Drª Patricia Azevedo | Médica Veterinária
Drª Patricia Azevedo | Médica Veterinária
12 Jun, 2020 - 10:34

Doença periodontal em cães: o que é, como prevenir e tratar

Drª Patricia Azevedo | Médica Veterinária

Já ouviu falar de doença periodontal em cães? Saiba como prevenir que o seu melhor amigo desenvolva este problema.

Cão com doença periodontal a roer um osso

A doença periodontal é bastante frequente em cães devido à acumulação de tártaro e bactérias na cavidade oral. A boca e os dentes do seu cão necessitam de vários cuidados, como por exemplo, a escovagem, para evitar desenvolver este tipo de patologias orais que podem ter consequências nefastas para a sua saúde e qualidade de vida.

O que é a doença periodontal?

A doença periodontal caracteriza-se pela infeção/ inflamação da gengiva e tecidos de sustentação do dente (periodonto).

Esta doença afeta cerca de 70% dos cães e é mais comum em cães mais idosos devido à acumulação de tártaro e placa bacteriana ao longo dos anos. Cães com boca pequena, como por exemplo os Caniche e Pequenois, têm maior tendência para ganhar este tipo de problemas.


Quais as causas da doença periodontal em cães?

Tutora a dar de comer ao cão

Tal como nas pessoas, nos cães existe acumulação de detritos de alimento e bactérias, ao que chamamos placa bacteriana. Essa placa bacteriana, com o passar do tempo, pode inclusive mineralizar, formando placas de tártaro, o que confere mau aspeto ao dente e mau hálito.

Se essa placa não for retirada, através da escovagem, por exemplo, tal como é feita nas pessoas, pode acumular-se, provocando uma grande inflamação, levando a uma destruição gradual das gengivas e tecidos que sustentam o dente, chegando o animal, em alguns casos, a pode ficar sem alguns dentes, que acabam por cair.

Assim, é importante tomar algumas medidas preventivas relativamente à acumulação de placa bacteriana para evitar problemas graves no futuro.

Sinais de doença periodontal em cães

Os sinais de doença periodontal em cães são vários e podem surgir numa fase mais inicial da doença, quando se começa a formar tártaro e gengivite. Os sinais mais comuns são:

  • Halitose (mau hálito)
  • Dentes escuros
  • Dor à manipulação, toque ou, por vezes, só ao chegar-se perto da boca, o que pode gerar agressividade
  • Perda de dentes
  • Gengivas vermelhas e sangrantes
  • Anorexia (deixar de comer) ou comer menos, devido à dor
  • Alterações de postura ou posições estranhas enquanto comem. Por vezes, quando têm dor, os cães adaptam-se
  • Hipersalivação
  • Língua de fora
  • Perda de peso

Estes são alguns sinais que podem surgir em caso de doença periodontal. Numa fase inicial da doença, os sinais são mais ligeiros e podem passar despercebidos, no entanto, se começar a notá-los numa fase inicial, o tratamento da doença é mais fácil. Por isso, deve consultar de imediato o seu médico veterinário.

Diagnóstico de doença periodontal em cães

Veterinário a observar dentes de cão

O diagnóstico de doença periodontal é facilmente realizado pelo médico veterinário através da observação da boca do animal.

É por essa razão que deve levar o seu melhor amigo a check-ups de forma a verificar se está tudo bem com ele, incluindo a sua boca, pelo menos anualmente.

Para verificar a integridade dos dentes e raízes, por vezes pode ser necessário fazer radiografia a cavidade oral.

Tratamento de doença periodontal em cães

O tratamento da doença periodontal é realizado pelo médico veterinário, através de procedimentos em que o tártaro e os dentes não saudáveis são removidos, sob anestesia – procedimento que se denomina por destartarização.

Se houver muita inflamação e infeção da cavidade oral, o médico veterinário pode prescrever também antibióticos e anti-inflamatórios.

Mesmo depois da destartarização, devem ser tomadas precauções para diminuir a acumulação de tártaro.

Prevenção de doença periodontal em cães

Mulher a escovar dentes do cão

A prevenção da doença periodontal faz-se principalmente prevenindo a acumulação de placa bacteriana e tártaro.

Idealmente, deve procurar ensinar o seu cão desde pequeno a permitir a escovagem dos dentes, sendo que esta deve ser realizada pelo menos uma vez por semana.

Para além de uma escova e de uma pasta de dentes adequada para cães também é muito importante ter cuidados especiais com a alimentação. Alimentos húmidos ou comida caseira faz com que os cães tenham mais tendência a desenvolver estes problemas devido à maior acumulação de detritos.

Por outro lado, os alimentos secos (ração) acabam por fazer com que o cão acumule menos detritos, e por isso, a probabilidade de desenvolvimento de placa bacteriana e tártaro é menor. Este tipo de alimentos também acaba por atuar com ação mecânica, ajudando a “limpar” os dentes.

Existem também alguns snacks e brinquedos de borracha rígida que podem ajudar na remoção mecânica do tártaro.

Para cães que não permitem a escovagem, existem alguns produtos, como por exemplo, elixires e alguns pós à base de algas. Estes produtos não são substitutos da escovagem, mas têm alguma atividade química, destruindo a placa bacteriana.

Fontes

  1. MSD Veterinary Manual – Periodontal Disease in Small Animals. Disponível em: https://www.msdvetmanual.com/digestive-system/dentistry/periodontal-disease-in-small-animals
Veja também