Drª Patricia Azevedo | Médica Veterinária
Drª Patricia Azevedo | Médica Veterinária
19 Mar, 2020 - 10:07

COVID-19: cuidados a ter com o seu animal

Drª Patricia Azevedo | Médica Veterinária

Os nossos animais de companhia não podem transmitir o COVID-19. Saiba os cuidados que deve ter nesta fase com o seu melhor amigo.

Coronavírus em cães e gatos: cuidados a ter

O novo coronavírus está a causar preocupação mundial devido à sua facilidade de disseminação e mortalidade. Assim, é necessário que todas as pessoas tomem as devidas precauções para minimizar o risco de contágio, o que poderá também passar por ter alguns cuidados com os animais de companhia.

Saiba que cuidados deve ter com o seu animal em caso positivo de COVID-19, se pertencer a um grupo de risco ou se estiver saudável.

covid-19: Cuidados a ter com os nossos animais

Pessoas doentes

Cuidados especiais devem ser tomados em consideração caso a pessoa esteja doente. Caso a pessoa esteja doente, suspeita ou confirmada com o vírus, é aconselhável que não esteja em contacto com o animal, e encontre alguém que possa tratar do animal durante esse período.

Em último caso, pessoas doentes que não tenham quem cuide dos seus animais devem ter especial cuidado, utilizar luvas e máscara quando os manusearem e lavar sempre as mãos, antes e depois do contacto.

É importante garantir que, em caso de internamento, alguém assegura os cuidados básicos ao seu animal de estimação, como alimentação, água, e passeios ou mudanças de areia. Caso não seja possível que ninguém trate do seu animal enquanto se encontra hospitalizado ou impossibilitado de o fazer, é importante contactar hotéis ou serviços de petsitting que possam garantir que o animal está a ser cuidado.

Grupos de risco

As pessoas que são consideradas em grupo de risco (que incluem, asmáticos, hipertensos, diabéticos, idosos, entre outros), pelo facto do seu sistema imunitário estar mais debilitado, podem não conseguir recuperar e estão em risco de desenvolver sintomas mais severos.

Assim, pessoas que se enquadrem em grupos de risco devem também pedir ajuda para cuidarem dos seus animais, sendo preferível que alguém da família o faça, especialmente no caso dos cães, que é necessário que venham passear ao exterior, visto que estas pessoas devem evitar sair de casa.

De resto, todos os cuidados habituais de higiene que devem ser tidos pelas pessoas consideradas saudáveis, devem ser redobrados em animais que convivem com pessoas em grupos de risco.

Pessoas saudáveis

É necessário também esclarecer que, desde que a pessoa esteja apta, não existe qualquer problema neste momento em vir passear o seu cão à rua, como o habitual. Deve sim reduzir os passeios ao mínimo indispensável para assegurar o bem-estar e necessidades do cão, preferir horários em que estejam menos pessoas na rua e evitar que as pessoas toquem no seu patudo.

Chegados a casa, devem ser reforçados os cuidados habituais de higiene como lavar as mãos antes e depois dos passeios, limpando sempre as patas e focinho do seu melhor amigo.

O mais importante, nesta altura de calamidade e medo, é que, acima de tudo, este não seja nunca um motivo para que haja um aumento de abandono ou eutanásias, por receio de que os animais possam disseminar o vírus, até porque, de facto, como as próprias autoridades de saúde indicam, não há indicação até à data que isso aconteça.

covid-19: cães e gatos Podem ser infetados?

Coronavírus em cães e gatos: mulher com máscara com gato ao colo

A dúvida surgiu com a publicação da notícia de que existiria um cão de uma pessoa infetada que alegadamente também estaria infetado. O caso foi passado em Hong Kong, tratando-se de um cão de 17 anos da raça Spitz.

O cão foi colocado em quarentena e foram recolhidas amostras através de esfregaços nasais, cavidade oral e fecais, tendo sido possível detetar a presença de fragmentos de material genético do vírus SARS-CoV-2 nas duas primeiras amostras.

O cão foi mantido em quarentena durante 14 dias e foram realizando esfregaços em dias intervalados, mantendo-se os resultados positivos, ainda que o animal nunca tivesse apresentado qualquer sintoma. Foram também realizadas análises ao sangue para detetar a presença de anticorpos específicos contra o vírus, no entanto, o resultado desta vez foi negativo.

Por apenas terem sido detetados pequenos fragmentos do vírus em esfregaços, ainda não foi possível chegar a uma conclusão acerca da possibilidade do cão ter sido infetado através do seu dono.

É, também, possível que este resultado positivo possa ter ocorrido devido a contaminação ambiental. No entanto, para já, ainda não é possível perceber o que isso realmente significa.

Sabe-se apenas, que este foi até agora, o único caso em que foi detetada a presença do novo coronavírus em animais de companhia, sendo que vários outros casos de animais de pessoas infetadas foram rastreados e não houve nenhum resultado positivo.

Ainda são necessários mais estudos para que se possa chegar a resultados mais concretos, no entanto para já, segundo a OMS (Organização mundial de saúde) não existe evidência de que os animais possam transmitir Covid-19 aos humanos, nem que possam ser infetados pela doença.

Coronavírus em cães e gatos: O QUE SABER

Coronavírus em cães e gatos: contágio

Os coronavírus são uma família de vírus que provocam doença em várias espécies animais, sendo que alguns têm potencial zoonótico, ou seja, são transmissíveis entre pessoas e animais.

No entanto, a maioria dos vírus pertencentes a esta família são específicos para determinada espécie, sendo que também existem coronavírus em cães e gatos – tal como o coronavírus felino, que provoca uma doença apenas em gatos denominada PIF (Peritonite Infeciosa Felina) e também o coronavírus canino que provoca doença apenas em cães.

Em humanos, são conhecidos agora sete diferentes tipos de coronavírus capazes de provocar doença, entre os quais o novo coronavírus ou SARS-CoV-2.

O SARS-CoV-2 provoca doença respiratória aguda em humanos, e neste momento ainda não é totalmente conhecida a sua origem, mas pensa-se que possa existir uma relação com os morcegos, uma vez que os coronavírus desta espécie assemelham-se em 96% com este novo coronavírus.

Fontes

  1. Idexx tested thousands of cats and dogs for coronavirus. None had it. Disponível em: https://www.pressherald.com/2020/03/13/idexx-tested-thousands-of-cats-and-dogs-for-coronavirus-all-came-back-negative/?fbclid=IwAR1ocpXcSn9z5EsFrrteh62mOO4qSfKjcrN59J8Am4YXR15ZiYurcMtz29c
  2. OIE – Questions and answers on 3029 novel coronavirus. Disponível em: https://www.oie.int/en/scientific-expertise/specific-information-and-recommendations/questions-and-answers-on-2019novel-coronavirus/?fbclid=IwAR18yS_VZRQRZZmjf3eW6uWUFn9PuQEg6MGwYQYxSZfPq4WtXdhfzfjNr9A
  3. OIE – Follow-up report no.1. Disponível em: https://www.oie.int/wahis_2/public/wahid.php/Reviewreport/Review?page_refer=MapFullEventReport&reportid=33546
  4. Centers for Disease Control and Prevention (CDC) – FAQ COVID-19 and Animals. Disponível em: https://www.cdc.gov/coronavirus/2019-ncov/faq.html#animals
  5. WSAVA Scientific and One Health Committees. ADVISORY DOCUMENT: UPDATED AS OF MARCH 16, 2020. The New Coronavirus and Companion Animals. Disponível em: https://wsava.org/wp-content/uploads/2020/03/COVID-19_WSAVA-Advisory-Document-Mar-16-2020.pdf
Veja também