Publicidade:

Quais são e como tratar os sintomas das hemorroidas

Hemorroidas são veias dilatadas na região anal e os principais sintomas das hemorroidas incluem prurido, dor e pressão ao defecar, sangramento vivo e prolapso.

 
Quais são e como tratar os sintomas das hemorroidas
Será que tem doença hemorroidária? Identifique os sintomas

Os sintomas das hemorroidas afetam muitas pessoas, e vão desde o prurido, uma comichão desconfortável, até casos de sangramento e saída, ou prolapso, das hemorroidas, que pode ser sentido ao toque da região do ânus.

Grande parte da população sofre desta patologia, tanto que a Sociedade Portuguesa de Coloproctologia refere que as hemorroidas sintomáticas são frequentes na população adulta. Estima-se que afetam aproximadamente 50% da população nalguma altura da vida (1).

 5 sintomas das hemorroidas


mulher com sintomas das hemorroidas: dor e inchaço

Os 5 sintomas mais comuns são:

  • Dor;
  • Sangramento, pode ter intensidade variável, mas geralmente é vermelho vivo;
  • Prolapso das hemorroidas, algumas vezes redutível (voltam sozinhas para dentro após a evacuação), outras vezes é necessário empurrá-las para dentro;
  • Inchaço após defecar, desconfortável e doloroso, nas hemorroidas externas, na trombose aguda;
  • Coceira (prurido) ao redor do ânus é também é um sintoma comum. A limpeza frequente, na tentativa de aliviar esse prurido, pode agravar o problema.

O sangramento é o sintoma das hemorroidas mais comum e, na grande maioria das vezes, não é volumoso e sim, intermitente e de pequeno volume a monta (embora não seja muito frequente, o paciente pode, algumas vezes, apresentar anemia importante).O aumento crônico do esforço para evacuar aumenta a possibilidade de surgimento do prolapso hemorroidário, a saída da hemorroida, que é a consequência do relaxamento do tecido conjuntivo localizado entre a mucosa e a camada muscular do reto (3).

Quando a queixa principal for dor, atenção especial deve ser dada para a possibilidade de estar presente alguma complicação da doença hemorroidária: trombose hemorroidária aguda, associação com fissura anal ou o surgimento de um abscesso perianal (2).

Como diferenciar os sintomas das hemorroidas


sintomas de hemorroidas: a importância do diagnóstico

É importante salientar que, uma vez descrita a história clínica minuciosa, quase sempre há condições para se fazer o diagnóstico da doença hemorroidária. Em determinadas situações clínicas e, sobretudo evolutivas, a história pode trazer alguma dúvida quanto ao diagnóstico, portanto, é fundamental a realização rotineira de um completo exame físico e, principalmente, o proctológico, para confirmar ou não a suspeita clínica (3).

Entre as patologias com sintomas semelhantes aos sintomas das hemorroidas, temos:

  • Neoplasia retal (adenocarcinoma o mais frequente);
  • Neoplasia de canal anal (principalmente o carcinoma epidermóide e o melanoma);
  • Condiloma acuminado perianal;
  • Pólipo retal (pode sangrar e/ou prolapsar);
  • Papila anal hipertrófica (sangramento, prolapso, desconforto anal);
  • Prolapso retal (desconforto local, prurido, sangramento e o prolapso);
  • Fístula anorretal (desconforto local, secreção e prurido);
  • Fissura anal aguda ou crônica (dor e sangramento).

É comum observar pacientes que apresentam queixas relacionadas com o intestino e com o ânus acharem, erroneamente, que seus sintomas são devidos às hemorroidas (2).

Tratamento das Hemorroidas


Um princípio básico é tratar apenas as hemorroidas sintomáticas.

A prevenção das hemorroidas é feita tratando a obstipação. O tratamento é feito aumentando a oferta de fibra na dieta, os doentes com dieta pobre em fibra devem ingerir 2 a 6 colheres de sopa de farelo a cada refeição e líquidos em quantidade adequada.

O efeito laxante pode demorar 3 a 5 dias e o alívio da obstipação algumas semanas. Os vegetais e frutos contêm fibra solúvel mas nem sempre são substitutos adequados do farelo. O farelo pode causar distensão abdominal e flatulência, e deve ser ingerido com muitos líquidos. Estes sintomas podem ser aliviados iniciando com pequena quantidade e aumentando gradualmente, conforme tolerado para o efeito desejado (1).

1. Hemorroidas externas

As hemorroidas externas não requerem tratamento, a não ser na trombose aguda. Se o doente é observado numa fase subaguda, habitualmente após 48 horas, com a dor em fase de alívio, a trombose em resolução, sendo o edema sobrejacente preponderante, o tratamento conservador é recomendado e suficiente.

Este consiste em amolecer as fezes, analgesia, frio local e banhos de assento com água morna. Tendo em conta o seu modo de ação, os tratamentos locais contendo corticoides ou incluindo um excipiente lubrificante ou protetor mecânico, podem ser propostos por curtos períodos (1).

2. Hemorroidas internas

São geralmente tratadas de maneira conservadora com medidas anti-obstipantes, como a dieta rica em fibra, suplementos de fibra e líquidos.

Os sintomas menores, como o prurido e desconforto anal podem ser controlados com tópicos como os protectores da pele (creme gordo) após a defecação, anestésicos contendo benzocaina, dibucaina ou pamoxina.

Pomadas com hidrocortisona são seguras e podem aliviar o prurido. Os anti-inflamatórios esteróides sistémicos podem ser utilizados nas hemorróidas dolorosas na grávida, por curtos períodos, associados ou não a analgésicos (paracetamol) e venotrópicos (hidroxietilrutosido e diosmina). A aspirina é desaconselhada na doença hemorroidária (1).

As hemorroidas internas prolapsadas e trombosadas são uma urgência pela dor intensa que provocam. A hemorroidectomia urgente é frequentemente o tratamento de escolha. Contudo, o tratamento médico conservador com anti-inflamatórios esteroides e não-esteroides, uso de gelo e tópicos locais, é uma alternativa.

As hemorróidas internas com sintomas refratários devem ser tratadas com procedimentos instrumentais simples realizados em regime ambulatório, como a laqueação elástica, a injecção de esclerosante, a fotocoagulação, a electrocoagulação com corrente monopolar, bipolar ou o árgon (1).

Quando deve consultar um médico?


Ao identificar um dos sintomas das hemorroidas, pode e deve consultar um médico. Todos os pacientes com idade acima de 40 anos, apresentando-se com sangramento retal, devem ser submetidos a uma sigmoidoscopia flexível ou colonoscopia, para afastar a possibilidade da presença de tumores colorretais benignos ou malignos, de doença inflamatória intestinal e de doença diverticular (3).

Veja também:

Fontes

1. FERNANDES, V. (2009). “Doença hemorroidária. Revista Portuguesa de Coloproctologia”. Disponível em:
 https://www.spcoloprocto.org/uploads/rpcol_maio_agosto_2009__pags_36_a_43.pdf
2. Sociedade Brasileira de Coloproctologia (2009). “Folheto Hemorroidas”. Disponível em:
 https://www.sbcp.org.br/pdfs/publico/hemorroidas.pdf
3. Hemorroida: diagnóstico (2005). Sociedade Brasileira de Coloproctologia. Disponível em:
 https://diretrizes.amb.org.br/_BibliotecaAntiga/hemorroida-diagnostico.pdf

Danielle Paiva Danielle Paiva

Licenciada em Medicina e Farmácia & Bioquímica pelo Centro Universitário de Nilton Lins, Danielle também é Mestre em Engenharia Industrial e Qualidade pela Universidade do Minho. Atualmente é voluntária na Cruz Vermelha onde desenvolve diversas ações de saúde.

O Vida Ativa disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento nutricional, de saúde ou de treino. O Vida Ativa não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui nem dispensa a assistência profissional qualificada e individualizada. Caso pretenda sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].