Psicóloga Ana Graça
Psicóloga Ana Graça
13 Jan, 2021 - 17:10

Como enfrentar a síndrome do impostor? Eis 5 formas!

Psicóloga Ana Graça

Síndrome do impostor, já ouviu falar? É uma condição comum que leva as pessoas a sentirem-se inadequadas ou incompetentes, sem motivo para tal.

Mulher com síndrome do impostor

É possível (e até provável) apresentar síndrome do impostor ao mesmo tempo que se é bem-sucedido e se ocupa cargos de elevado relevo e responsabilidade. Mas o que é, afinal, a síndrome do impostor e o que implica? Vamos tentar compreender!

Síndrome do impostor: o que é?

Como melhorar a sua capacidade de tomar decisões

A síndrome do impostor leva as pessoas que dela padecem a acreditar que não são merecedoras das suas realizações e da estima que as outras pessoas lhes têm. Sentem que não são tão competentes ou inteligentes quanto os outros pensam e temem que, em breve, as outras pessoas venham a descobrir essa realidade.

Apesar das evidências de sucesso, sentem-se uma fraude. Atribuem as suas realizações e sucesso a fatores externos ou à sorte e não aos seus esforços e capacidades. Mas, afinal, o que leva alguém a apresentar esta síndrome?

A síndrome do impostor parece ser influenciada por determinados traços de personalidade, nomeadamente o perfecionismo (tendência em procurar exageradamente a perfeição) e o neuroticismo (traço de personalidade que engloba sentimentos como preocupação, ansiedade, autoperceção afetada, tristeza e nervosismo).

Todavia, outras são as causas possíveis. Ambientes demasiado competitivos e pressão extrema podem servir de base ao surgimento desta síndrome, bem como vivenciar uma situação de fracasso após uma série de sucessos.

Por fim, importa destacar que a síndrome do impostor não constitui uma entidade diagnóstica oficial. Mais ainda, pessoas que apresentam este fenómeno psicológico podem apresentar outras condições de saúde mental concomitantes, nomeadamente ansiedade e/ou depressão (1, 2).

Como enfrentar a síndrome do impostor? Eis 5 formas!

Como não perder a motivação em teletrabalho

Superar a síndrome do impostor pode não ser tarefa fácil. Envolve ter em mente que ninguém é perfeito, bem como mudar a própria mentalidade, aceitar e assumir capacidades e realizações pessoais e profissionais.

Todavia, é importante enfrentá-la, já que esta pode sufocar o potencial de crescimento de quem dela sofre. Eis 5 medidas que podem ajudar:

1

Aceitar a realidade

Importa aceitar que a síndrome do impostor é comum e que qualquer um de nós pode, em algum momento da vida, experienciá-la na primeira pessoa.

2

Dizer não às comparações

As pessoas devem concentrar-se nas suas próprias realizações e evitar comparações com os outros.

A comparação com as realizações e habilidades alheias pode colocar demasiada pressão e levantar dúvidas sobre as capacidades e potencialidades próprias.

3

Recordar os sucessos e as vitórias do passado

Uma boa estratégia passa por listar todas as realizações, sucessos, aptidões e habilidades atuais e passadas e, com frequência, reler essa lista, de forma a compreender que essas conquistas foram reais e merecidas.

4

Aceitar o erro e a dúvida

Há que ter em mente que errar é humano e que é normal ter dúvidas e inseguranças.

Quando um evento de vida desafiante se avizinha, como por exemplo um novo emprego, é natural que exista um período inicial de aprendizagem em que são cometidos erros, em que é ganha experiência.

Os falhanços iniciais devem ser esperados e deve existir liberdade para que aconteçam, de forma que estes contribuam para a aprendizagem e melhoria futura.

5

Procurar ajuda

Pode ser vantajoso partilhar os sentimentos de insegurança com alguém próximo e de confiança, que se mostre capaz de oferecer uma perspetiva mais equilibrada e realista.

Se mesmo assim os sentimentos de insegurança e baixa autoestima persistirem e interferirem no desempenho diário, pode ser importante procurar ajuda mais especializada (1, 3).

Fontes

  1. Imposter Syndrome. Psychology Today. Disponível em: https://www.psychologytoday.com/intl/basics/imposter-syndrome
  2. Fernandes, J. (2017). Glicemia, comportamentos agressivos, neuroticismo e depressão: que relação? Estudo exploratório. Disponível em: https://ubibliorum.ubi.pt/bitstream/10400.6/9398/1/5748_12340.pdf
  3. Hendriksen, E. (2017). Nine Ways to Fight Impostor Syndrome. Psychology Today. Disponível em: https://www.psychologytoday.com/us/blog/how-be-yourself/201708/nine-ways-fight-impostor-syndrome
Veja também