Como perder gordura visceral: as melhores estratégias para o sucesso

Quando a gordura começa a envolver órgãos internos, podem dar-se complicações sérias. Saiba como perder gordura visceral e evitar problemas maiores.

 
Como perder gordura visceral: as melhores estratégias para o sucesso
Livre-se desta gordura tão prejudicial.

Como perder gordura visceral, quando esta se aloja nas proximidades dos órgãos internos? Com a adoção de hábitos alimentares saudáveis, com a prática de exercício físico e, até, com a ajuda de alguns tratamentos localizados.

A estratégia não tem de ser difícil nem dolorosa. Basta que tenha força de vontade e que queira cuidar mais da sua saúde. Ter uma percentagem de gordura visceral é extremamente prejudicial, mas felizmente existem estratégias que podem ajudar a ver-se livre deste problema.

Gordura visceral: o que é?


A gordura visceral é comumente conhecida como gordura abdominal e é a mais perigosa para a saúde.

A gordura acumula-se nas camadas profundas da cavidade abdominal e envolve os órgãos ao seu redor, como é o caso do coração, fígado, estômago, rins, intestinos e pâncreas.

É difícil avaliar a percentagem de gordura visceral individual, no entanto, uma barriga proeminente e uma cintura larga são dois sinais que podem indicar a presença de gordura visceral em excesso.

Esta gordura não deve ser confundida com a gordura subcutânea, que é armazenada logo abaixo da pele e que é medida através das pregas adiposas.

Ter muita gordura visceral é um grave problema de saúde, uma vez que se encontra associada a um maior risco de diabetes tipo 2, resistência à insulina, doenças cardíacas e até certos tipos de cancro.

Como perder gordura visceral: 5 estratégias que deve implementar


1. Coma fibra solúvel

alimentos ricos em fibras

A fibra solúvel absorve água e forma um gel que ajuda a reduzir a velocidade dos alimentos à medida que passa pelo sistema digestivo. Este tipo de fibra promove a perda de peso, ajudando na sensação de saciedade. Também pode diminuir o número de calorias que seu corpo absorve dos alimentos.

Além disso, a fibra solúvel pode ajudar a combater a gordura abdominal. Um aumento da ingestão de fibras solúveis ajuda a diminuir o ganho de gordura visceral. Tente consumir alimentos ricos em fibras todos os dias.

E não se esqueça: a ingestão de água é fundamental para que a fibra possa ter os efeitos indicados. A ingestão de muita fibra sem a ingestão de água pode causar efeitos contrários.

2. Evite alimentos que contenham gorduras trans

alimentos com gordura trans

As gorduras trans podem ser encontradas em algumas margarinas e também são frequentemente adicionados a alimentos embalados. Essas gorduras têm sido associadas a problemas como inflamação, doenças cardíacas, resistência à insulina e ganho de gordura abdominal.

Para ajudar a reduzir a gordura da barriga e proteger sua saúde, leia atentamente os rótulos dos ingredientes e fique longe de produtos que contenham gorduras trans ou gorduras parcialmente hidrogenadas.

 3. Não beba muito álcool

nao beber alcool

O álcool pode ter benefícios para a saúde quando ingerido em pequenas quantidades, mas é seriamente prejudicial se for ingerido em demasia e pode contribuir para o ganho de gordura abdominal.

Beber muito álcool está relacionado com um risco significativamente maior de obesidade e gordura na zona da barriga, por isso, considere reduzir o consumo de álcool pode ajudar a reduzir o tamanho da sua cintura.

Limite a ingestão de álcool e o tipo de álcool que bebe. Opte por um copo de vinho por dia ou por uma cerveja pequena.

4. Pratique uma alimentação rica em proteínas

alimentos ricos em proteina

A proteína é um nutriente extremamente importante para o controlo de peso. A ingestão de proteínas aumenta a libertação da hormona PYY, que diminui o apetite e promove a saciedade. A proteína também aumenta a taxa metabólica e ajuda a reter a massa muscular durante a perda de peso

Alguns estudos observacionais mostram que pessoas que consomem mais proteína tendem a ter menos gordura abdominal do que aquelas que ingerem uma dieta com baixo teor de proteínas.

Certifique-se que inclui uma boa fonte de proteína em cada refeição como carnes brancas, ovos, laticínios e leguminosas.

5. Reduza seus níveis de stress

alivio do stress

O stress pode faze-lo aumentar a percentagem de gordura visceral, fazendo com que as glândulas supra-renais para produzam cortisol, também conhecido como a hormona do stress.

Elevados níveis de cortisol aumentam o apetite e, consequentemente, o maior aporte calórico e posterior acumulação de gordura visceral. Além disso, mulheres que já têm cintura larga, tendem a produzir mais cortisol em resposta ao stress.

6. Não coma muitos alimentos açucarados

alimentos acucarados

O açúcar tem sido associado a várias doenças crónicas, quando consumido em excesso. Estas incluem doenças cardíacas, diabetes tipo 2, obesidade e doença hepática gordurosa.

Alguns estudos mostram uma relação entre o consumo elevado de açúcar e o aumento da gordura abdominal. É importante perceber que não é apenas o açúcar refinado que pode levar ao ganho de gordura na zona da barriga. Mesmo os açúcares mais saudáveis devem ser consumidos ​​com moderação.

Assim, além da limitação da ingestão de açúcares refinados, deve limitar o consumo de hidratos de carbono para as suas necessidades diárias.

7. Faça exercício físico

correr na passadeira

A prática de exercício físico é fundamental para o controlo da gordura visceral. O tipo de exercício pode variar entre cardio ou musculação, desde que a intensidade do treino seja suficientemente exigente.

Assim, para perder gordura visceral comece por definir uma periodicidade de treino por semana e cumpra esse objetivo. Escolha o tipo de treino que mais gosta para não perder a motivação e seja consistente. Com o tempo, aumente os desafios e sinta a diferença no seu corpo.

Veja também:

O Vida Ativa disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento nutricional, de saúde ou de treino. O Vida Ativa não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui nem dispensa a assistência profissional qualificada e individualizada. Caso pretenda sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].