Camila Farinhas
Camila Farinhas
12 Ago, 2020 - 10:15

5 cuidados a ter com os olhos das crianças no verão

Camila Farinhas

Mergulhos no mar e na piscina, propiciam o desenvolvimento de algumas doenças oculares. Fique a saber quais os principais cuidados a ter com os olhos das crianças.

Cuidados a ter com os olhos das crianças

Com a chegada das férias escolares, a maioria dos dias são passados entre praia e piscina. No entanto, o verão traz consigo algumas condições que podem afetar os olhos dos mais novos. Águas contaminadas, cloro, protetores solares e mesmo o sol, podem desencadear quadros de irritação, conjuntivite alérgica ou infeciosa. Esclarecemos quais os principais cuidados a ter com os olhos das crianças.

Cuidados a ter com os olhos das crianças no verão

1.

Atenção ao protetor solar

Mãe a aplicar protetor solar na cara da filha

Os protetores solares possuem na sua constituição diversas substâncias que podem causar irritação e desconforto, principalmente se entrarem em contato com os olhos.

Uma vez que as crianças passam a maioria do tempo dentro de água, é aconselhado utilizar na sua face protetores solares indicados para esta região. Nunca deverá colocar protetor nas pálpebras. A sua aplicação deve ser feita 30 minutos antes da exposição solar e renovada a cada 2 horas. E não se esqueça, evite expor as crianças ao sol entre as 12h e as 17h.

2.

Óculos de sol

Menina com óculos de sol

A exposição ocular aguda à radiação ultravioleta, está associada a queimadura palpebral, a lesão irreversível da retina quando se olha diretamente para o sol (por exemplo durante um eclipse) e a lesão da córnea (com dor, hipersensibilidade à luz e diminuição transitória de visão).

Uma vez que os raios solares UVA e UVB são mais incidentes no verão, o uso de óculos de sol com lentes de boa qualidade é recomendado. O uso de óculos deve ser feito em conjunto com chapéu de abas ou um boné, reforçando assim a proteção. No entanto, a melhor forma de proteger os olhos sensíveis das crianças, é evitar a exposição solar nas horas de maior calor (1).

3.

Óculos de natação

Pai e filha na piscina com óculos de natação

Para as crianças que gostam de abrir os olhos de baixo de água, é recomendado que usem óculos de natação.

A água salgada ou o cloro podem causar irritação ocular. Este acessório protege ainda de possíveis conjuntivites, já que o principal meio de transmissão da doença no verão é a água contaminada de piscinas.

4.

Lavar os olhos e a face

Menino a lavar a cara

Após os mergulhos no mar ou piscina, é recomendado a lavagem da face e dos olhos com água doce. Se os olhos da criança entrarem em contato com a areia da praia, o seu uso também é aconselhado para diminuir o risco de infeção ou alergia.

Ainda, ambientes com ar-condicionado e associados ao sol, cloro, ou água do mar podem levar à sensação de olhos secos. Caso a criança apresente ressecamento ocular, deverá consultar o pediatra para que seja prescrito um colírio lubrificante adequado.

5.

Atenção aos brinquedos

Crianças a brincar na piscina

Existem brinquedos usados em piscinas ou praias que podem causar acidentes graves. Alguns são semelhantes a pistolas, que espirram água. Se o jato for muito forte e atingir os olhos da criança, pode levar a uma emergência médica. Portanto, o seu uso deve ser evitado ou então supervisionado por um adulto.

Sinais de alerta no que toca aos cuidados a ter com os olhos das crianças

Após um dia de praia ou piscina, é comum as crianças ficarem com os olhos vermelhos, sendo que no dia seguinte devem estar normais.

Quando a vermelhidão não passa, e surgem outros sintomas associados como a comichão, irritação ou secreções, deverá consultar um médico. Estas manifestações podem ser indicativas de conjuntivite irritativa ou infeciosa.

Fontes

  1. Sociedade Portuguesa de Pediatria (2020). Proteção ótica na criança: sim ou não? Acedido a 11 de Agosto de 2020. Disponível em: http://criancaefamilia.spp.pt/promocao-de-saude/prote%C3%A7%C3%A3o-%C3%B3tica-na-crian%C3%A7a-sim-ou-n%C3%A3o.aspx
Veja também