Catarina Milheiro
Catarina Milheiro
02 Ago, 2022 - 20:15

Saiba como lidar com a rivalidade entre irmãos

Catarina Milheiro

É possível minimizar o risco de a rivalidade entre irmãos surgir. No entanto, é crucial entender aquilo que devemos ou não dizer.

Quando a família cresce e ao primeiro filho se junta um ou mais irmãos, podem começar a surgir os primeiros conflitos: a chamada rivalidade entre irmãos.

Nas relações entre irmãos e à medida que as crianças crescem é natural existir alguma competitividade, mesmo quando o amor é bastante e partilhado por todos de igual forma.

A tendência é para “competirem” pelo afeto e pela atenção dos pais. E a verdade é que um novo irmão pode significar uma ameaça ou enaltecer alguns medos: como o medo de não ser aceite, de não ser amado ou até o medo de não ser igual ou melhor em vários aspetos.

Tudo isto pode despoletar alguns conflitos entre irmãos, inclusivamente alguns comportamentos um pouco agressivos, desrespeitosos e até desafiantes. Mas é possível que os pais minimizem estes riscos – saiba como.

A rivalidade entre irmãos e a responsabilidade dos pais

A partir de uma determinada idade é natural que exista alguma rivalidade entre irmãos. A questão que se impõe é se de facto esta rivalidade é ou não saudável.

E cabe aos pais perceberem que para além do ciúme e da competição normal que existe entre irmãos, há algumas frases e atitudes que podem desencadear comportamentos típicos de rivalidade (no mau sentido).

A verdade é que muitas vezes, sem nos apercebermos, dizemos sem hesitar: “A Joana está a portar-se tão bem, olha para ela sem chorar e gritar”. Este tipo de comparação é, na maioria dos casos, aquilo que mais contribui para o problema.

Acabamos por comparar os nossos filhos vezes sem conta, numa tentativa de os fazer ver que o seu comportamento deveria ser igual ao do irmão. Mas nem nos apercebemos de que esta pode não ser uma boa estratégia para controlar a rivalidade entre eles.

Por isso mesmo, é crucial que os pais estejam devidamente atentos às necessidades de cada filho. Ou seja, que se coloquem no papel deles e imaginem os pais a ouvir alguns comentários como o que foi acima descrito.

Qual seria o pensamento depois disso? Algo como “Devia ser mais como a Joana, tenho de ter mais calma e ser ponderado” ou “A Joana faz sempre tudo bem, eu faço tudo mal e estrago tudo”.

Provavelmente a segunda hipótese é a mais comum entre irmãos, seja qual for a diferença de idades.

4 dicas para minimizar a rivalidade entre irmãos

O papel dos pais na educação dos filhos é talvez a coisa mais complicada com que se deparam ao longo da vida. Não por ser difícil, mas sim porque obriga a repensar na forma como pretendem passar alguns valores essenciais aos mais pequenos, o mais natural possível.

E entre a vida profissional e pessoal, nem sempre é fácil encontrarmos um equilíbrio e mantermos a mesma atenção diariamente para os mais pequenos detalhes.

Por isso mesmo e se sente que há uma certa rivalidade entre irmãos em sua casa, temos algumas dicas para o ajudar.

1.

Não faça comparações entre irmãos

Demonstre o carinho e afeto que tem por cada um deles e coloque de parte as comparações entre irmãos. Afinal, elas são prejudiciais e não trazem nada de bom para a vida das crianças.

Em vez disso, opte por proporcionar momentos em família e de partilha, com os pais de forma individual e evitar ainda qualquer demonstração de favoritismo.

2.

Não alimente a ideia de que o mais velho sabe tudo

Por vezes dizemos sem pensar muito “olha para o teu irmão, ele sabe qual a postura que deve adotar à mesa. Põe os olhos nele”. Apesar de podermos pensar que este comentário fará alguma diferença e que é totalmente inofensivo, na cabeça das crianças as coisas podem não funcionar assim.

A rivalidade entre irmãos pode começar desta forma: ou porque os mais novos se sentem inferiorizados, com menos valor e patéticos na maioria das situações. Ou porque os mais velhos sentem que têm efetivamente alguma autoridade e que podem dizer e fazer tudo o que querem aos mais novos.

3.

Quando houver um conflito, ouça sem julgamentos

Sempre que houver um conflito entre irmãos e estes forem ter consigo para explicar a situação e demonstrar quem tem “culpa”, opte por ouvir, mas sem julgar.

Ouça tudo o que eles têm para dizer e tente perceber o que poderá ter estado na origem do conflito. No fundo, o importante é deixá-los deitar cá para fora tudo aquilo que sentem menos positivo em relação ao irmão naquele momento. Depois, tentar resolver: uma conversa calma e atenuante é sempre a melhor hipótese nestes casos.

4.

Dê-lhes espaço

Estamos certos de que é extremamente importante que os irmãos passem tempo juntos. Mas para além desse tempo, é igualmente essencial que possam também estar sozinhos, sozinhos com amigos ou com os amigos de ambos.

O importante é sentirem que para além do irmão e da família, as crianças têm outras pessoas com quem podem conviver e conversar. Sejam amigos, tios, primos mais pequenos ou os avós até.

Como preparar os filhos para a competitividade

Esta é uma questão muito importante. Na verdade, o mundo em que vivemos torna-se cada vez mais competitivo, seja nas escolas, entre amigos, na faculdade ou no trabalho.

Mas a única forma de prepararmos os mais pequenos para este mundo é efetivamente através de um ambiente onde o trabalho em equipa, a cooperação, o respeito e aceitação estejam presentes.

Afinal, não é por serem rivais dos irmãos ou totalmente competitivos que se vão tornar em melhores pessoas ou em indivíduos mais preparados para a vida. Muito pelo contrário.

Por isso já sabe, o objetivo ao longo do crescimento dos seus filhos deve ser fortalecer a autoestima deles para que no futuro, se tornem adultos conhecedores do mundo real e com estrutura para lidarem com os mais diversos problemas e questões.

Veja também