Nutricionista Rita Lima
Nutricionista Rita Lima
30 Ago, 2020 - 17:40

Acelga: o familiar da beterraba que tem de conhecer

Nutricionista Rita Lima

A acelga pertence à mesma família que a beterraba e apresenta inúmeros benefícios para a saúde. Introduza-a na sua alimentação de forma regular.

acelga

A acelga, ou beterraba branca como também é designada, é uma planta de folha verde que pertence à família das quenopodiaceae, a mesma que a beterraba.

Não forma raíz ou fruto comestível, sendo a folha à parte que se consome com maior regularidade. Apresenta propriedades nutricionais consideráveis, nomeadamente a sua riqueza em fibra, vitaminas e minerais, e inúmeros benefícios para a saúde, principalmente a nível de pele, anemias e ossos.

Propriedades Nutricionais da Acelga

tigela de madeira com folhas de acelga

O sabor da acelga é semelhante ao do espinafre, mas ligeiramente mais suave. Quando a acelga não é fresca e está velha, desenvolve um sabor amargo.

Como acontece com a maioria dos hortícolas, as acelgas destacam-se pelo seu elevado teor em água e fibra, pelas quantidades pouco significativas de hidratos de carbono, proteínas e gorduras e pelo baixo valor energético.

Apresenta, como é característico deste grupo de alimentos, grande riqueza em vitaminas e minerais, sendo as folhas mais externas as mais ricas.

Em termos de minerais destacam-se o magnésio, sódio, iodo, ferro e cálcio, sendo o potássio o mineral encontrado em concentrações mais elevadas. Quanto a vitaminas, destacam-se a vitamina A, vitamina C, Vitamina E e ácido fólico.

No entanto, importa salientar que as suas folhas também contêm uma quantidade significativa de ácido oxálico, um anti-nutriente, que interfere na absorção de certos nutrientes, nomeadamente o cálcio e o ferro.

Este efeito do ácido oxálico deixa de acontecer quando a planta é submetida a elevadas temperaturas como acontece durante a cozedura.

Modo de preparação e conservação da acelga

senhora a preparar a acelga

As pencas (caules) são consideradas a melhor parte das acelgas, podendo ser consumidas cozidas, assadas ou como parte de uma sopa de legumes.

Como preparar a acelga

As folhas podem ser cozidas em água ou a vapor, refogadas ou consumidas em cru temperadas com azeite e sumo de limão, obtendo um prato muito leve e saudável.

Como conservar a acelga

Em termos de conservação, o ideal é consumir a acelga o mais breve possível, visto que com o passar do tempo ela vai envelhecendo e perdendo as suas propriedades nutricionais.

No frigorífico, o período de conservação é de 3 a 5 dias. Devem ser guardadas sem lavar, na gaveta dos vegetais e dentro de um saco plástico perfurado.

Se tiver muita quantidade e quiser congelar, deve primeiro mergulhar as folhas em água a ferver e, de seguida, colocá-las num recipiente com água gelada, para interromper o processo de cozimento. De seguida, guarde num recipiente hermeticamente fechado no congelador.

2 Receitas com acelga para experimentar

1. Sopa de acelgas

sopa de acelga em tigela branca

Cozinha: Portuguesa Tipo: Almoço ou Jantar Tempo de preparação: 00h30

Ingredientes:

  • Acelgas
  • Base de sopa
  • Folhas de salsa
  • Manjericão

Modo de preparação:

  1. Juntar as acelgas (finamente cortadas) a uma base de sopa com feijão (ou lentilhas), cebola, tomate, aipo, cenoura e courgete.
  2. Adicionar as folhas de salsa e manjericão e servir.

2. Esparregado de acelgas

prato com esparregado de acelgas

Cozinha: Portuguesa Tipo: Almoço ou Jantar Tempo de preparação: 00h30

Ingredientes:

  • Acelgas
  • 1 cháv. de chá de leite
  • 2 a 3 colheres de sopa de farinha

Modo de preparação:

  1. Colocar as acelgas (cozidas) num tacho com o azeite já quente.
  2. Acrescentar leite (cerca de uma chávena de chá) e farinha (2 a 3 colheres de sopa) e mexer tudo até ficar homogéneo.

um pouco de história acerca da acelga

Em termos de cultivo, a acelga é uma planta própria de regiões costeiras ou de terrenos salinos temperados, bi-anual (Outono e Primavera) e de ciclo longo.

O seu uso na alimentação está datado desde o quarto século antes de Cristo principalmente na região costeira do mar Mediterrâneo.

Antigamente, era consumida apenas pelos romanos, gregos e egípcios, sendo que posteriormente, o seu consumo foi-se disseminando pela Europa e outros continentes.

Veja também