Drª Patricia Azevedo | Médica Veterinária
Drª Patricia Azevedo | Médica Veterinária
07 Set, 2020 - 09:11

Bronquite felina: diagnóstico e como tratar

Drª Patricia Azevedo | Médica Veterinária

Tal como os humanos os gatos também pode sofrer com este problema. Saiba como se diagnostica a bronquite felina e qual o tratamento.

Gato com bronquite felina deitado no sofá

A bronquite felina ou asma felina é uma doença crónica respiratória que afeta gatos, sendo muito semelhante à asma nos humanos. Os felinos são o único animal que, à semelhança das pessoas, também podem sofrer deste problema.

O que é a bronquite felina?

Gato deitado num cama

A bronquite felina carateriza-se por uma inflamação das vias aéreas (ou vias respiratórias), mais concretamente dos brônquios e bronquíolos, que são estruturas que fazem parte do pulmão e fazem o transporte do ar.

O que acontece nesta doença é que os felinos afetados não conseguem aproveitar o pulmão ao máximo e, portanto, perdem bastante capacidade respiratória.

Principais Causas

As causas de bronquite felina são várias, sendo que o mais comum é que um conjunto de fatores desencadeie a doença.

1.

Genética

Sabe-se que os gatos de raça siamês são mais predispostos para desenvolverem esta doença, portanto, existe, de algum modo, uma componente genética na doença respiratória.

Ainda assim, como existem muitos gatos fruto de cruzamentos entre diferentes raças, é cada vez mais comum, em gatos sem raça definida, encontrarem-se animais com estes problemas.

2.

Agentes patogénicos

Algumas bactérias e fungos podem atacar o sistema respiratório e, a longo prazo, levarem ao desenvolvimento de bronquite felina.

3.

Exposição a substância irritantes ou alergénios

Algumas substâncias como fumo de tabaco, ácaros, pólen, pó (incluindo o pó da areia para gatos) podem levar a irritação do aparelho respiratório, levando, a longo prazo, ao aparecimento de asma felina.

Sintomas de bronquite felina

Tutora a fazer mimos ao gato

O sinal clínico mais comum que carateriza a bronquite felina é a tosse, no entanto, nem toda a tosse é sinal de existência de bronquite felina. Existem também outros sinais aos quais pode estar atento.

1.

Tosse

Este é o sinal clínico principal e, por vezes, mesmo numa fase inicial, pode aparecer isoladamente em gatos com bronquite.

Muitas vezes, este sintoma é confundido e menosprezado pelos tutores por pensarem tratar-se de bolas de pelo, que provoca tosse, por os gatos se “engasgarem” com os pelos ao tentarem expelir.

É muito difícil distinguir a tosse de bronquite felina de bolas de pelo, portanto, é importante estar atento a outros sintomas que surjam pois, normalmente, caso o gato tenha bolas de pelo, não existem outros sinais associados e melhora com pasta de malte.

Em caso de suspeita desta patologia, surgimento de outros sinais, não melhoria com pasta de malte, ou persistência dos sintomas, é aconselhável consultar o médico veterinário para que sejam realizados exames complementares e uma avaliação adequada.

2.

Falta de ar

A falta de ar, ou dispneia, termo médico utilizado para descrever este sintoma, é também um sinal de bronquite felina, no entanto, este é um sintoma que costuma surgir em casos mais severos da doença.

Alguns gatos, ao terem ataques de tosse, podem inclusive desenvolver o que é chamado na prática clinica de posição ortopneica.

Esta posição caracteriza-se por os gatos ficarem estáticos, com o pescoço para cima e esticado e patas afastadas do pescoço. Esta é uma posição que adoptam em caso de dificuldade respiratória, pois instintivamente conseguem respirar melhor.

Em alguns casos, dependendo do grau de dificuldade respiratória, podem inclusive começar a respirar de boca aberta.

3.

Ruídos respiratórios

Gatos com bronquite podem demonstrar ruídos respiratórios, que podem ser audíveis com o gato a respirar normalmente. Outros, só podem ser ouvidos à auscultação, por isso é importante em caso de suspeita de bronquite felina ser realizada uma consulta para que o médico veterinário possa auscultar o gato.

4.

Outros sinais inespecíficos

Em gatos com bronquite felina podem surgir outros sinais gerais, tais como apatia, anorexia (deixar de comer ou comer menos), isolamento, febre.

Diagnóstico da Bronquite felina

Veterinário a tratar de gato

O diagnóstico de bronquite felina pode ser feito pelo médico veterinário na consulta, através da auscultação.

Para confirmação do diagnóstico, o médico veterinário pode também pedir análises complementares ao sangue e radiografias ao tórax.

O diagnóstico de bronquite felina deve também ter em consideração que outras doenças, nomeadamente respiratórias e cardíacas, podem provocar os mesmos sinais. Por isso, é importante durante a consulta, o médico veterinário também excluir a possibilidade dessas mesmas doenças.

Tratamento

O tratamento irá depender de vários fatores, como gravidade de sinais clínicos; se se trata de uma situação aguda ou crónica; outros problemas apresentados pelo paciente; estado de saúde, entre outros.

O médico veterinário depois de avaliar o seu felino e o ter diagnosticado com bronquite felina irá decidir qual o melhor tratamento a aplicar ao gato.

Geralmente, os medicamentos para esta doença podem ser administrados por via oral em casa, podem ser necessários antibióticos e anti-inflamatórios. Alguns gatos podem também necessitar de uma bomba que é administrada por inalação, tal como nas pessoas, em caso de SOS.

Em casos graves de uma crise aguda, os felinos podem necessitar de internamento com medicação intravenosa e oxigenoterapia.

Veja também