Catarina Milheiro
Catarina Milheiro
04 Ago, 2022 - 18:35

Sexualidade na adolescência: uma conversa entre pais e filhos

Catarina Milheiro

A sexualidade na adolescência é uma tema que não deve ser tabu entre pais e filhos. Saiba como informar os mais novos.

Por muito que não aparente, a verdade é que conversar sobre a sexualidade na adolescência com os filhos ainda é um assunto que provoca alguma ansiedade para alguns pais e até mesmo para os mais novos.

A Organização Mundial de Saúde (OMS), considera a adolescência o período entre os 10 e os 19 anos de idade. Trata-se de um período caracterizado por significativas mudanças corporais e psicológicas.

Como todos sabemos, é nesta fase que os nossos filhos passam por um turbilhão de mudanças. Por isso mesmo, é crucial que como pais, conversemos sobre a sexualidade abertamente e sem qualquer tipo de tabus.

Até porque é precisamente neste intervalo de idades que surgem inúmeras questões na cabeça dos adolescentes – que muitas vezes acabam somente por conversar com os amigos, colocando os pais de parte.

E se por um lado, os mais jovens se sentem constrangidos a falar sobre esta temática, por outro alguns pais também não sabem muito bem por onde começar ou o que dizer.

Sexualidade na adolescência: 4 conselhos para os pais

Conversar sobre a sexualidade na adolescência não é sinónimo exclusivo de falar sobre sexo. E esta é uma questão muito importante. Afinal, o assunto é muito mais amplo do que isso.

Desde conversar sobre as mudanças físicas do corpo, as emoções, o consentimento, a intimidade, o respeito pelo outro e até o amor, o prazer, a autoestima e todas as informações mais técnicas ou alertas para os perigos.

Os temas envolventes podem ser vários e não é necessário que marque um dia na agenda para conversar com os seus filhos sobre tudo isto. Na verdade, se a intenção for abordar o tema de forma natural e tranquila, o melhor é optar por diferentes interações.

Ou seja, através de conversas naturais do quotidiano e acontecimentos espontâneos. O importante é que consigam conversar de forma clara e concisa, através de respostas claras.

Ainda tem dúvidas em relação à melhor idade do jovem adolescente para falar sobre sexualidade? A Academia Americana de Pediatria refere que esta comunicação deve iniciar-se a partir dos 11 anos de idade.

Para o ajudar nesta tarefa, temos alguns conselhos. Tome nota.

1.

Mostre-se disponível

Apesar de a sexualidade na adolescência poder ser um tema com o qual não se sente muito à vontade para conversar com os seus filhos, a verdade é que deve começar por mostrar-se disponível.

O que significa que, se o adolescente optar por fazer algumas questões ou falar naturalmente sobre o assunto consigo, é essencial que ele se sinta à vontade para o voltar a fazer. Por isso, como pai ou mãe, deve estar preparado para saber ouvir, sem críticas ou julgamentos pelo meio.

Quando o adolescente percebe que pode confiar nos pais para esclarecer as suas dúvidas sobre a sexualidade, está criado o ambiente ideal para que seja o próprio até a definir o ritmo do acesso à informação.

2.

Não presuma que o seu filho irá fazer questões quando tiver dúvidas

Presumir que os mais pequenos nos vão fazer perguntas sobre a sexualidade quando surgirem dúvidas, não é de todo o mais correto a fazer. Isto porque, na maioria das vezes, os próprios também se sentem inibidos e acabam por nunca conversar com os pais sobre o assunto.

Assim, é importante que aproveite alguns momentos chave para esclarecer o seu filho. Seja através de uma conversa que está a passar na rádio, uma notícia que leu, um livro ou até mesmo uma discussão na escola.

Se as perguntas surgirem por parte do seu filho e não se sentir ainda devidamente preparado para falar sobre a sexualidade, então pode optar por dar uma resposta um pouco mais curta, mas prometendo sempre voltar ao assunto mais tarde.

3.

Ultrapasse os constrangimentos com o bom humor

Se já iniciou as conversas sobre a sexualidade na adolescência com os seus filhos, provavelmente sabe que acabam sempre por haver alguns momentos de constrangimento – que da sua parte, como da parte dos jovens.

A melhor forma para acabar com esse tipo de momentos, é recorrendo ao bom humor falando dos temas abertamente e com descontração. Ou seja, trata-se de agir de forma natural, brincando até com alguns aspetos.

Este tipo de atitude perante as conversas sobre a sexualidade irá ajudar a facilitar a comunicação e a criar empatia – um aspeto crucial para que os pais consigam perceber até onde podem ou devem ir.

4.

Diga sempre a verdade e baseie-se no rigor científico

Se refletirmos bem, esta questão é fundamental quando o assunto é a sexualidade na adolescência. E ainda que os pais não possam contar tudo de uma vez apenas, aquilo que disserem tem de ser verdade.

Caso contrário o adolescente poderá sentir-se enganado e começar a desconfiar das suas respostas e explicações. Por isso, o melhor é perceber sempre até onde deve ir com o seu filho e adaptar a sua resposta ao contexto em que surgiu a questão ou um comentário.

Tente perceber o motivo pela qual surgiu a pergunta ou o comentário e utilize sempre a terminologia correta – ainda que possa causar algum desconforto.

Por isso, dizer as coisas pelo nome delas é um fator decisivo neste tipo de conversas entre pais e filhos. Para além dos jovens se sentirem muito mais à vontade, vão compreender que os pais estão ali para ajudar a desmistificar algumas coisas que vão ouvindo pela escola ou na internet, por exemplo.

O mais importante nas conversas sobre a sexualidade na adolescência é a comunicação assertiva, com rigor científico e de forma o mais natural possível (para que ambas as partes se sintam confortáveis).

E em caso de dúvidas sobre algumas determinações, pode sempre conversar com o pediatra para que possa esclarecer o seu filho de forma correta e sem dúvidas.

Veja também