Camila Farinhas
Camila Farinhas
02 Jun, 2020 - 11:55

COVID-19, constipação e alergia: como distinguir cada uma?

Camila Farinhas

Distinguir entre COVID-19, constipação e alergia pode não ser fácil, uma vez que alguns sintomas destas patologias são comuns entre si. O Vida Ativa ajuda-o a identificar as principais diferenças.

COVID-19, constipação e alergia: mulher a assoar-se

Com as mudanças de temperatura e os níveis de pólen mais elevados, o aparecimento de sintomas semelhantes ao do novo coronavírus pode desencadear algumas dúvidas. Distinguir entre COVID-19, constipação e alergia é essencial para saber quais as medidas que deve tomar.

COVID-19, constipação e alergia: principais sintomas

1.

COVID-19

Mulher a verificar febre com termómetro

O SARS-CoV-2, ou novo coronavírus, surgiu pela primeira vez em Dezembro de 2019 na cidade Chinesa de Wuhan e, desde então, têm sido diagnosticados novos casos por todo o mundo. A percentagem destes casos varia consoante os sintomas e gravidade do quadro clinico associado, sendo que 80% dos casos diagnosticados são de doença ligeira, ou seja, apresentam sintomas leves, tais como (1, 2):

  • Febre
  • Rinorreia (pingo no nariz)
  • Cefaleias (dor de cabeça)
  • Fadiga  
  • Mialgias (dores no corpo)
  • Tosse seca

Alguns sintomas menos frequentes têm sido também descritos, como a perda de olfato e paladar, diarreia e vómitos, erupção cutânea ou ainda conjuntivite. Na maioria das vezes, não é necessário internamento desde que se apresente um quadro clinico estável.

As pessoas infetadas devem ter as condições necessárias para permanecer em casa em segurança e garantir o acompanhamento no domicilio por parte dos profissionais de saúde.

Cerca de 15% dos casos correspondem a quadro grave com dificuldade respiratória acentuada e diagnóstico de pneumonia. Os restantes 5% dos casos correspondem a quadro muito grave, com necessidade de ventilação artificial.

COVID-19: guia informativo
Veja também COVID-19: guia essencial sobre a doença
2.

Constipação

Mulher com constipação deitada no sofá

Sendo as oscilações de temperatura propícias ao seu desenvolvimento, as constipações são bastante frequentes nesta época do ano. Os sintomas mais habituais de uma constipação surgem de forma gradual, e são maioritariamente:

  • Odinofagia (dor de garganta)
  • Congestão Nasal
  • Mialgia (dores no corpo)
  • Espirros

A tosse moderada e a fadiga também podem surgir. Não é habitual desenvolver febre ou falta de ar como sintomas associados a uma constipação, mas caso se verifiquem devem ser alvo de avaliação clínica.

3.

Alergia

Mulher com alergia ao pólen

A alergia desenvolve-se devido a uma resposta exacerbada do sistema imunitário quando exposto a substâncias que lhe são nocivas, como o pólen ou os ácaros. O organismo desencadeia processos de eliminação destas substâncias, através de alterações inflamatórias da pele e das mucosas (olhos, nariz e garganta).

No caso da polinose (alergia ao pólen), esta é mais frequente nos meses de Fevereiro a Outubro, sendo o seu pico entre Maio e Julho. O vento e a temperatura elevada promovem o agravamento dos sintomas, sendo eles (3):

  • Espirros persistentes
  • Rinorreia (pingo no nariz)
  • Congestão Nasal
  • Prurido nasal e ocular frequente
  • Tosse, apesar de pouco habitual, exceto em situações de tosse alérgica.

Embora sejam semelhantes aos sintomas de uma constipação, existem diferenças importantes:

  • Não surge febre
  • Sintomas oculares persistentes, como olhos lacrimejantes e vermelhos
  • Sintomas repetidos ao longo do tempo

Para quem sofre de alergias, já se encontra familiarizado com os sintomas. Assim, é mais fácil compreender se se trata efetivamente de alergia ou não. A periodicidade anual destes sintomas também deve ser considerada. No entanto, é importante estar atento e caso se observem alterações, devem ser alvo de avaliação clínica.

Qual a principal diferença entre COVID-19, constipação e alergia?

Embora sejam semelhantes entre si, verifica-se que os principais sintomas sugestivos de infeção pelo novo coronavirus são precisamente a febre associada à dificuldade respiratória, dor no peito e tosse seca persistente (4).

No entanto, é importante salientar que a avaliação não deverá ser efetuada de forma isolada e sim de forma combinada, pois existem pessoas infetadas por COVID-19 que são assintomáticas. Importa pois perceber o tempo de desenvolvimento dos sintomas e se existe, ou não, agravamento dos mesmos.

Já a presença de desconforto nos olhos e garganta, associada a espirros persistentes poderá indicar que estamos perante uma alergia. A tosse moderada associada a espirros e com ausência de febre, poderá ser sugestivo de uma constipação (5).

De salientar que os doentes asmáticos devem estar vigiantes para o desenvolvimento de crises mais frequentes ou agravamento de sintomas. A toma regular da medicação habitual é essencial. Por serem considerados grupo de risco, devem ter especial atenção aos procedimentos recomendados pela Direção Geral de Saúde, nomeadamente a higiene frequente das mãos, o uso de máscara e manter o distanciamento social (6).

De acordo com a Direção Geral de Saúde (7), em caso de suspeita de COVID-19, os utentes devem contatar a linha SNS24: 808 24 24 24. Para casos não suspeitos, os utentes devem contatar o centro de saúde da sua área de residência preferencialmente por telefone ou email. Apenas se devem deslocar à unidade de saúde caso seja estritamente necessário, ou por indicação do médico ou enfermeiro após triagem.

Cidadãos nacionais ou estrageiros que não se encontrem inscritos num centro de saúde, devem contatar a linha SNS24.

Fontes

  1. Serviço Nacional de Saúde (2020). COVID-19: Perguntas frequentes. Acedido em 30 de Maio de 2020. Disponível em: https://covid19.min-saude.pt/perguntas-frequentes/
  2. World Health Organization (2020). Q&A on coronaviruses (COVID-19). Acedido em 30 de Maio de 2020. Disponível em: https://www.who.int/emergencies/diseases/novel-coronavirus-2019/question-and-answers-hub/q-a-detail/q-a-coronaviruses
  3. Taketomi, EA., et al. (2020). Doença alérgica polínica: polens alergógenos e seus principais alérgenos. Rev Bras Otorrinolaringol, 72(4), 562-567. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-72992006000400020
  4. Chen, N., et al. (2020). Epidemiological and clinical characteristics of 99 cases of 2019 novel coronavirus pneumonia in Wuhan, China: a descriptive study. The Lancet, 395(10223), 507-513. Disponível em: https://www.thelancet.com/journals/lancet/article/PIIS0140-6736(20)30211-7/fulltext#%20
  5. Nawaz, Z., et al. (2020) Spring is Here, Now What? Know the difference between a cold, flu, coronavirus and allergy. Emerg Infect Dis Diag J, EIDDJ-100010. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/340256020_Spring_is_here_now_what_Know_the_Difference_Between_a_Cold_Flu_Coronavirus_and_Allergy
  6. Abrams, EM., et al. (2020). Asthma and COVID-19. CMAJ, 19(192), 551. Disponível em: https://www.cmaj.ca/content/cmaj/192/20/E551.full.pdf
  7. Serviço Nacional de Saúde (2020). Preciso de um médico. E agora? Acedido em 1 de Junho de 2020. Disponível em: https://covid19.min-saude.pt/preciso-de-um-medico/
Veja também