Nutricionista Margarida Beja
Nutricionista Margarida Beja
23 Jan, 2018 - 16:32

Calorias na gravidez: controlar o que se come ou comer por dois?

Nutricionista Margarida Beja

A alimentação na gravidez deve ser cuidada e a questão de comer por dois é um mito. O cálculo de calorias na gravidez é fundamental para cumprir todas as necessidades.

Calorias na gravidez: controlar o que se come ou comer por dois?

Numa fase tão importante para a mulher, com várias transformações a acontecerem, há uma dúvida recorrente: deve ou não comer por dois? A resposta é seguramente que não, mas tem uma explicação. O cálculo das necessidades energéticas e respetivas calorias na gravidez é fundamental para suprir as necessidades da mãe e do bebé e não devem ser ultrapassadas para bem dos dois.

Deve controlar as calorias na gravidez ou deve comer por dois?

calorias na gravidez e alimentacao saudavel

As calorias na gravidez variam de acordo com o período de gestação e estes valores estão estudados, não suportando nunca a ideia de que deverá comer por si e pelo bebé que está a crescer.

Assim:

  • No primeiro trimestre de gestação não existe variação ou aumento das necessidades calóricas da mulher grávida.
  • No segundo trimestre, há um aumento de 340 kcal por dia face às suas necessidades base
  • No terceiro trimestre verifica-se um aumento de 452 kcal por dia.

    As necessidades base dependem sempre de cada pessoa, das suas características fisiológicas e estilo de vida: para obter recomendações personalizadas ou aferir quais as suas necessidades energéticas base deve consultar um nutricionista.

Um aumento excessivo do valor calórico da dieta pode gerar um aumento excessivo de peso, que tem consequências para a grávida e para o bebé. Um aumento ponderal acima do que está recomendado por promover o aparecimento de diversas doenças na criança, complicações no parto e alterações do seu estado de saúde, como por exemplo diabetes gestacional e hipertensão arterial.

IMC da Grávida

Quanto ao peso, também está devidamente descrito de acordo com o índice de massa corporal (IMC) da mulher antes de engravidar. Assim, sabendo que o IMC é o resultado da divisão do peso pela altura ao quadrado, o aumento de peso esperado ao longo da gravidez varia consoante o valor obtido:

  • Inferior a 18,5 kg/m2: 12.5 a 18kg
  • 18.5 a 24.9 kg/m2: 11.5 a 16kg
  • 25 a 29.9 kg/m2: 7-11.5kg
  • Superior a 30 kg/m2: 7-9.1kg
  • Gravidez de gémeos: 15.9 a 20.4kg

Também o baixo peso da grávida é um fator de risco, pelo que nos leva a concluir que uma gestão deficiente de calorias na gravidez tem diversas complicações para a mãe e para o bebé – por défice ou excesso.

Conclusão

A grávida não deve comer por dois, no entanto, deve alimentar-se convenientemente de forma a suprir as suas necessidades e as do feto, dada a grande transformação que experiencia nesta fase.

Ainda que o aumento da hormona progesterona possa potenciar o aumento do apetite, o mesmo deve ser controlado no sentido de não haver um aumento de peso excessivo com diversas consequências a curto e longo prazo.

Veja também: