Drª Patricia Azevedo | Médica Veterinária
Drª Patricia Azevedo | Médica Veterinária
29 Jul, 2020 - 09:35

Ténias em gatos: saiba como proteger o seu felino

Drª Patricia Azevedo | Médica Veterinária

As ténias em gatos são bastante frequentes nos felinos mesmo nos que não têm acesso ao exterior. Saiba como os proteger deste problema.

Ténias em gatos

As ténias em gatos existem e são bastante frequentes tanto em gatos de exterior como de interior. Assim, a desparasitação interna é crucial para proteger o seu felino de problemas mais graves que podem surgir como consequência destes parasitas.

Ténias em gatos: O que são ténias?

Gato deitado num cama

As ténias são um tipo de parasitas intestinais (cestodes). Fixam-se nas paredes do intestino e causam inchaço e diarreia, sendo que, em casos mais graves, podem levar a diarreias muito graves levando a grave desidratação.

A olho nu estes parasitas são passíveis de ser identificados. Podem, então, ser observados nas fezes apresentando uma forma de “grão de arroz”. Esta parte identificável nas fezes corresponde a um segmento da ténia adulta que contém ovos no seu interior.

Existem vários tipos de ténias, sendo que umas são mais frequentes em determinadas espécies. As ténias que podem parasitar os gatos são:

  • Dipylidium caninum
  • Taenia Taeniaformis
  • Taenia Solium
  • Taenia Saginata
  • Diphyllobothrium latum

Como se transmitem as ténias em gatos?

Cão e gato a dormirem juntos

A forma mais comum dos gatos se infetarem com ténias é ingerindo pulgas infetadas, nomeadamente do tipo Dypilidium caninum. Este tipo de ténia pode estar presente em pulgas infetadas, não significando que todas contenham o parasita. No entanto, quando são observadas pulgas devem ser tomadas medidas no sentido de poderem ter ingerido a ténia.

Os gatos são animais muito limpos, e passam grande parte do dia a lavarem-se a si próprios, lambendo-se. Acontece que, se tiverem pulgas à superfície do pelo, ao limparem-se estas podem ser ingeridas acidentalmente e, caso contenham o parasita, ao chegarem ao intestino do animal as larvas de ténia são libertadas.

De salientar que nem só gatos com acesso ao exterior apanham pulgas. Mesmo sem sair, as pulgas podem ser transportadas por outros animais que tenham acesso ao exterior, como cães que coabitem com o felino, ou até mesmo pelas pessoas na sua roupa e calçado.

Outra maneira de se infetarem, esta mais recorrente em gatos com acesso ao exterior, é através da ingestão de pequenos animais, como ratos por exemplo.

Sintomas das Ténias em gatos

Tutora a fazer mimos ao gato

A maioria dos gatos pode ser assintomática, ou seja, não demonstrar qualquer sintoma durante muito tempo, mesmo estando parasitado. Muitas vezes, o único sinal é mesmo a observação de pequenas partículas esbranquiçadas (semelhante a pequenos grãos de arroz). No entanto, se não forem observados não significa que o animal não possa estar parasitado.

Em casos muito graves de parasitose também podem ser excretados parasitas no vómito.

Outros sinais de que o seu gato pode estar com ténias:

  • Prurido na zona anal ou perianal, que se pode manifestar por lambedura excessiva dessa zona ou rastejar no solo
  • Perda de peso
  • Vómito
  • Diarreia
  • Presença de sangue nas fezes
  • Abdómen dilatado
  • Pelagem sem brilho
  • Parasitas intestinais (semelhantes a grãos de arroz) observáveis nas fezes ou em redor do ânus

Na presença de qualquer um destes sinais é importante levar o seu melhor amigo a uma consulta para ser avaliado.

Ténias em gatos: Diagnóstico

Caso o animal esteja a expelir parasitas nas fezes ou vómitos, o diagnóstico é facilmente realizado pelo médico veterinário. Todavia, para confirmação da existência ou não de parasitas podem ser realizados exames às fezes (coprologia).

Tratamento e prevenção das ténias em gatos

Gato a ser tratado pelo médico veterinário

Se o gato apresentar ténias deve ser levado ao médico veterinário, que depois de o avaliar irá indicar qual o desparasitante mais adequado para o felino.

Existem vários tipos de desparasitantes com diferentes princípios ativos, sendo que alguns podem não ser eficazes contra este tipo de parasita. Assim, é importante optar sempre por um antiparasitário de largo espetro, ou ter o cuidado de verificar se é eficaz contra ténias, tanto no tratamento desta doença como na prevenção da mesma.

Podem ser necessárias várias tomas de desparasitante até que o animal fique livre de parasitas. Em alguns casos graves de infestação por ténias, o animal pode necessitar de ser desparasitado durante meses até estar livre de parasitas.

Caso surjam sintomas associados às ténias – como vómitos ou diarreia – devem ser tratados sintomaticamente. Por vezes é necessária a administração de anti-eméticos, fluidoterapia e medicamentos probióticos.

De forma a prevenir o aparecimento de ténias é aconselhável seguir um protocolo de desparasitação externa e interna regular. Deve proteger o seu gato não só dos parasitas internos diretamente, como também dos parasitas externos, que para além de provocarem outros problemas de saúde no seu pet, podem também transmitir ténias.

O plano de desparasitação deve ser sempre realizado pelo médico veterinário, tendo em consideração o modo de vida do gato. Por exemplo, um gato com acesso ao exterior deve ser desparasitado com maior regularidade do que um com apenas acesso ao interior. Até aos 6 meses de idade, os gatinhos também necessitam de ser desparasitados mais regularmente do que um gato adulto.

Veja também