Nutricionista Hugo Canelas
Nutricionista Hugo Canelas
20 Fev, 2020 - 18:03

Fact-check: beber água às refeições é desaconselhado?

Nutricionista Hugo Canelas

Embora a ingestão de líquidos traga uma série de benefícios, algumas pessoas afirmam que beber água às refeições não é boa ideia.

Mulher a beber água
fact-check impreciso

Questão em análise

Algumas pessoas afirmam que beber água às refeições dificulta o processo digestivo. Para além de a afirmação ser fisiologicamente contraditória, nada na bibliografia parece suportar estas crenças. Na verdade, beber água ou líquidos sem calorias às refeições parece não só facilitar a digestão como ajudar na perda de peso.

Para entender porque é que beber água às refeições – ou os líquidos em geral – podem ter um impacto negativo na digestão, devemos entender as bases do processo digestivo.

A digestão inicia-se na cavidade oral a partir do momento que os alimentos são ingeridos. O ato de mastigação sinaliza a produção de saliva pelas glândulas salivares, e as enzimas contidas nesta secreção iniciam os primeiros processos digestivos na boca.

Uma vez no estomago, os alimentos são misturados com o suco gástrico que perpetua a digestão e dá origem ao quimo.

No duodeno, a primeira porção do intestino delgado, o quimo ácido é misturado com as enzimas pancreáticas e com a bílis produzida no fígado e armazenada na vesícula biliar, continuando o processo digestivo e preparando os nutrientes para absorção.

A maioria dos nutrientes são absorvidos durante a passagem do quimo pelo intestino delgado e apenas uma pequena percentagem deles é absorvida no colon ou intestino grosso. O processo digestivo acaba após excreção do material indigerido através das fezes.

Beber água às refeições: Os líquidos causam problemas digestivos?

Embora a ingestão de água e outros líquidos traga uma série de benefícios, algumas pessoas afirmam que consumi-los com as refeições não é muito boa ideia.

Em primeiro lugar, muitas pessoas afirmam que beber água às refeições dilui o ácido gástrico e as enzimas digestivas, tornando o processo digestivo mais difícil.

No entanto, afirmar tal coisa é o mesmo que dizer que o sistema digestivo não se consegue adaptar as secreções à consistência de uma refeição, o que é completamente errado (1).

Em segundo lugar, muitos referem que beber água às refeições aumenta a velocidade de esvaziamento gástrico, ou seja, faz com que os alimentos saiam do estômago para o intestino mais rapidamente.

Este fenómeno irá então diminuir o tempo de contacto dos alimentos com o ácido gástrico e com as enzimas digestivas, piorando o processo digestivo. No entanto, nada na literatura parece apontar para tal.

Um estudo analisou o esvaziamento gástrico e concluiu que, embora os líquidos deixem efetivamente o estômago mais rápido que os sólidos ou pastosos, isso não afeta a velocidade de digestão do quimo (2).

Os líquidos podem facilitar a digestão

Na verdade, o que se verifica é exatamente o contrário.

Os líquidos podem ajudar a dividir pedaços maiores de alimento, facilitando a sua progressão pelo esófago até ao estômago, e podem promover um movimento mais facilitado do quilo através do intestino, auxiliando em casos de obstipação e inchaço abdominal.

Na verdade, visto que o estômago também secreta água durante a digestão, e essa água é necessária para ativação das enzimas gástricas, não há qualquer razão para assumir que beber água às refeições seja uma coisa negativa.

A água pode reduzir o apetite e o consumo energético

Beber água às refeições pode inclusive promover a sensação de saciedade e ajudar na perda de peso.

Alguns estudos mostram que beber água às refeições e não só pode estar associado à perda de massa gorda em adultos e crianças com excesso de peso (3, 4).

Beber água antes das refeições ajuda a atingir mais rapidamente o estado de saciedade, facto comprovado num estudo em 24 pessoas, no qual a ingestão de 500 mL de água antes do pequeno-almoço reduziu a quantidade de calorias ingeridas em 13% (5).

De forma semelhante, um estudo comprovou que beber cerca de 500 mL de água antes de cada refeição, associado a uma dieta hipocalórica, aumenta a perda de peso em mais de 40%, comparativamente ao grupo controlo (6).

Alguns autores afirmam que beber água também estimula o metabolismo, aumentando a quantidade de calorias gastas ao final do dia. Um estudo com 16 pessoas mostrou que beber 500 mL de água aumenta temporariamente o metabolismo em cerca de 24% durante 1 hora, o que pode ser importante no combate ao excesso de peso (7).

No entanto, os efeitos da água no metabolismo energético são praticamente desprezíveis e não se aplicam á maioria das pessoas (89).

Salienta-se que estas vantagens se aplicam única e exclusivamente à água e outros líquidos sem calorias como chás e infusões não açucarados. Um artigo de revisão refere que o total calórico ingerido pode ser até 15% superior nas pessoas que consomem refrigerantes, sumos de fruta e leite com as refeições (10).

Pessoas em risco

Homem a servir água a clientes num restaurante

Como tem vindo a ser explicado ao longo do artigo, para a maioria das pessoas, beber água às refeições não afeta negativamente o processo digestivo.

No entanto, se tem algum tipo de doença gástrica, como refluxo gastroesofágico ou gastrite crónica, a ingestão de líquidos juntamente com a refeição pode constituir um comportamento de risco.

Os líquidos acrescentam volume às refeições, o que pode aumentar a pressão dentro do estômago e precipitar o fluxo do conteúdo gástrico para o esófago (11).

A exposição prolongada ao ácido pode resultar em esofagite (inflamação do esófago), erosões do esófago, ulceração, cicatrizes e, em alguns casos mais graves, dificuldades de deglutição dos alimentos.

Fontes

  1. Malagelada, J.-R., et.al. (1979). Different gastric, pancreatic, and biliary responses to solid-liquid or homogenized meals. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/371939
  2. FISHER, R. S., et.al. (1982). Gastric Emptying of a Physiologic Mixed Solid-Liquid Meal. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/7083695
  3. Vij, V. A. (2013). Effect of “Water Induced Thermogenesis” on Body Weight, Body Mass Index and Body Composition of Overweight Subjects. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3809630/
  4. Stookey, J. D., et.al. (2008). Drinking Water Is Associated With Weight Loss in Overweight Dieting Women Independent of Diet and Activity. Disponível em: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/full/10.1038/oby.2008.409
  5. Davy, B. M., et.al. (2008). Water Consumption Reduces Energy Intake at a Breakfast Meal in Obese Older Adults. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/18589036
  6. Dennis, E. A., et.al. (2009). Water Consumption Increases Weight Loss During a Hypocaloric Diet Intervention in Middle-aged and Older Adults. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/19661958
  7. Boschmann, M., et.al. (2007). Water Drinking Induces Thermogenesis through Osmosensitive Mechanisms. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/17519319
  8. Brown, C. M., et.al. (2006). Water-Induced Thermogenesis Reconsidered: The Effects of Osmolality and Water Temperature on Energy Expenditure after Drinking. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/16822824
  9. Li, E.T., et.al. (1999). Resting metabolic rate and thermic effects of a sucrose-sweetened soft drink during the menstrual cycle in young Chinese women. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/10535715
  10. Daniels, M. C., & Popkin, B. M. (2010). Impact of water intake on energy intake and weight status: a systematic review. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/20796216
  11. Fuchs, K. H., et.al. (2014). EAES recommendations for the management of gastroesophageal reflux disease. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/24789125
Veja também