6 problemas de pele comuns no verão que deve saber como tratar

Na estação do calor, a sua pele pode estar exposta a vários problemas. Queimaduras e acne solar são alguns dos problemas de pele mais comuns no verão.

 
Powered by: BodyScience
6 problemas de pele comuns no verão que deve saber como tratar
Os problemas de pele são uma constante no verão

O verão traz consigo um aumento da temperatura, da transpiração e da humidade do corpo. Também é mais recorrente a exposição solar, o contacto com águas de locais públicos (como piscinas), com a areia ou mesmo com aglomerados de pessoas. Todas estas alterações no dia-a-dia são propícias a desenvolver as problemas de pele comuns no verão, tais como as micoses ou mesmo queimaduras.

Além de conhecer as principais problemas destes meses do ano, deve também saber quais os cuidados que deve ter para evitar assim algumas complicações, como por exemplo o cancro de pele.

6 problemas de pele mais comuns no verão


doencas de pele mais comuns no verao queimadura solar

1. Micoses

Muito associadas ao verão, as micoses são um tipo de doença relacionado com a presença de fungos, dermatófitos, na pele. Estes fungos aproveitam as condições mais favoráveis da pele para desencadearem um processo infecioso na pele. Podem ser apanhados em diversas situações, como por exemplo caminhar descalço em pisos húmidos e/ou públicos, lava-pés de piscinas e saunas, chuveiros públicos onde o chão é molhado e calcado por muita gente.

As micoses podem ser superficiais ou profundas sendo que, nas primeiras, os fungos atingem a parte externa da pele, rodeando os pêlos e unhas, alimentando-se de queratina. As micoses profundas são as que necessitam de tratamentos mais complicados, podendo atingir a circulação sanguínea e linfática bem como atingir órgãos como os pulmões, intestinos ou mesmo o sistema nervoso.

Habitualmente causam sintomas como comichão, vermelhidão e ainda descamação e pode atingir qualquer região do corpo sendo as mais comuns entre os dedos dos pés, com o conhecido “Pé-de-atleta”, unhas e virilhas.

Para contornar este problema, evite andar descalço e leve sempre consigo calçado adequado. No caso de ter de usar casas de banho públicas, evite o contacto direto com sanitas, lavatórios e chuveiros.

2. Queimaduras e irritações pelo sol

É nesta altura do ano que a pele anda mais exposta ao sol e por isso fica mais vermelha e sensível ao toque. Quando isso acontece, é porque foi danificada pelos raios solares.

Nas pessoas com a pele mais clara, este pode ser um problema bem mais grave do que para pessoas com uma tonalidade mais escura, no entanto, o protetor solar é indispensável para todos os tipos de pele.

Também as irritações são mais comuns, uma vez que a circulação sanguínea aumenta e, consequentemente, as inflamações em situações de irritação de pele também.

Usar protetor solar é fundamental para prevenir queimaduras solares, sendo que, quanto maior for o fator de proteção, mais tempo poderá estar protegido contra uma potencial queimadura solar. Reforce a proteção depois de ir à água e certifique-se que tem o corpo seco antes de colocar o creme.

3. Acne solar

O acne solar ocorre maioritariamente no tronco e ombros após episódios intensos de exposição solar, uma vez que são as zonas mais expostas ao sol, e, ao mesmo tempo, menos protegidas. Carateriza-se por pequenas erupções cutâneas com uma aparência diferente do típico acne, sendo estas mais pequenas e mais rápidas de secar.

Se tiver tendência para formar esta espécie de ‘borbulhas’, deve optar por utilizar proteção solar com uma base não oleosa, devendo esta ser aplicada repetidamente antes e durante a exposição solar.

Apesar de menos comum, pode também ocorrer no rosto, sendo semelhante ao típico acne, tendo por isso os mesmo tratamentos e formas de prevenção.

4. Foliculite

É outra das doenças de pele mais comuns no verão, devido ao aumento de calor e suor, ocorre quando existe uma inflamação dos folículos pilosos, normalmente causada por bactérias. Apesar da maioria das foliculites não trazer complicações, deve estar atento para saber como contornar esta situação, caso se depare com este problema.

É possível distinguir facilmente uma foliculite superficial de um furúnculo. A primeira, apenas afeta a parte superior do folículo piloso causando borbulhas com ou sem pus, pele vermelha e inflamada e, por vezes, comichão. Já um furúnculo, ocorre nas zonas mais profundas da pele trazendo, na maior parte das vezes, dor intensa.

Normalmente é mais comum na barba e nuca, quando se fala dos homens, e nas axilas e virilhas, no caso das mulheres. O tratamento passa sempre pelo antibiótico e por isso deve ser sempre acompanhado por um médico que diagnosticará e aconselhará o melhor tratamento, sendo que a melhor forma de prevenção é manter a pele limpa e seca.

5. Pitiríase versicolor

Esta infeção fúngica não é contagiosa e ocorre na primeira camada da pele, a camada mais superficial. O fungo responsável é o Malassezia furfur, que leva ao aparecimento de placas escamosas de cor transparente, maioritariamente no tronco, pescoço e rosto. Visualmente, o aspeto é de zonas com uma cor estranha na pele.

Pode também ser chamada de “micose de praia” ou “pano branco”, uma vez que, apesar deste fungo estar naturalmente presente na pele, aparece com mais frequência no verão devido ao aumento da temperatura, humidade e oleosidade da pele.

Que cuidados se deve ter no verão?


doencas de pele mais comuns no verao beber agua de coco

Nesta altura do ano é mais comum estar em contacto com diversos fatores que podem fazer com que qualquer pessoa possa desenvolver doenças de pele. Mas é possível evita-lo, se tiver alguns dos cuidados que apresentamos de seguida, como prevenção.

1. Usar protetor solar

Tal como já foi referido, um dos problemas mais comuns são as queimaduras solares e por isso é imprescindível a aplicação de protetor solar com fator de proteção 30, no mínimo.

Este deve ser colocado no rosto, todos os dias de manhã, 30 minutos antes da exposição solar, uma vez que o rosto é a parte do corpo que mais contacto direto tem com o sol.

Deve aplicar também no corpo, sempre que for para a praia ou piscina, ou unicamente nas zonas expostas à radiação ultravioleta.

2. Limpar o rosto

Comece por utilizar produtos de limpeza de acordo com o seu tipo de pele especialmente produtos como tónicos e géis, para tentar remover o máximo de oleosidade e impurezas acumuladas ao longo do dia. Conseguirá assim evitar o aparecimento de problemas de pele, como o acne.

3. Secar bem o corpo

Especialmente após o banho, limpe o rosto e corpo com uma toalha limpa e seca para tentar remover o máximo de humidade do seu corpo. Deve ter especial atenção nas zonas onde a pele dobra como por exemplo nas virilhas, entre os dedos dos pés e mãos, e axilas.

Também as botas e sapatilhas devem ser substituídos por chinelos e sandálias, para evitar a transpiração e acumulação de suor entre os dedos.

4. Evitar tratamentos de pele nesta altura

Sempre que realiza algum tratamento de pele é inevitável que a sua pele fique mais sensível, uma vez que os produtos químicos ou laser têm uma ação bastante intensa na superfície da pele. Assim, podem trazer manchas desagradáveis ou irritações durante um longo período de tempo.

Se tem dúvidas acerca do que realmente pode ou não fazer na sua pele nesta altura do ano, consulte os melhores profissionais da área da medicina estética nas Cínicas Bodyscience, onde poderá ter a primeira consulta de avaliação gratuita e aí perceber mais sobre os tratamentos existentes e quando e como os poderá aplicar, de forma a obter resultados positivos e em segurança.

5. Ingerir 2L de água por dia

No verão, com o aumento das temperaturas e, consequentemente, da transpiração, é normal que o seu organismo fique mais desidratado e seco. Assim, é importante que aumente a ingestão diária de água, dando ao seu organismo aquilo que ele necessita, evitando as dores de cabeça e sensação de boca seca, tão típica do verão.

Veja também:

Fontes

1. Atlas da Saúde. Disponível em:
https://www.atlasdasaude.pt/publico/content/conheca-doencas-de-pele-mais-comuns-no-verao
2. Sociedade Portuguesa de Dermatologia e Venereologia. Disponível em:
https://www.spdv.pt/_doencas_de_pele_2
3. Serviço Nacional de Saúde. Disponível em:
https://www.dgs.pt/saude-ambiental-calor/exposicao-solar.aspx

O Vida Ativa disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento nutricional, de saúde ou de treino. O Vida Ativa não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui nem dispensa a assistência profissional qualificada e individualizada. Caso pretenda sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].