprofen in healthy rabbits. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/15332505/
  21. Katzung BG. (2004). Drugs with important actions on smooth muscle.In: Basic & Clinical Pharmacology.
  22. Interactions of drugs with food and nutrients. In: Nutritional biochemistry and metabolism with clinical application, 2nd edition.
  23. Rosskamp R, Wernicke-Panten K, Draeger E. (1996). Clinical profile of the novel sulphonylurea glimepiride. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/8864639/
  24. Nolte MS, Karam JH. (2004). Pancreatic hormones and antidiabetic drugs.
Veja também