Há dietas que fazem com que ganhe peso. Saiba quais são e porquê!

Apesar do esforço, não consegue emagrecer? Já fez várias dietas e não vê resultados? Descubra por que razão há algumas dietas que fazem com que ganhe peso.

Há dietas que fazem com que ganhe peso. Saiba quais são e porquê!
Seja uma dieta da moda, ou uma dieta personalizada, pode fazê-lo ganhar peso se não for bem planeada.

O mundo das dietas é um tema muito explorado atualmente, sendo a preocupação com a saúde e com a aparência algo cada vez mais valorizado pela sociedade contemporânea. Neste contexto, surgem diversas dietas, muito apelativas, com promessa de resultados rápidos e significativos, mas que, por vezes, podem levar a uma recuperação de peso superior ao inicial, ou seja, acabam por ser dietas que fazem ganhar peso, mais do que perdê-lo.

Por outro lado, é importante realçar que mesmo ingerindo alimentos saudáveis, é possível não emagrecer, pois sendo saudáveis ou não, todos os alimentos têm um valor energético associado, o qual pode ser elevado e dificultar a perda de peso.

Isto porque, para haver perda de peso, o princípio importante é sempre o mesmo: a ocorrência de um balanço energético negativo, em que as calorias ingeridas são inferiores às gastas. Se este desequilíbrio não acontecer, não haverá perda de peso. Este poderá ser um dos pontos em que pode estar a falhar.

Como as DIETAS podem fazer-lo ganhar peso indesejado


dietas que fazem ganhar peso

Por definição, uma dieta corresponde a um plano alimentar restritivo, que, em muitos casos, contempla um corte considerável nas calorias ingeridas.

Nesta perspetiva, e apesar de o resultado inicial ser a perda de peso, a tendência seguinte será a estagnação dessa perda e possivelmente um novo ganho de peso, devido ao famoso processo de adaptação metabólica.

De facto, a perda de peso e a restrição energética desencadeiam uma série de adaptações do organismo, que culminam na diminuição da taxa metabólica basal e no aumento do apetite e ingestão alimentar.

Esta adaptação metabólica assenta em três pilares fundamentais: adaptação hormonal; alterações no gasto energético; e aumento da eficiência mitocondrial.

Ns adaptação hormonal, existem algumas hormonas que desempenham um papel importante na regulação da composição corporal, da ingestão alimentar e do gasto energético, nomeadamente as hormonas tiroideias, a leptina, a insulina, a grelina, a testosterona e o cortisol.

A adaptação hormonal à restrição alimentar envolve a diminuição das hormonas tiroideias (sobretudo T3), da leptina, insulina e testosterona, e o concomitante aumento da grelina e do cortisol, promovendo o aumento do apetite, que leva muitas vezes a compulsão alimentar, a diminuição da taxa metabólica basal e da massa magra, que levam à estagnação do peso.

Adicionalmente, e de acordo com alguns estudos, estas alterações hormonais persistem ao longo do tempo, mesmo depois da restrição energética ter terminado.

Para além da resposta endócrina, por norma, tende a ocorrer uma perda da massa magra, um tecido metabolicamente muito ativo. Deste modo, e mesmo a que a massa gorda também diminua, ocorre uma diminuição da taxa metabólica basal.

Por este motivo é que há dietas que fazem ganhar peso. Assim, para que o emagrecimento seja duradouro, a restrição calórica deve ser bem calculada e nunca inferior ao valor do seu metabolismo basal.

Outro aspeto crucial é não saltar refeições. Se o fizer, o organismo, irá entender que há privação de alimentos e estes processos vêm, novamente, ao de cima.

DIETAS da moda QUE FAZEM GANHAR PESO


alimentos saudaveis

Apesar de ser muito apelativo uma perda de peso mais rápida, o problema é que em qualquer dieta muito restritiva, como a maioria das dietas da moda, ainda que promova resultados visíveis a curto prazo, por norma, estes resultados são pouco duradouros. Basta retomar a uma alimentação mais flexível e o peso que perdeu não tarda em aparecer.

Dentro destas dietas da moda, é possível salientar a dieta detox, a dieta sem glúten, a dieta paleo (na sua versão mais restritiva), a dieta da sopa ou da fruta, entre outras. De uma forma geral, qualquer dieta que seja transversal e aplicável a muita gente e não seja personalizada a cada caso, não terá muitas perspetiva de sucesso, pois a adesão contínua à dieta é o principal responsável pelos resultados da mesma.

Isto porque, todas as dietas podem ser dietas que fazem ganhar peso se não forem cumpridas e se não forem minimamente de encontro ao estilo de vida, rotinas e gostos da pessoa.

Os contras das dietas ditas “milagrosas”

Por outro lado, muitas destas dietas “milagrosas” que promovem perdas de peso repentinas, podem acarretar riscos para a saúde, por serem demasiado restritivas ou excluírem determinados alimentos que fornecem nutrientes essenciais para o organismo ou mesmo grupos de alimentos, em detrimento de outros.

A longo prazo, a tendência é que volte a ganhar o peso perdido (e/ou mais algum), mas sob a forma de gordura, prejudicial para a saúde.

Assim sendo, o ideal será procurar aconselhamento junto de um nutricionista, que pode criar um plano alimentar adequado às suas necessidades, e conciliar a sua alimentação com a prática regular de exercício físico de modo a facilitar a perda de peso e possibilitar a existência de resultados duradouros.

Fatores importantes para que a dieta não o faça engordar


massa cozida e grelhados

Como referido anteriormente, mesmo fazendo uma alimentação saudável, moderadamente restritiva e com a inclusão de alimentos nutricionalmente ricos e interessantes, pode não estar a conseguir perder peso porque o valor energético das suas refeições (apenas com alimentos saudáveis!) pode ser demasiado elevado para as suas necessidades.

Explicando melhor, o valor energético de uma refeição é influenciado de acordo com os ingredientes utilizados, as quantidades e o método de confeção, fatores que fazem variar consideravelmente este valor.

Tomemos como exemplo, uma refeição ou receita que utiliza os mesmos ingredientes, mas estes são confecionados de forma diferente (ex. frito vs assado) ou estão presentes em quantidades diferentes. Só esta alteração irá aumentar ou diminuir o valor energético da refeição.

Por outro lado, utilizando as mesmas quantidades e o mesmo método de confeção, mas estruturando as suas refeições em torno de alimentos como frutos secos oleaginosos, manteiga de amendoimabacateaveia, azeite, sumos de fruta naturais, óleo de cocopeixes gordos, entre outros, que fornecem um elevado valor energético, pode induzi-lo em erro e leva-lo a ingerir mais calorias do que as que pretende.

Como tal, mesmo no contexto de uma alimentação saudável, a palavra chave que continua a imperar é “moderação”, porque só assim vai conseguir manter uma dieta que favoreça a sua saúde e permita perder peso de uma forma saudável e equilibrada, assegurando o aporte de todos os nutrientes essenciais!

Veja também:

Nutricionista Rita Lima Nutricionista Rita Lima

Rita Lima é nutricionista e trabalha, atualmente, nos ginásios Urban Fit de Ermesinde, Antas Prime Fitness e CulturaFit Club no Porto. Durante 2 anos colaborou no projeto Dragon Force do Futebol Clube do Porto e com o Boavista Futebol Clube. É licenciada em Ciências da Nutrição pela Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto e frequentou o Curso de Nutrição no Desporto na mesma faculdade.