Nutricionista Maria Inês Cardoso
Nutricionista Maria Inês Cardoso
20 Mar, 2020 - 07:00

Fact-check: pode o novo coronavírus ser transmissível através da comida?

Nutricionista Maria Inês Cardoso

Será que o novo coronavírus pode ser transmissível através da comida? Saiba o que diz a Autoridade Europeia para a Segurança Alimentar.

coronavírus ser transmissível através da comida: mulher a lavar alimentos
fact-check falso

Questão em análise

Os alimentos têm vindo a ser apontados como uma uma via de transmissão do SARS-CoV-2, por seremconsiderados superfícies de contacto. No entanto, os estudos não confirmam esta informação.

Com a propagação exponencial que temos vindo a assistir do novo coronavírus a nível mundial, surgem impreterivelmente incertezas e receios face às medidas que deveremos adotar de forma a protegermo-nos e a tentar mitigar a sua propagação. A possível transmissão do vírus através dos alimentos é uma das mais recentes questões.

Pode, então, o novo coronavírus ser transmissível através da comida?

Pode o novo coronavírus ser transmissível através da comida? Eis os factos

Medidas de prevenção da gastrite: lavar bem os alimentos

Segundo a Autoridade Europeia para a Segurança Alimentar, a EFSA, não existe qualquer evidência de que os alimentos possam ser uma fonte ou via provável de transmissão da COVID-19. Esta posição é também apoiada pela Autoridade de Segurança Alimentar e Económica, a entidade nacional ASAE.

Segundo a ASAE, “as possíveis explicações estarão relacionadas com a baixa estabilidade deste tipo de vírus no ambiente (ou seja, o período em que existe a probabilidade de contaminação ser curto) bem como o fato de ter que haver uma concentração relativamente alta para que a contaminação tenha viabilidade” (1).

Contudo, uma vez que se trata de uma situação nova que exige ainda mais investigação, o ideal será mesmo adotar o princípio da precaução e reforçar as medidas de higiene e segurança alimentar.

Para além das medidas fulcrais que todos devemos adotar e respeitar relativamente à correta e frequente higienização das mãos (que pode verificar na imagem abaixo) e o distanciamento social, devem ser reforçadas as medidas de higiene alimentar, nomeadamente (1):

  1. Secagem apropriada das mãos após a lavagem, de forma a evitar a contaminação cruzada. Por exemplo, fechar a torneira com uma folha de papel ou com o cotovelo ao invés de o fazer com mão que a abriu antes de ser higienizada.
  2. Desinfeção apropriada das bancadas de trabalho e das mesas com produtos apropriados.
  3. Evitar a contaminação entre comida crua e cozinhada: não utilizar os mesmos utensílios de cozinha para manipular alimentos crus e cozinhados, guardar os alimentos em embalagens ou recipientes fechados e organizar corretamente os alimentos no frigorífico de forma a evitar a contaminação cruzada (confira como o deve fazer no tópico seguinte).
  4. Cozinhar bem os alimentos (acima dos 70ºC), particularmente a carne, peixe e ovos, e manter a comida a temperaturas apropriadas. Isto é: não deixar alimentos cozinhados, mais de duas horas, à temperatura ambiente; refrigerar rapidamente os alimentos cozinhados e/ou perecíveis (preferencialmente abaixo de 5 ºC); manter os alimentos cozinhados quentes (acima de 60 ºC) até ao momento de serem servidos; não descongelar os alimentos à temperatura ambiente mas sim no frigorífico em recipientes adequados.
  5. Lavar adequadamente os alimentos crus como frutas e vegetais.
  6. Evitar partilhar comida ou objetos entre pessoas durante a sua preparação, confeção e consumo.
  7. Verificar regularmente os prazos de validade dos alimentos.

Como organizar corretamente os alimentos no frigorífico de forma a evitar a contaminação cruzada?

Quanto tempo aguenta a sopa no frigorífico lá de casa
  1. Nas prateleiras superiores, deve colocar os alimentos prontos a comer como os lacticínios, ovos ou charcutaria assim como as sobras dos alimentos já cozinhados.
  2. Os peixes e carnes crus na prateleira intermédia.
  3. As frutas e vegetais nas prateleiras inferiores ou em gavetas, no caso de estas existirem.
  4. Os produtos em fase de descongelação devem ser colocados na parte inferior, devidamente acondicionados em recipientes para os líquidos resultantes da descongelação não vertam.
  5. Na porta deve colocar produtos que não necessitem de temperaturas tão baixas como água, molhos, bebidas ou compotas (2).

É importante ainda que verifique se a temperatura de refrigeração (frigorífico) está inferior a 5ºC e a de congelação (congelador) está inferior ou igual a -18ºC.

Mais do que nunca é altura dos nos protegermos, a nós e aos outros, e embora não exista evidência de que os alimentos possam efetivamente ser um veículo de transmissão do vírus nunca é demais adotar estas medidas.

Fontes

  1. ASAE. “Pode o novo tipo de coronavírus ser transmissível através da Comida?”. Disponível em: http://www.asae.gov.pt/espaco-publico/destaques/pode-o-novo-tipo-de-coronavirus-ser-transmissivel-atraves-da-comida.aspx
  2. Viegas, S. J. (2014). “Segurança Alimentar. Guia de boas práticas”. Disponível em: http://repositorio.insa.pt/bitstream/10400.18/2371/3/Seguranca_Alimentar-Guia_de_Boas_Praticas_do_Consumidor.pdf
Veja também