Farmacêutica Ana Matos
Farmacêutica Ana Matos
09 Abr, 2020 - 09:05

Covid-19: justifica-se o uso de máscaras? Saiba o que diz a OMS

Farmacêutica Ana Matos

É um dos temas de que mais se tem falado nos últimos tempos: a máscara deve ou não ser usada de forma massificada? A OMS emitiu novas guidelines sobre o assunto.

Uso de máscaras: homem a trabalhar com máscara

Se até aqui o uso de máscaras não era recomendado a pessoas saudáveis, a Organização Mundial de Saúde (OMS) vem agora alterar um pouco a sua posição: a máscara pode ser usada como medida de prevenção da COVID-19, mas não de forma isolada.

Isto é, apenas a máscara em si não é suficiente para providenciar um nível adequado de proteção, pelo que devem ser adotadas outras medidas já conhecidas e que dizem respeito à correta higienização das mãos, distanciamento social e cumprimento de etiqueta respiratória.

Entre as vantagens potenciais do uso de máscara por pessoas saudáveis no ambiente comunitário inclui-se, então, a redução do risco potencial de exposição quer para pessoas infetadas e sem sintomas, quer para controlo preventivo.

Ainda assim, a OMS esclarece: “o uso de máscaras na comunidade pode criar uma falsa sensação de segurança, com negligência de outras medidas”, nomeadamente o facto de poder ocorrer a auto contaminação ao tocar e reutilizar uma máscara contaminada, além de que o uso de máscara pode trazer dificuldades respiratórias (1).

Uso de máscaras: OMS aconselha entidades de saúde a assumirem posição

Uso de máscaras: álcool-gel e máscaras em cima de uma mesa

Alguns países já começam a obrigar ao uso de máscaras por toda a população, como é o caso da Itália. E é precisamente às entidades de saúde que a OMS imputa responsabilidades: que cada país decida o que fazer, ou seja, cada país deve decidir se obriga ou não ao uso de máscara de forma indiscriminada.

A decisão deve ser baseada nos seguintes critérios:

  1. Objetivo do uso da máscara: a justificação para o uso da máscara deve ser claro – se é para ser usado como fonte controlo (usada por pessoas infetadas) ou para prevenção da COVID-19 (usada também por pessoas saudáveis).
  2. Risco de exposição ao vírus COVID-19 em determinados contextos, nomeadamente em áreas de contacto com o público.
  3. Vulnerabilidade da pessoa ou público a quem o uso da máscara for recomendado, isto é, pessoal com comorbidades, como doença cardiovascular ou diabetes e idoso.
  4. Densidade populacional local e respetiva capacidade de distanciamento social.
  5. Viabilidade: disponibilidade e custos da máscara.
  6. Tipo de máscara: máscara médica versus máscara não médica.

Como colocar, usar, retirar e descartar uma máscara

Familiar em casa com Covid-19: cuidados

Antes de colocar a máscara, deve lavar as mãos com uma solução de álcool-gel ou água e sabão.

A máscara tem que cobrir muito bem a boca e o nariz e tem que se verificar se não existe espaços entre o rosto e a máscara. Durante o seu uso deve ser evitado o contacto das mãos com a máscara e, caso aconteça, deve-se proceder à lavagem das mãos.

  • Tempo útil da máscara: é importante renovar a máscara frequentemente e descartá-la após o seu uso (deve ser usada apenas uma única vez). Sempre que a máscara estiver molhada também é importante proceder à sua renovação.

Para remover a máscara tem que se remover pelos elásticos, colocá-la imediatamente no lixo e lavar imediatamente as mãos. 

Quais as máscaras que podem efetivamente servir de barreira?

Em Portugal comercializa-se quatro tipos de máscaras: as cirúrgicas e as autofiltrantes (FFP1, FFP2 e FFP3).

As máscaras cirúrgicas são consideradas dispositivos médicos e usadas em contexto de cuidados de saúde, nomeadamente pelos médicos em cirurgias e para impedir qualquer contágio ao doente.

As máscaras autofiltrantes são a FFP1, FFP2 e a FFP3 e estão classificadas como Equipamento de Proteção Individual (EPI) em ambiente de trabalho de alto risco químico e/ou biológico.

Níveis de Proteção

FFP1 Partículas, névoas e fumos não tóxicos em base água ou óleo    
FFP2 Partículas, fumos e aerossóis tóxicos em base água ou óleo    
FFP3 Partículas, fumos e aerossóis tóxicos e potencialmente cancerígenos em base água ou óleo    

A proteção das máscaras FFP1 é baixa e são idênticas às máscaras cirúrgicas. Distinguem-se pelo tipo de material usado que é em polyester. É a mais recomendada para ser usada fora do ambiente hospitalar, em casos suspeitos ou confirmados de infeção por vírus respiratórios.

As máscaras FFP2 são as recomendadas pela DGS para os profissionais de saúde. São em material resistente e com filtros e conferem uma proteção média.

As máscaras FFP3 conferem uma proteção elevada.

O Equipamento de Proteção Individual deve ser utilizado de forma correta e adequada em todas as unidades de saúde no âmbito da infeção pelo novo coronavírus.

Para a observação da orofaringe e colheitas de amostras biológicas do aparelho respiratório de um caso suspeito, o profissional de saúde deverá usar requisitos mínimos, tais como: máscaras FFP2, proteção ocular, bata e luvas (2).

COVID-19: principais sintomas

Sintomas da COVID-19: mulher com febre

Se tem febre, tosse e dificuldade em respirar deve procurar ajuda médica o mais rápido possível. Considera-se um caso suspeito nas seguintes circunstâncias (3):

Critérios clínicosCritérios epidemiológicos
História de viagem para áreas com transmissão comunitária ativa nos 14 dias antes do início de sintomas
OU
Infeção respiratória aguda (febre ou tosse ou dificuldade respiratória) requerendo ou não hospitalizaçãoEContato com caso confirmado ou provável de infeção por SARS-CoV-2/novo coronavírus, nos 14 dias antes do início dos sintomas
OU
Profissional de saúde ou pessoa que tenha estado numa instituição de saúde onde são tratados doentes com COVID-19

As recomendações da Direção-Geral da Saúde (DGS)

A Direção Geral da Saúde (DGS) recomenda que quem tenha sintomas como febre, tosse e dificuldade respiratória e regressou de alguma das áreas afetadas ou contatou com uma pessoa infetada, ligar para a linha SNS 24 (808 24 24 24) antes de se dirigir a uma unidade de saúde (4).

Fontes

  1. WHO (2020). Advice on the use of masks in the context of COVID-19. Disponível em: https://www.who.int/publications-detail/advice-on-the-use-of-masks-in-the-community-during-home-care-and-in-healthcare-settings-in-the-context-of-the-novel-coronavirus-(2019-ncov)-outbreak
  2. WHO (2020). Shortage of personal protective equipment endangering health workers worldwide. Acedido em 8 de março de 2020. Disponível em: https://www.who.int/news-room/detail/03-03-2020-shortage-of-personal-protective-equipment-endangering-health-workers-worldwide
  3. Direção-Geral da Saúde (2020). Estarei doente? Acedido em 7 de março de 2020. Disponível em: https://www.dgs.pt/pagina-de-entrada3/corona-virus/estarei-doente.aspx
  4. WHO (2020). Coronavirus disease (COVID-19) advice for the public: When and how to use masks. Acedido em 7 de março de 2020. Disponível em: https://www.who.int/emergencies/diseases/novel-coronavirus-2019/advice-for-public/when-and-how-to-use-masks
Veja também