Vida Ativa
Vida Ativa
05 Jul, 2022 - 17:53

10 alimentos que come no verão que podem arruinar a rotina de treinos

Vida Ativa

Descubra 10 alimentos que come no verão e que, talvez sem dar conta, podem mesmo estragar o seu trabalho no ginásio.

Sim, fizemos a lista daqueles alimentos que come no verão mais vezes e que deveria evitar para manter os resultados da atividade física que anda a praticar para equilibrar o peso e saúde. Quer saber quais são e quantos deles estão, realmente, mais presentes no seu dia a dia durante a estação mais quente do ano? Fique connosco.

Alimentos que come no verão e que deve moderar

O verão é a estação do ano mais propícia à ingestão de alimentos menos recomendados, com um valor energético bastante elevado, repletos de açúcar, gorduras saturadas e trans, e de sal.

Estes alimentos correspondem a um “escape” face à alimentação tradicional e são refeições de conforto, cujo consumo deve ser limitado durante o resto do ano.

10 exemplos que podem estragar os resultados dos treinos

Por ser uma altura de maior descontração, é fácil cair no erro de descurar alguns cuidados com a alimentação e de deitar por terra o trabalho de (pelo menos) um mês de ginásio. E não é preciso muito!

Com escolhas alimentares erradas, rapidamente alcançamos pomos em causa o trabalho de semanas de treino.

Veja agora quais os 10 alimentos que come no verão de forma mais ou menos habitual e que são os principais inimigos do seu compromisso durante a estação quente.

Copo de refrigerante
1.

Refrigerantes

Os refrigerantes são o exemplo clássico daquilo que são calorias vazias. Muito consumidos durante o verão pela sensação de frescura que proporcionam, estes alimentos são uma fonte primordial de açúcar, sem adicionarem nada de positivo à sua alimentação.

Em alguns casos, têm também adição de gás, que provoca inchaço e potencia a erosão da massa óssea e do esmalte dos dentes.

Mesmo os refrigerantes “light” ou “zero” devem ser evitados, pois apesar de não possuírem adição de açúcar ou possuírem um teor muito menor, contêm adoçantes artificiais.

Estudos já demonstraram que os adoçantes / edulcorantes artificiais confundem as papilas gustativas e promovem um aumento do apetite por doces nas refeições seguintes.

Como tal, na maioria das vezes, opte pela água, a única bebida que hidrata verdadeiramente e não engorda. Esporadicamente, quando lhe apetecer uma coisa diferente, opte por um refrigerante light ou zero, mas sempre com moderação!

2.

Bebidas Alcoólicas

Vinho, cerveja, Gin tónico, entre outras, são também bebidas muito apreciadas e consumidas no verão, não só como meio de “refresco”, mas também devido à vertente social que lhes está associada.

No entanto, à semelhança dos refrigerantes, o álcool também fornece muitas calorias. Para se ter uma ideia, 1g de álcool corresponde a 7 Kcal, mais do que 1g de Hidratos de Carbono que corresponde a 4 Kcal.

Se a isto juntarmos o facto de algumas bebidas alcoólicas serem combinadas com um refrigerantes ou açúcar para se tornarem mais doces, temos uma bomba calórica e vazia do ponto de vista nutricional: álcool e açúcar!

Portanto, modere a ingestão de bebidas alcoólicas e reserve-as apenas para situações mais especiais.

3.

Bolas de Berlim

Sem dúvida, um dos alimentos de verão. As Bolas de Berlim são quase “obrigatórias” quando se está na praia e existem versões para todos os gostos: desde sem creme e com creme de ovos, com ou sem chocolate a versões mais “fit” de alfarroba.

Seja qual for a sua escolha, é sempre um alimento que vai comprometer a sua “linha” e a gestão do seu peso devido ao teor de gordura e açúcar que possui.

A comer, opte pela versão mais simples sem creme no interior e coma com moderação.

4.

Crepes

Outro dos alimentos que faz parte das férias. Muito consumido como sobremesa de refeições principais, não se esqueça que os crepes são feitos à base de farinha e são recheados com outros alimentos ricos em açúcar e/ou gordura: chocolate, mel, compota, o próprio açúcar, gelados, entre outros.

5.

Gelados

Os gelados são um alimentos que não podes faltar para a maioria das pessoas que estão de férias. Refrescam e adicionam um sabor mais doce à praia, à piscina, à noite ou até à própria refeição.

No entanto, mais uma vez, trata-se de um alimento muito denso do ponto de vista energético, o que significa que uma pequena porção fornece bastantes calorias.

Quando comer um gelado, opte por um sorvete, visto que tem um valor energético menor e não contém gordura.

6.

Chocolates

Ainda no campo dos doces, não podia faltar o chocolate. Seja nas bolachas, seja nos cereais utilizados para o pequeno-almoço, seja simplesmente um quadrado (quando não são mais), o chocolate está muito presente nas férias.

Mas, se não quer comprometer a sua dieta, opte por consumir apenas 1 quadrado de chocolate negro por dia, à sobremesa de uma refeição, e prescinda do chocolate adicionado nos alimentos mencionados anteriormente.

Hambúrguer de peru, pimento e tomate seco
7.

Fast Food

Além da tendência para se exagerar nas quantidades de alimentos quando estamos de férias, existe muitas vezes a tentação de comer em restaurantes de fast food, ou fazer refeições à base de fast food.

Falamos de pizzas, hambúrgueres, cachorros, entre outros “pratos” que, se exagerar no número de vezes que os consome por semana, vão comprometer largamente o trabalho que teve até ao verão.

8.

Sandes

O verão e calor são sinónimo de passar o dia na praia / piscina. E como não há tempo nem vontade de vir a casa a meio do dia, os almoços passam, frequentemente, pelas sandes.

Estas sandes, apesar de poderem parecer muito inofensivas, podem ser na verdade muito comprometedoras. Isto porque, o pão, por si só, fornece uma grande quantidade de hidratos de carbono e o interior da sandes nem sempre corresponde ao que devia: pasta de atum, frango ou delícias do mar, patés, carnes fritas, omeletas, entre outros, são as opções mais comuns.

Como tal, se não conseguir preparar uma refeição caseira para o almoço, opte por levar uma salada para a praia ou uma sandes que utilize um pão com menos hidratos de carbono (por exemplo pão shape) e com um recheio menos calórico, sem fritos e sem molhos.

9.

Batatas Fritas

Além das sandes, os churrascos e as refeições caseiras rápidas são também muito frequentes. E para acompanhar estas refeições há sempre batatas fritas.

Sempre que possível, prefira a salada ou até o arroz e quando consumir batatas fritas (de pacote), prefira as versões light com redução do teor de gordura.

10.

Amendoins salgados

Fechamos a nossa lista dos alimentos que come no verão e que deveria evitar com os adorados amendoins salgados. É certo que o amendoim é um fruto seco oleaginoso com propriedades nutricionais interessantes.

No entanto, não se esqueça que não é para comer como petisco e indiscriminadamente, visto que possui um teor de gordura muito elevado e, consequentemente, um valor energético também muito alto.

Além disso, as versões salgadas ainda possuem um teor de sal excessivo, que promove a retenção de líquidos, o inchaço e potencia o “pesadelo” da celulite.

Como tal, coma amendoins não salgados e sempre uma pequena porção (cerca 1 punhado) para não comprometer a sua linha durante o verão.

E o que acontece ao corpo quando deixamos de treinar nas férias?

Aliado a tudo isto, e de uma forma geral, só pelo simples facto de deixar de treinar durante 15 dias, a sensibilidade à insulina e a pressão arterial sofrem um impacto negativo; após 4 semanas ocorre uma diminuição substancial da força e da resistência e a acumulação de massa gorda fica potenciada, logo torna-se muito mais complicado de gerir o peso.

Então, quais destes alimentos que come no verão estão a por em causa a sua rotina de treinos?

Combinar escolhas acertadas à mesa – de casa e dos restaurantes, na marmita do trabalho ou da praia – com a manutenção dos treinos durante a estação quente – e as férias – é o que vai garantir que o esforço feito até agora não seja deitado fora.

Veja também