Camila Farinhas
Camila Farinhas
13 Ago, 2020 - 11:14

Óculos de sol para bebés: será que devem usar?

Camila Farinhas

A proteção ocular permite reduzir o excesso de luz e proteger os olhos contra a radiação ultravioleta. Mas, o uso de óculos de sol para bebés é indicado?

Óculos de sol para bebés

A melhor forma de proteger os olhos sensíveis do bebé contra a radiação ultravioleta (UV), é evitar a exposição solar nas horas em que estes são mais intensos. No entanto, o uso de óculos de sol e chapéus de aba larga ou bonés, também pode ajudar. Respondemos às principais dúvidas dos pais sobre o uso de óculos de sol para bebés.

óculos de sol para bebés: o sol e a radiação UV

Menina com óculos de sol

A luz visível é uma região estreita da radiação electromagnética com um comprimento de onda entre os 400-780nm, proveniente essencialmente do sol, e em relação à qual a nossa retina tem pigmentos sensíveis.

Já a radiação UV (não visível), possui um comprimento de onda menor situado entre os 100-400nm, o que faz com que seja mais energética que a luz visível, e com efeitos prejudiciais para a retina e para a pele. Ao nível da pele, a radiação UV pode provocar o bronzeamento (raios UVA), queimadura ou mesmo predisposição para cancro (raios UVB). A radiação UV é filtrada em grande parte pela atmosfera e camada de ozono.

A radiação UV pode atingir os nossos olhos diretamente a partir do sol (radiação direta), ou refletida em superfícies, tais como a neve (80%), água (20%) e areia (10%). As árvores e vegetação absorvem quase na totalidade a radiação UV, não a refletindo.

A exposição UV varia de acordo com alguns fatores: é maior no verão, ao 12h (sol mais na vertical), localização (maior no equador) e altitude (maior a mais altitude). Dias nublados e temperaturas mais amenas não significam menor quantidade de radiação UV.

Como é que o sol afeta os olhos?

Os olhos possuem algumas barreiras “naturais” à radiação. A arcada óssea supraciliar e as pálpebras são a primeira. A córnea e a conjuntiva filtram 100% dos UVB. No entanto, a exposição aguda a esses raios pode levar a alterações na visão, sendo que a exposição crónica constitui fator de risco para cancro de pele e lesões degenerativas da retina.

A parte anterior do olho, constituída pela córnea, cristalino e pupila, funciona como um escudo protetor à luz, e constitui um filtro quase completo para os raios UVA no adulto. Ainda assim, a exposição continuada pode levar à formação de catarata (2).

Como podem ajudar os óculos de sol para bebés?

Menina com óculos de sol numa piscina insuflável

As crianças passam mais tempo no exterior que os adultos (70% da exposição ao sol ocorre até aos 18 anos de idade), e o cristalino é muito transparente (não filtra totalmente ao raios UVA, assim como toda a luz azul). Por isso, o uso de óculos de sol é indicado em bebés e crianças (1, 2).

Sempre que existirem níveis mais elevados de radiação UV, locais de grande altitude (neve ou montanha), ou quando existem doenças oftalmológicas associadas, o seu uso está indicado.

Diariamente, o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) (3) disponibiliza informação relativa ao índice de raios UV numa escala de 0 a 11: até 2 (baixo) não é necessário proteção; 3 a 5 (moderado) é aconselhada a utilização de óculos de sol e proteção solar; 6 a 7 (elevado) é reforçada a indicação de óculos com filtro UV, chapéu e t-shirt; a partir do índice 8, deve ser evitada qualquer exposição, em particular nas crianças.

Como proteger os olhos das crianças à radiação UV?

Deve ser evitado o horário de maior concentração de raios UV, utilizar um chapéu de abas largas ou boné (protege da radiação direta), óculos de sol com proteção UV 100% e armações adaptadas totalmente à face (que não deixem entrar a luz e radiação UV pelos lados nem por baixo). Deve-se ainda procurar as sombras e evitar olhar para o sol ou para o seu reflexo (1).

Que características devem ter os óculos de sol para crianças?

Menina com óculos de sol

A coloração das lentes não está relacionada com a sua proteção (lentes muito ou pouco escuras).

Uma lente incolor pode ter proteção UV 100%. Pelo contrário, uma lente escura sem adequada proteção UV não só não oferece proteção, como provoca dilatação da pupila, e consequente entrada de maior quantidade de radiação UV. 

Assim, é fundamental que os óculos tenham proteção UV a 100%. Para isso, lentes e armação devem estar de acordo com a Norma Europeia EN ISO 12312-1:2015 (ou presença da sigla CE), a qual significa que obedeceu às normas. Para se assegurar que isso acontece, prefira lojas especializadas, como as óticas.

O tipo de material e a qualidade ótica das lentes contribui muito para o conforto e aceitação dos óculos pelos bebés e crianças. Prefira sempre materiais orgânicos com elevada resistência ao impato físico.

As armações devem ser livres de rebordos aguçados, ajustadas completamente ao rosto, resistentes, flexíveis e de material facilmente lavável, hipoalérgico e não tóxico. Uma fita elástica pode ajudar a manter os óculos ajustados à face.

As lentes devem evitar a distorção das imagens. Para testar, pode segurar os óculos a uma distância confortável em frente a um objeto que tenha um padrão retangular, como por exemplo o pavimento, tapar um olho e depois mover lentamente as lentes para cima e para baixo e para um lado e para o outro. Se as linhas permanecerem retilíneas, a qualidade está assegurada, se ficarem curvas, isso é demonstrativo de má qualidade ótica das lentes (1).

O meu filho já usa óculos graduados. O que devo fazer?

Atualmente, existem disponíveis lentes incolores que filtram a radiação UV a 100%. Estas lentes incolores, bem como as lentes de cor variável ou fotocromáticas (lentes que escurecem com o sol e se tornam incolores no interior), estão perfeitamente adequadas para a proteção UV nas atividades diárias em exterior.

No entanto, é preciso salientar que em locais onde exista grande quantidade de radiação UV refletida (praia, neve, montanha), apenas uma armação ajustada ao rosto e com lente totalmente filtrante confere proteção.

Fontes

  1. Sociedade Portuguesa de Pediatria (2020). Proteção ótica na criança: sim ou não?. Acedido a 12 de Agosto de 2020. Disponível em: http://criancaefamilia.spp.pt/promocao-de-saude/prote%C3%A7%C3%A3o-%C3%B3tica-na-crian%C3%A7a-sim-ou-n%C3%A3o.aspx
  2. Policy Statement—Ultraviolet Radiation: A Hazard to Children and Adolescents. (2011). Pediatrics. 127:588–597. Disponível em: https://pediatrics.aappublications.org/content/pediatrics/127/3/588.full.pdf
  3. Instituto Português do Mar e da Atmosfera (2020). Previsão diária do tempo e índice de radiação UV. Acedido a 12 de Agosto de 2020. Disponível em: https://www.ipma.pt/pt/otempo/prev.localidade.hora/
Veja também