Mónica Carvalho
Mónica Carvalho
07 Set, 2020 - 09:15

Conheça os alimentos que podem ajudar a prevenir o cancro de pele

Mónica Carvalho

Evitar a exposição prolongada ao sol e seguir um regime alimentar saudável são fatores que podem ajudar a prevenir o aparecimento do cancro de pele.

Prevenir o cancro da pele: dermatologista a analisar sinais na pele de paciente

Num artigo de opinião partilhado pela Liga Portuguesa Contra o Cancro, defende-se a exposição solar controlada como uma das formas possíveis de evitar o cancro de pele. Mas não só. De acordo com Fernando Ribas, Dermatologista e Diretor da Liga Portuguesa Contra o Cancro – Núcleo Regional do Norte, “alimentação tem uma grande influência na nossa saúde, na prevenção do cancro em geral e também do cancro cutâneo.

Nesse âmbito, “o excesso alimentar e de açúcar, a ingestão de gorduras saturadas e alimentos industrializados são prejudiciais e favorecem o desenvolvimento do cancro.”

O artigo destaca o café e o chá verde como potenciais bebidas benéficas na prevenção do cancro de pele. Para isso, refere-se um “estudo recente do National Cancer Institute nos Estados Unidos da América refere que 4 chávenas de café por dia reduzem 25% a probabilidade de Melanoma Maligno nos 10 anos seguintes. Idêntico benefício tem o chá verde.” Porém, alerta-se para o cuidado no excesso de toma destas bebidas, visto que “são fortes excitantes do sistema nervoso.”

Que alimentos podem ajudar a prevenir o cancro de pele?

Variedade de alimentos em cima de mesa

O destaque vai, então, para o consumo de frutas e legumes por conterem “fito-químicos que são substâncias produzidas pelas plantas para sua proteção que, embora desnecessárias na nossa alimentação, parece terem também um grande efeito protetor”, além das conhecidas vitaminas importantes, como Vitamina A, a Vitamina C, a Vitamina D e a Vitamina E e que podem ser encontradas nos seguintes alimentos:

  • Vitamina A: cenouras, frutas e legumes coloridos – têm efeito antienvelhecimento e protetor das células da epiderme;
  • Vitamina C: citrinos, como laranja – consumidos moderadamente têm efeito benéfico, mas, em doses exageras têm efeito pro-oxidante, prejudicial;
  • Vitamina D: sardinha e salmão – a alimentação não fornece as doses diárias necessárias, daí que se recomende uma exposição solar controlada, de cerca de 20 minutos diários;
  • Vitamina E: azeite – também ajuda a prevenir doenças cardiovasculares e cancro da próstata;
  • Ómega 3: castanhas e azeite – otimiza o sistema imunológico;
  • Zinco e o Selénio: arroz integral, aveia, nozes, carnes vermelhas – parecem ter um efeito acrescido na prevenção do cancro de pele.

Por outro lado, os folatos disponíveis em alimentos como alface, couve e outros legumes de folhas verdes, quando consumidos em excesso podem favorecer o cancro de pele não Melanoma.

Ainda que os estudos científicos em seres humanos não permitam tirar conclusões seguras sobre este caso específico da prevenção do cancro de pele através da alimentação, neste artigo da Liga Portuguesa Contra o Cancro destaca-se para um “dado universalmente aceite é que a dieta mediterrânica, associada a doses moderadas de café e chá verde é um modelo de prevenção dietética anti cancro cutâneo.”

Fontes

  1. Liga Portuguesa Contra o Cancro – “Alimentação e cancro cutâneo”, disponível em: https://www.ligacontracancro.pt/noticias/detalhe/url/alimentacao-e-cancro-cutaneo/
Veja também