Mónica Carvalho
Mónica Carvalho
03 Set, 2020 - 09:15

Centro Europeu de Doenças recomenda continuar em teletrabalho

Mónica Carvalho

Centro Europeu para Prevenção e Controlo das Doenças recomenda as empresas a manterem o teletrabalho nos próximos tempos.

Mulher em casa em regime de teletrabalho

Portugal e o mundo preparam o regresso às aulas com os receios inerentes a uma situação pandémica como a que vivemos. Piotr Kramarz, chefe-adjunto do programa de doenças do ECDC, considera que “tendo em conta os dados disponíveis, as crianças e as escolas não são as maiores fontes de propagação desta pandemia” e, como tal, “o teletrabalho é uma medida que deve continuar a ser considerada nos próximos tempos”.

Em entrevista à agência Lusa, Piotr Kramarz, revela que “os países deverão abrir as suas escolas e sugerimos algumas medidas para serem adotadas, que devem ser coerentes com as restantes regras da comunidade, como tentar aumentar o distanciamento físico entre alunos”, ou “introduzir horários específicos [para cada ano] para que as aulas não terminem ao mesmo tempo e o intervalo também não seja ao mesmo tempo”, ou até considerar que os alunos “almocem no exterior, se o tempo assim o permitir”.

O cientista defende esta posição, visto que “embora haja bastantes incógnitas, não houve muitos surtos em escolas, talvez porque as crianças não ficam frequentemente doentes”, o que demonstra então que “esta não é a maior fonte de propagação da pandemia e, por outro lado, fechar as escolas teve graves consequências no desenvolvimento das crianças, não só em termos de aprendizagem, mas também na dimensão social”.

ECDC aconselha cuidados especiais no regresso ao trabalho

Trabalhadores no escritório da empresa

Assim, as maiores recomendações do ECDC vão mesmo para aqueles que vão regressar ao trabalho, visto que é mais difícil “aumentar o distanciamento físico”, nomeadamente em escritórios. Como tal, Piotr Kramarz sugere a manutenção do trabalho remoto, sempre que possível.

“Mas claro que depende muito das condições em que as pessoas trabalham […]. No caso das fábricas, se existe uma ventilação eficaz nos locais de trabalho. E depende de qual é a situação dos transportes públicos em autocarros, metro, etc., tudo isto tem de ser tido em conta”, contextualiza o cientista, reforçando o conselho de que o ECDC olha para “o teletrabalho como uma opção que deve continuar a ser usada para reduzir a transmissão”.

Fontes

  1. Lusa – “Covid-19: Escolas podem reabrir mas teletrabalho deve continuar a ser privilegiado – ECDC”, disponível em: https://www.lusa.pt/article/2Qgchc0ClHH43JJn81suVjMSZM5iuSI1/covid-19-escolas-podem-reabrir-mas-teletrabalho-deve-continuar-a-ser-privilegiado-ecdc
Veja também