Psicóloga Ana Graça
Psicóloga Ana Graça
14 Mar, 2018 - 18:54

Divórcio: como fazer com que a sua criança não sinta a separação

Psicóloga Ana Graça

Em Portugal, por cada 100 casamentos há 70 pedidos de divórcio. O final da relação conjugal é, portanto, bastante comum e representa um período turbulento, quer para o casal, quer para os seus filhos. É essencial que os pais deem o melhor de si perante esta situação, para que os seus filhos não fiquem em perigo emocional.

Divórcio: como fazer com que a sua criança não sinta a separação

São muitas as famílias que se deparam com a realidade de um divórcio, ou seja, com um momento de crise no ciclo da família.

Apesar do divórcio ser um lugar-comum, não significa que não seja um acontecimento tumultuoso e desafiante para o casal e, sobretudo, para as crianças.

Quando a separação entre o casal não é bem gerida pode trazer consequências negativas para os mais novos.

Quando os pais se divorciam…

divorcio de casal

Nas situações de divórcio são recorrentes os conflitos entre os adultos, a disputa pelos filhos e o afastamento dos filhos por parte de um dos progenitores. Estas alterações na vida da família provocam momentos de tensão e mal-estar no casal e nos filhos, na família alargada e até na rede de amigos.

É importante não esquecer que as crises familiares são enfrentadas de forma diferente por adultos e crianças e, que os pais devem tentar ser ainda melhores pais perante a circunstância de um divórcio.

Existe consenso de que as crianças de pais divorciados apresentam um risco maior para o desenvolvimento de problemas psicológicos, comportamentais, sociais e escolares. Contudo, cada vez mais os casais se mostram preocupados com o bem-estar dos filhos e tentam minimizar as consequências e os conflitos e, manter laços de afeto e proximidade.

Assim, a adaptação das crianças ao processo de divórcio deve ser acompanhada de perto por ambos os pais, de forma a decorrer com o maior sucesso possível.

Como ajudar a criança a enfrentar o divórcio dos pais?

criancas a ouvirem os pais a discutir

Como vimos anteriormente, a forma como a criança reage perante a situação de divórcio vai depender da forma como os próprios adultos lidam com esta.

A separação deve ser explicada à criança, de forma adequada à sua idade, com a presença de ambos os progenitores. Os pais devem assegurar que o final da relação do casal não altera a relação com os filhos.

Tendo em mente que o mais importante é o bem-estar das crianças, deixamos algumas dicas que os pais podem implementar:

  • Explique à criança que a separação dos pais não vai alterar a relação que tem com ela, e que apesar de surgirem mudanças em casa, vão continuar a estar presentes: os pais divorciam-se um do outro mas não se divorciam dos filhos;
  • Reforce, as vezes necessárias, que ambos os pais continuarão a amá-la;
  • Garanta que a sua criança percebe que não é culpada pela separação;
  • Deixe claro que as crianças não podem resolver os problemas dos pais: o divórcio é um problema dos adultos;
  • Lembre-se que as crianças também têm preocupações: permita que faça perguntas;
  • Seja honesto com a criança;
  • Explique que é natural que o divórcio traga muitos sentimentos e que a tristeza é normal, mas que se virão momentos mais tranquilos;
  • Esclareça que todos os sentimentos são legítimos e não devem ser ocultados: fazer exercício físico, brincar, desenhar, escrever e conversar são boas formas de deixar sair os sentimentos;
  • Incentive a criança a partilhar o que sente e ouça-a com atenção genuína;
  • Reforce o afeto;
  • Ajude-a a compreender que a mudança faz parte da vida (dê exemplos: as pessoas e a natureza também mudam ao longo do ciclo de vida);
  • Respeite o tempo de que a sua criança precisa para perceber esta nova situação;
  • Após este período inicial, explique à criança onde vai morar o progenitor que sai de casa e combinem os próximos encontros;
  • Evite que a sua criança crie uma visão negativa sobre a outra figura parental;
  • Permita que o contacto com a figura parental que saiu de casa aconteça sempre que ambos desejarem;
  • Mantenha as rotinas e as regras o mais possível;
  • Informe os professores da situação de divórcio;
  • Peça aos professores que o avisem caso surjam mudanças de comportamento. Esteja, igualmente, atento a essas mudanças, para que possa intervir atempadamente.

Veja também: