Teresa Santos
Teresa Santos
12 Jun, 2020 - 11:15

COVID-19 e cuidados no dentista: trate da saúde oral em segurança

Teresa Santos

As clinícas dentárias já abriram, mas a COVID-19 e cuidados no dentista são uma realidade. Saiba o que mudou e por que é seguro ir tratar da sua saúde oral.

COVID-19 e cuidados no dentista: mulher no dentista

Durante várias semanas, as clínicas dentárias estiveram encerradas e os médicos dentistas apenas tinham permissão para tratar casos inadiáveis e de emergência, devido aos elevados riscos de transmissão do novo coronavírus (nomeadamente, devido aos aerossóis). Com a implementação das medidas de desconfinamento, os consultórios dentários voltaram a poder abrir, mas a COVID-19 e cuidados no dentista são uma realidade.

Assim, podemos adiantar que ir ao dentista é uma experiência diferente, sim, pois irá encontrar o seu médico com um equipamento de proteção mais completo do que era habitual. Além disso, irá aperceber-se de várias medidas de higiene e segurança, adotadas não só pela clínica, mas também por si, enquanto utente. Fique a conhecer essas novas normas que se prendem com a COVID-19 e cuidados no dentista.

COVID-19 e cuidados no dentista: conheça as novas normas de higiene e segurança

Mulher a desinfetar as mãos antes de sair de casa

Desde o dia 4 de maio que as clínicas dentárias obtiveram autorização para reabrir e efetuar aos seus pacientes todos os tratamentos dentários que julguem necessários.

Para isso, a Direção-Geral da Saúde emitiu uma orientação sobre os Procedimentos em Clínicas, Consultórios ou Serviços de Saúde Oral dos Cuidados de Saúde Primários, Setor Social e Privado a adotar, enquanto estivermos sob a ameaça do novo coronavírus.

Podemos considerar que, desde a marcação da consulta à realização da mesma, há um novo conjunto de procedimentos a seguir.

Antes da consulta

De acordo com a Direção-Geral da Saúde, a consulta no dentista deve ser marcada previamente, de preferência por meios não presenciais (telefone, email ou outro recurso online), de modo a evitar o ajuntamento de utentes na sala de espera.

Antes da consulta, será contactado pelo consultório, de forma a ele fazer uma triagem da sua situação clínica e despistar possíveis casos suspeitos de COVID-19. Nessa altura, vão perguntar-lhe se tem febre, tosse ou dificuldade respiratória ou se, por alguma razão, se encontra em isolamento obrigatório ou profilático.

Deve responder a todas as questões com verdade e rigor. Esta triagem serve para avaliar se o utente está ou não apto a fazer, em segurança, a consulta agendada (1).

Homem no dentista em tempos de pandemia

À chegada ao consultório

No dia da consulta, deve chegar ao consultório à hora marcada (sem muita antecedência e, de preferência, sem acompanhante). Deve higienizar as mãos com o gel desinfetante disponibilizado na clínica, entrar e permanecer com a máscara cirúrgica (ou usar a que lhe for cedida nas instalações), até entrar no interior do gabinete do dentista, onde só a deve retirar, quando receber indicação para tal.

A sala de espera não deve ter revistas ou folhetos, nem outros objetos, como máquinas de café ou dispensadores de água. Assim, pode e deve levar o seu próprio livro ou garrafa de água para utilizar, enquanto espera.

Ainda nessa divisão, além de higienizar as mãos e usar máscara, há outras medidas fundamentais que deve adotar, tais como (1):

  • Manter o distanciamento físico (entre 1,5m e 2m), relativamente a funcionários e outros utentes
  • Praticar uma correta etiqueta respiratória (tossir e/ou espirrar para um lenço descartável ou para a prega interna do cotovelo)
  • Evitar tocar desnecessariamente em superfícies e objetos, como mesas, balcões, assentos
  • Privilegiar os pagamentos com cartão (preferencialmente, contactless).

Durante a consulta

Ao longo da consulta, deve cumprir todas as indicações que o seu médico dentista lhe der, nomeadamente (1):

  • Retirar e voltar a colocar a máscara, sempre que lhe seja pedido
  • Bochechar, sempre que pedido, com uma solução própria disponibilizada pelo seu dentista
  • No caso de menores, que necessitem de acompanhante no interior do gabinete médico, o acompanhante deve permanecer sentado a mais de 2 metros de distância do equipamento dentário, sempre com a máscara cirúrgica colocada

Após a consulta

Depois de efetuado o tratamento dentário, o paciente deve voltar a colocar a máscara, dirigir-se para a receção, efetuar o pagamento, se for o caso, e abandonar de imediato as instalações, devendo higienizar as mãos com gel desinfetante à saída da clínica.

Tenho COVID-19, mas preciso de ir ao dentista. O que devo fazer?

Mulher a fazer chamada  através do seu smartphone

Como referimos no início deste artigo, antes da realização da consulta, é feita uma triagem via telefone, de modo a avaliar o estado de saúde do paciente. Em caso de suspeita de COVID-19, o utente é aconselhado a contactar a linha de Saúde 24 ( 808 24 24 24) e a consulta de saúde oral é adiada.

Porém,  se houver um caso suspeito ou confirmado de COVID-19 que necessite com urgência de um tratamento dentário, o agendamento da consulta deve ser feito em horários próprios (como o final da manhã ou o final da tarde, de forma a evitar ao máximo o contacto com outros pacientes).

Além disso, particularmente nestas situações, o dentista deve usar equipamento de proteção individual para procedimentos de alto risco (bata; máscara FFP2 (N95) ou FFP3; proteção ocular; luvas; touca; calçado clínico; cobre-botas). (1)

Conclusão

A mensagem mais importante a passar é que, apesar da COVID-19 e cuidados no dentista, tratar da sua saúde oral é perfeitamente seguro. Embora haja procedimentos considerados mais ou menos arriscados, no que respeita à transmissão do novo coronavírus, os médicos dentistas dispõem de todas as orientações necessárias para saber como proceder em cada caso.

Assim, não adie mais a sua saúde oral, sobretudo se suspeita que tem algum problema dentário que careça de avaliação por parte de um especialista.

Não se esqueça de respeitar não só as normas da Direção-Geral da Saúde que partilhámos consigo, assim como as regras que a sua própria clínica dentária possa ter implementado para maior segurança e proteção dos seus utentes.

Fontes

  1. Direção-Geral da Saúde. COVID-19: Procedimentos em Clínicas, Consultórios ou Serviços de Saúde Oral dos Cuidados de Saúde Primários, Setor Social e Privado. Disponível em: https://www.omd.pt/content/uploads/2020/05/20200501-dgs-orientacao-covid19.pdf
Veja também