Teresa Santos
Teresa Santos
29 Jun, 2020 - 10:24

7 motivos pelos quais as pessoas não vão ao ginásio

Teresa Santos

Os ginásios reabriram, mas nem todos voltaram aos treinos. Fique a conhecer as razões pelas quais as pessoas não vão ao ginásio, neste contexto de pandemia.

Pessoas não vão ao ginásio: poucas pessoas no ginásio

Os ginásios já reabriram há quase um mês, mas muitas pessoas não vão ao ginásio. Entre o receio, a poupança e, também, alguma preguiça, são várias as razões que podem estar a levar as pessoas a ficar em casa ou a procurar outras opções de treino e de atividade física.

José Carlos Reis, presidente da Associação de Ginásios e Academias de Portugal, declarou que, em alguns ginásios, os cancelamentos das inscrições atingiram os 15%. Segundo o presidente da AGAP, vai ser preciso um ano para os ginásios recuperarem a confiança dos seus utentes.

Efetivamente, a recuperação deste negócio prevê-se lenta e com perdas de receita a rondar os 25% a 30%, em alguns casos. Esta baixa de rendimento está, em parte, relacionada com a quebra no número de sócios, a qual já se situa nos 10% a 12%. Mas, por que é que as pessoas não vão ao ginásio? Fique a perceber.

Algumas considerações sobre o funcionamento atual dos ginásios

Máquinas de musculação num ginásio

Embora não estivesse contemplado no plano de desconfinamento, os ginásios reabriram no início de junho (1). Porém, como todos os outros espaços reabertos ao público, os ginásios têm de obedecer a algumas normas e orientações, como, por exemplo, a redução da lotação dos seus espaços; a diminuição da duração das aulas, para ser possível o arejamento das salas, entre sessões; e a limpeza e desinfeção mais frequente dos espaços e máquinas/equipamentos de treino.

Sempre que possível, as aulas devem ser previamente marcadas e deve ser evitado o contacto físico, nomeadamente entre o instrutor e os alunos. Todos os funcionários do ginásio devem usar equipamento de proteção individual, como máscara, e serem sujeitos à medição regular da sua temperatura corporal (2).

Máscaras com filtro vs máscaras de tecido: mulher com máscara de tecido
Veja também Máscaras com filtro vs máscaras de tecido: o que tem mesmo de saber

Por que é que as pessoas não vão ao ginásio? 7 respostas possíveis

Senhora da limpeza a desinfetar máquinas de ginásio
1.

Têm receio

Neste momento, esta é uma explicação perfeitamente legítima e aceitável, tendo em conta o contexto de pandemia em que vivemos. Apesar de a Direção-Geral da Saúde ter permitido a reabertura dos ginásios e ter deixado orientações relativamente ao modo como estes espaços devem passar a funcionar, de forma a evitar o contágio pela COVID-19, há muitas pessoas que não sentem segurança suficiente para regressar ao ginásio.

Além dos idosos, grávidas e doentes crónicos, a quem não é recomendada a ida ao ginásio, existem pessoas que, não pertencendo a estes grupos, têm medo e não se sentem confortáveis em voltar a este espaço, enquanto o novo coronavírus estiver em transmissão ativa (2).

2.

Precisam de poupar dinheiro

A situação atual de pandemia representa um problema de saúde pública, mas também um desafio para a economia mundial. Esse desafio irá traduzir-se numa subida da taxa de desemprego e numa consequente perda de rendimento para muitas famílias.

Assim, é compreensível que, num momento em que muitas famílias já enfrentam constrangimentos financeiros, muitos indivíduos estejam a aproveitar para poupar o dinheiro que despendiam, mensalmente, no ginásio. Além disso, os meses de confinamento ajudaram muitas pessoas a descobrir novas formas de fazer exercício físico, sem irem ao ginásio, o que pode ter tornado este espaço dispensável para algumas pessoas.

3.

Querem aproveitar o ar livre

Depois de meses “fechada” em casa, a maioria das pessoas quer viver este desconfinamento aproveitando ao máximo o ar livre, especialmente enquanto o verão durar e o clima estiver propício a atividades a céu aberto.

Por essa razão, muitas pessoas estão a substituir o regresso às aulas no ginásio por treinos ao ar livre, nomeadamente em parques ou nos passadiços da praia, onde podem praticar desporto à hora que lhes for mais conveniente.  

4.

Não podem usar os balneários

Embora, neste momento, a Direção-Geral da Saúde já permita o uso dos balneários dos ginásios, desde que sejam garantidas as condições de distanciamento físico, higienização, limpeza e desinfeção, a verdade é que ainda há ginásios onde os balneários estão interditos (2).

Este aspeto pode ser muito desencorajador para os utentes que, sem acesso à zona dos chuveiros, têm de chegar aos ginásios já equipados e, mais desconfortável ainda, devem sair, suados, destes espaços, após o treino, só podendo tomar banho ao chegar a casa.

5.

Ainda não podem usufruir de todos os serviços

Há zonas do ginásio que ainda estão interditas, como as saunas, os banhos turcos, a hidromassagem e o jacuzzi (2). Ora, alguns clientes não prescindem destes espaços, após um treino intenso. Portanto, o facto do seu uso ainda estar proibido, pode demover algumas pessoas de regressarem ao ginásio, por não poderem beneficiar destes serviços.

6.

Têm de enfrentar várias limitações

Como aconteceu em todos os setores de atividade, também os ginásios se viram obrigados a adaptar o seu modo de funcionamento à nova realidade quotidiana. A lotação dos seus espaços teve de ser diminuída; a duração das aulas reduzida; e muitas sessões de treino sujeitas a marcação prévia (2).

Todas estas normas afastaram muitos utilizadores que, mais uma vez, preferiram encontrar novas maneiras de se exercitarem, ao invés de terem de cumprir estas novas regras de funcionamento.

7.

Sentem-se desmotivadas

Se algumas pessoas mantiveram a atividade física, mesmo durante o confinamento e, outras, até descobriram o desporto durante o período de isolamento, há indivíduos que perderam o ânimo e acabaram por deixar de parte as rotinas de treino que tinham.

A preguiça, a desmotivação e, mesmo em alguns casos, a depressão podem fazer com que as pessoas percam a auto-estima e a vontade de cuidar de si, do seu corpo e da sua saúde. Porém, é essencial recordar a importância da prática regular de exercício na vida de todos nós. Se a atividade física não for realizada num ginásio, deve ser executada em qualquer outro espaço, de modo a evitar complicações e problemas de saúde.  

Fontes

  1. Governo Português. Desconfinamento – Calendário: Agenda de Desconfinamento. Disponível em: https://covid19estamoson.gov.pt/plano-desconfinamento-medidas-gerais/desconfinamento-calendario/
  2. Direção-Geral da Saúde. COVID-19: Atividade Física e Desporto Espaços de Prática de Exercício Físico e Desporto, e Competições Desportivas de Modalidades Individuais sem Contacto e ao Ar Livre. Disponível em: https://www.dgs.pt/directrizes-da-dgs/orientacoes-e-circulares-informativas/orientacao-n-0302020-de-29052020-pdf.aspx
Veja também