Drª Patricia Azevedo | Médica Veterinária
Drª Patricia Azevedo | Médica Veterinária
30 Abr, 2020 - 08:39

Cão com dificuldade em respirar: saiba o que fazer e o que pode significar

Drª Patricia Azevedo | Médica Veterinária

O seu cão está com dificuldade em respirar? Saiba como deve agir e quais as causas prováveis para a dispneia.

Cão com dificuldade em respirar: cão deitado na sua caminha

A dificuldade em respirar ou dispneia, pode ser um sintoma de várias doenças e pode surgir de forma mais repentina (aguda) ou tornando-se cada vez mais progressiva (crónica). Se vê o seu cão com dificuldade em respirar deve ter em consideração esse sintoma pois, independentemente da causa, que deve ser procurada, trata-se de um problema grave.

Cão com dificuldade em respirar: como identificar?

Doenças parasitárias em cães

Um cão com dificuldade em respirar pode ser muito fácil de identificar, mas isto, apenas em situações mais severas. A dificuldade respiratória, pode também passar despercebida em situações mais ligeiras.

Quando um cão está com dificuldade em respirar é normal que tente procurar uma posição em que se sinta mais confortável e até consiga respirar melhor. A essa posição chama-se normalmente postura ortopneica.

A postura ortopneica caracteriza-se por:

  • Boa aberta e língua para fora
  • Cabeça para a frente esticada
  • Cotovelos dobrados
  • Movimentos do tórax fortes

Em casos severos de dispneia o animal pode apresentar a língua roxa, ou ficar com todas as mucosas arroxeadas. Isto significa que o sangue não é suficiente para oxigenar os tecidos. Nesta situação, o animal deve ser levado de imediato para o veterinário pois trata-se de uma situação de emergência e o animal pode morrer por insuficiência respiratória.

Os sintomas mais comuns que um cão com dificuldade em respirar pode apresentar são:

  • Síncope (desmaios)
  • Mucosas pálidas ou arroxeadas (cianóticas)
  • Respiração acelerada
  • Respiração superficial
  • Boca aberta
  • Intolerância ao exercício
  • Tosse
epilepsia em caes como e a doenca
Veja também Epilepsia em cães: tudo sobre a doença

Cão com dificuldade em respirar: Quais as possíveis causas?

Cão com dificuldade em respirar: causas

Se o cão está com dificuldade em respirar reflecte algum problema de saúde. No entanto, a dispneia pode ser um sinal de diferentes tipos de doença. Assim, se o seu animal demonstra qualquer sinal de dificuldade respiratória deve ser levado ao médico veterinário o mais urgentemente possível para que seja descoberta a causa e tratado.

Em alguns casos, como quando desmaia, está cianótico ou em posição ortopneica. Quando isto ocorrer, considere que se trate de uma emergência médica e siga de imediato com o animal para a clínica pois é um sinal que necessita de oxigenoterapia de imediato.

1.

Causas respiratórias

O cão pode apresentar dificuldade em respirar por ter algum problema no aparelho respiratório, no entanto, esta não é a única causa. Existem outros problemas noutros sistemas do organismo que podem desencadear este problema.

Dentro dos problemas respiratórios os mais comuns são:

  • Pneumonia
  • Asma ou alergias
  • Colapso da traqueia
  • Bronquite
  • Liquido na cavidade torácica, que pode ser primário ou secundário a outras patologias
  • Síndrome braquicefálica
  • Massas no sistema respiratório que estejam a causar compressão ou obstrução
  • Edema pulmonar
  • Hérnia diafragmática
  • Pneumotórax
2.

Causas cardíacas

Problemas cardíacos também são muito comuns como causa de dificuldade respiratória nos cães. De entre problemas cardíacos que podem causar este quadro, alguns exemplos são:

  • Cardiomiopatia Dilatada
  • Arritmias graves
  • Insuficiência ou displasia nas válvulas cardíacas (sopro)
  • Doenças cardíacas congénitas como Tetralogia de Fallot
  • Choque cardiogénico
  • Insuficiência cardíaca congestiva
  • Dirofilariose
3.

Doenças hematológicas

Alguns problemas no sangue do animal podem fazer com que haja um défice na oxigenação levando à dificuldade em respirar, como é o caso de anemias severas.

4.

Alterações abdominais

Algumas alterações na cavidade abdominal podem levar a que o animal fique com dificuldade respiratória, como por exemplo a ascite, ou seja, acumulação de líquido na cavidade abdominal. A ascite pode ter várias causas entre as quais insuficiência cardíaca ou problemas hepáticos.

5.

Intoxicação

Alguns tóxicos, por exemplo, gases inalados, podem levar a que o animal desenvolva dificuldade respiratória.

6.

Dor

A dor severa também pode ser responsável pelo seu animal ter dificuldade em respirar.

problemas hepáticos nos cães: tutor a segurar a pata de cão doente
Veja também Problemas hepáticos nos cães: sinais a estar atento

Cão com dificuldade em respirar: O que fazer?

Cão tem a pele vermelha: cão no veterinário

Levar o cão ao médico veterinário

A primeira coisa a fazer quando nota que o seu animal demonstra dificuldade respiratória é contactar o seu médico veterinário e descrever-lhe os sintomas, para que este o aconselhe acerca da urgência na marcação de consulta.

Todavia, independentemente de ser mais ou menos urgente, sempre que o animal apresenta dificuldade respiratória deve ser avaliado pelo médico veterinário.

Caso o seu animal esteja com dificuldade respiratória severa ou sem conseguir respirar, deve levar o animal à clínica veterinária mais próxima, para que sejam instaurados os cuidados imediatos de emergência.

Cuidado com o manuseamento do animal

Evite entrar em pânico e manuseie o animal o mínimo possível. Um cão com dificuldade em respirar está em pânico e, portanto, evite provocar-lhe ainda mais ansiedade.

Primeiros socorros

Caso o animal deixe de respirar enquanto vai a caminho do médico veterinário mais próximo, pode virá-lo de lado, e tente sentir os batimentos cardíacos na zona das costelas, junto ao cotovelo.

Caso não sinta batimentos cardíacos e o animal não respire, pode tentar massagens cardíacas com compressão ligeira (dependendo do porte do animal) alternando com sopro nas narinas ou boca do animal. No entanto, estes procedimentos de reanimação requerem prática e destreza.

No veterinário

Quando o animal chega à clinica, o médico veterinário irá colocar o animal logo com oxigénio. Após a estabilização do animal, o médico veterinário irá realizar uma anamnese completa e detalhada e proceder à realização de exames complementares, como análises ao sangue, radiografias, ecografia, entre outros que considere pertinentes para perceber a causa do problema.

O tratamento irá posteriormente depender da causa do problema respiratório.

Veja também