Psicóloga Ana Graça
Psicóloga Ana Graça
12 Abr, 2018 - 15:03

Briga de casal à frente dos filhos? Nunca!

Psicóloga Ana Graça

Os conflitos conjugais são inerentes ao convívio dos casais. O problema está quando toda a família que vive com o casal em conflito fica exposta a essas situações mais desagradáveis. A briga de casal nem sempre é fácil de ser evitada mas quando há crianças a ouvir convém fazer o máximo possível para chegar a um acordo.

Briga de casal à frente dos filhos? Nunca!

Assistimos vezes sem conta a situações de discussão entre casais com filhos, em que se desautorizam e anulam mutuamente. As situações em que a briga de casal é resolvida de forma satisfatória, não possuem características tão graves, podendo até contribuir para o amadurecimento emocional da relação a dois.

O problema surge quando a briga de casal acontece diante dos filhos e toma proporções mais agressivas, com ataque verbal ao cônjuge.

Nestas circunstâncias, as crianças tendem a tentar controlar ou regular a relação entre os pais, na tentativa de diminuir a tensão familiar. Ora, este não é o papel que cabe à criança, que deve ser protegida.

Impacto dos conflitos conjugais na criança

briga de casal e menina angustiada

O impacto negativo do conflito entre os pais no desenvolvimento psicológico da criança tem sido sobejamente estudado e comprovado. As consequências para a criança podem ser várias: ao nível das emoções; ao nível do comportamento; ao nível do desempenho escolar.

Uma relação conjugal de má qualidade, com presença de discórdia constante, está relacionada com a presença de distúrbios emocionais na criança. Quanto maior a exposição da criança a situações de stress familiar, maior a presença de distúrbios emocionais.

O tópico ou razão da briga de casal é algo importante a ter em conta, dado que pode ser uma fonte de stress adicional para a criança. Muitas vezes, os conflitos tratam de situações relacionadas com a própria criança, quando os pais divergem de opinião em relação a aspetos da educação dos filhos. Quando a criança assiste a conflitos com este teor pode sentir-se culpada pela discussão dos pais, até porque convém não esquecer que as crianças mais pequenas levam tudo o que é dito de forma literal.

Impacto da exposição da criança à briga de casal

Quando as crianças estão expostas às discussões entre os pais, veem-se envolvidas num conflito de lealdades, que lhes pode trazer importantes consequências emocionais:

  • Sentimentos de culpa e de angústia;
  • Maior tendência para ter problemas emocionais: depressão e ansiedade;
  • Sentimento de medo: perante as discussões dos pais a criança sentir medo por supor que a família se vai separar;
  • Desenvolver uma conduta agressiva: o stress constante a que a criança está sujeita pode contribuir para o aparecimento destas respostas emocionais e comportamentais mais intensas;
  • As relações futuras podem estar mais comprometidas: com presença de conflitos;
  • Alterações do sono e do apetite;
  • Diminuição do rendimento escolar.

Impacto da briga de casal na parentalidade

A qualidade da relação conjugal parece influenciar a disponibilidade afetiva e física dos pais para o cuidado e envolvimento com os filhos.

Casais em conflito tendem a experienciar uma deterioração da relação com os seus filhos, para além da deterioração da relação conjugal.

Vários estudos mostram que os casais que consideram as suas relações conjugais satisfatórias apresentam bom envolvimento com os filhos. Pelo contrário, pais com relações conjugais insatisfatórias estão menos disponíveis e podem apresentar patologias mentais, como é o caso da depressão.

6 estratégias para diminuir o impacto da briga de casal nas crianças

casal harmonioso e feliz

Os potenciais efeitos negativos da briga de casal na criança podem ser prevenidos a partir do momento em que os pais reconhecem a importância de uma boa comunicação e cooperação entre si:

  1. Sejam conhecedores do impacto negativo que o conflito pode ter na criança;
  2. Promovam uma comunicação saudável entre o casal e diminuam as situações de conflito;
  3. Diminuam a exposição dos vossos filhos ao conflito;
  4. Tenham cuidado com o teor das discussões: há decisões importantes que pode não ser adequado ter na presença dos filhos;
  5. Em situações de maior tensão ou conflito não descurem da relação com os vossos filhos: uma briga de casal não tem que afetar a relação entre pais e filhos;
  6. Garantam que as crianças os veem a fazer as pazes.

Veja também: