Mónica Carvalho
Mónica Carvalho
28 Ago, 2020 - 09:50
Trilho da Berlenga

Trilho da Berlenga: vamos dar a volta à ilha?

Mónica Carvalho

Praia, sol e desporto: uma combinação tripla que os adeptos da atividade física vão adorar. O Trilho da Berlenga é perfeito para colocar este plano em prática.

Quem acha que fazer desporto é custoso e até aborrecido é porque nunca pensou em fazer o Trilho da Berlenga, cujo percurso atravessa o Planalto do Farol e permite até fazer visitas às grutas da ilha.

Assim, poderá fazer a combinação perfeita entre férias e praticar atividade física, enquanto descobre um pequeno paraíso português em pleno Oceano Atlântico.

Em 1981, este arquipélago foi classificado como Reserva Natural e em 1998 foi nomeado como a Reserva Natural das Berlengas. Trata-se de uma área protegida com um total de 9.541 hectares, onde se inclui uma reserva marítima, uma Zona de Proteção para Aves Selvagens e integra a Rede Natura 2000.

Onde fica o Trilho da Berlenga?

Paisagem do Trilho da Berlenga

O arquipélago das Berlengas, localizado perto do Cabo Carvoeiro, pertence ao município de Peniche. É constituído por um conjunto de pequenas ilhas, distribuídas por três grupos: as Ilhas da Berlenga, Ilhas Estelas e Farilhões.

1.

Como chegar?

O acesso à Ilha da Berlenga faz-se de barco a partir de Peniche, que pode ser apanhado no Cais Marina. Existem várias empresas a fazer o transporte e o ideal é que compre o bilhete com antecedência, visto que o acesso à ilha é limitado e, como tal, assim garante a sua presença.

O preço do bilhete depende da empresa que escolher, mas rondam os 20€ – ida e volta.

Por sua vez, quando lá chegar, encontrará o Bairro dos Pescadores, onde se inicia o trilho em direção ao farol.

2.

Que distância vai percorrer?

O Trilho da Berlenga tem uma extensão de 3 quilómetros.

3.

Caraterísticas do trilho

O início e fim do percurso – visto que é circular – possui um declive acentuado, o que pode tornar-se num trilho difícil para quem não está habituado ou possui algum problema físico.

O resto do trilho é praticamente sempre feito em terra batida e é de fácil acessibilidade.

4.

Qual a melhor altura do ano para visitar?

Primavera, verão e outono são as épocas do ano que apresentam melhores condições atmosféricas não só para visitar o percurso, como para fazer a viagem de barco de acesso à ilha, que pode, aliás, estar condicionada mediante a meteorologia.

Trilho da berlenga: Pontos de interesse

Vista da Ilha Berlenga

Ainda que seja uma ilha pequena, enquanto percorre o Trilho da Berlenga, tem a possibilidade de desfrutar de pequenos locais encantadores e de outros pontos marcantes para a história de Portugal. Saiba o que deve visitar.

Forte de São João Baptista

Trata-se de uma estrutura de origem militar e que constitui a construção mais significativa das Berlengas e o elemento mais icónico do arquipélago.

Foi mandado construir sob o governo de D. João IV, para fazer frente às frequentes incursões de piratas e corsários e à possibilidade de um ataque espanhol, o que acabou por acontecer.  Deixou de ser usado para fins militares em 1914 e, atualmente, é um local cultural e funciona ainda com alojamento para quem deseja ficar hospedado na ilha.

Bairro dos Pescadores

Foi construído em 1941 com o objetivo de albergar a comunidade piscatória que se encontrava instalada na ilha da Berlenga.

Castelinho

Esta construção situa-se no Carreiro do Mosteiro e corresponde a um antigo posto de observação do séc. XVI. Atualmente, é um espaço comercial.

Farol do Duque de Bragança

É um dos pontos que mais se destaca na ilha, por que se encontrar bem no topo, a aproximadamente 112 metros acima da linha do mar. Projeta um foco luminoso que ainda hoje orienta os navegadores até vários quilómetros de distância.

Praia do Carreiro do Mosteiro

Existe uma pequena enseada na Ilha da Berlenga, com águas transparentes, cristalinas, que bem podem servir de local de repouso após realizar esta revigorante caminhada.

Dormir na ilha

Se preferir, poderá pernoitar na ilha e, para tal, existem três opções. Dormir no Forte de São João Baptista, que tem capacidade para 50 pessoas e na qual precisa de levar a roupa de cama. O preço é acessível – apenas 10€ por noite. Poderá também dormir no Pavilhão Mar e Sol, uma opção de alojamento mais tradicional e confortável. O local possui seis quartos e o preço ronda os 75€ por casal. A terceira opção para ficar a dormir na ilha é a mais natural: acampar no Parque de Campismo das Berlengas para manter contacto direto com a natureza. Pagará 8€ por noite por cada tenda.

Para esclarecer todas as dúvidas sobre o alojamento e eventuais restrições durante o período de pandemia que vivemos, consulte antecipadamente o Posto de Turismo de Peniche ou a Câmara Municipal de Peniche, entidade que trata de todas estas questões.

O que deve levar para fazer o Trilho da Berlenga?

Mulher a beber água

Para fazer o Trilho da Berlenga deverá munir-se do essencial para um dia de atividades outdoor, até porque está sempre dependente do horário dos barcos para o regresso a casa. Cabe-lhe a si definir se fica na ilha um período do dia ou um dia inteiro ou mais.

Isto é o que deve levar:

  • Fruta rica em água e hidratos de carbono simples (melão, melancia, meloa, banana, maçã, pêssego, cerejas, uvas, etc)
  • Barritas de cereais / granola / cereais integrais
  • Bolachas simples e secas (bolacha torrada, crackers, etc)
  • Ovos cozidos (desde que possa acondicionar termicamente)
  • Queijinhos individuais (desde que acondicionados termicamente)
  • Saladas frescas (desde que possa acondicionar termicamente)
  • Sanduiches (desde que possa acondicionar termicamente)
  • Água, no mínimo de 2litros por pessoa

Acessórios para fazer o Trilho da Berlenga

Homem a percorrer trilho da Berlenga

Saber quais são os acessórios a levar para o Trilho da Berlenga depende também do seu tempo de estadia.

Comodidade e segurança é o que deve privilegiar e, para tal, coloque estes itens na sua checklist:

  1. Mochila leve e confortável, de tamanho adequado à quantidade de coisas que levar para um dia e, preferencialmente, com capacidade térmica.
  2. Calçado que seja adequado a caminhada de montanha, sejam sapatilhas ou botas – escolha o modelo que lhe parecer mais confortável.
  3. Roupa confortável.
  4. Protetor solar que deve aplicar várias vezes ao longo do percurso.
  5. Chapéu / boné e óculos de sol.
  6. Biquíni ou fato de banho, se estiver a pensar em parar na praia para relaxar um pouco.
  7. Toalha para se sentar depois do banho e para descansar.
  8. Saco para guardar o lixo.
  9. Máquina fotográfica para registar os momentos mais marcantes do trilho.

Quantas calorias vai gastar a fazer o Trilho da Berlenga?

O Trilho dos Pescadores tem 3 km de extensão e pode percorrê-lo em diferentes passadas:

  • Passada lenta – vai demorar 01h
  • Passada moderada – vai demorar 00h37
  • Passada rápida – vai demorar 00h32
  • Passada muito rápida – vai demorar 00h28

Agora, para calcular as calorias que vai gastar a fazer este trilho, na nossa calculadora, só tem de:

  • Selecionar o seu peso
  • Selecionar a passada da caminhada
  • Selecionar o tempo que vai demorar a fazer a caminhada
Calculadora de calorias gastas em exercícios

Saiba quantas calorias gasta
por atividade física

Peso (Kg)

 
 

Duração Atividade (horas)

 
 

Escolha uma actividade:

Nível estimado de calorias consumidas:

 

Nível estimado de calorias consumidas

Saiba mais sobre o Trilho da Berlenga

A Ilha da Berlenga é um local onde a paisagem natural é incrível e tal deve-se à mínima intervenção por parte dos humanos, daí que se encontre completamente preservada.

Conhecida como a ilha tropical portuguesa, pois apresenta águas cristalinas, em tons de verde, o local possui igualmente vida selvagem como poucos lugares no país, de tal forma que a Reserva Natural tem um significativo e vasto número de espécies de animais e plantas que são únicos no território português.

Além do Trilho da Berlenga que referimos, poderá ainda fazer o Trilho Ilha Velha, um percurso circular com 1,5 quilómetros ou o Trilho das Grutas, um percurso marítimo muito bonito, que permite conhecer locais como o Forte de São João Baptista, a Gruta Azul, o Furado Grande e a Cova do Sono.

Veja também