Nutricionista Hugo Canelas
Nutricionista Hugo Canelas
10 Ago, 2022 - 19:50

Será que comer chocolate causa acne?

Nutricionista Hugo Canelas

Objeto de estudo durante mais de 50 anos, ainda existem muitas dúvidas sobre se comer chocolate causa acne. Entenda.

Comer chocolate causa acne: mulher a comer chocolate negro

Desde 1969 que esta doçura é estudada para responder à questão: comer chocolate causa acne? O problema é que o desenho de grande parte dos estudos disponíveis não permite determinar se o real causador é o cacau, o açúcar ou os químicos utilizados na produção das barras de chocolate.

O acne é uma doença multifatorial, onde até a história familiar tem um impacto na severidade, tornando difícil determinar quais os agentes exógenos que podem exacerbar as crises e os sintomas.

Em resposta à questão se comer chocolate causa acne, a evidência parece apontar para uma associação positiva entre o consumo de chocolate e a severidade do acne mas outras variáveis na dieta, como o consumo de hidratos de carbono refinados, podem também ser responsabilizadas.

Para além disso, muitos dos estudos utilizam chocolates comerciais, com outros ingredientes para além do cacau, dificultando ainda mais a tarefa de determinar a relação de causalidade.

Por via das dúvidas, se quiser evitar crises de acne, mantenha-se longe das barras e snacks comerciais, preferindo o chocolate negro com o máximo de cacau possível, e monitorize o consumo de açúcar simples e hidratos de carbono refinados ao longo do dia.

O que é o acne?

Comer chocolate causa acne: mulher a vele pele do rosto ao espelho

De acordo com a American Academy of Dermatology, o acne é a doença de pele mais comum nos Estados Unidos e embora não comprometa diretamente a saúde, nos casos mais severos pode ser extremamente dolorosa e provocar stress emocional.

Sintomas do acne

Esta doença de pele pode afetar qualquer parte do corpo, mas é mais comum na cara, costas, pescoço e ombros. As lesões mais frequentes no acne são as borbulhas negras ou esbranquiçadas conhecidas como comedões.

Causas do acne

Esta doença ocorre quando os poros da pele ficam bloqueados por sebo produzido pelas glândulas sebáceas, células mortas ou bactérias.

Cada poro da pele termina num folículo, estrutura que é constituída por um pelo e por uma glândula sebácea. O sebo produzido é conduzido para a superfície da pele para manter a sua lubrificação mas em alguns casos, este processo pode conduzir ao acne, nomeadamente quando:

  • É produzido demasiado sebo pelos folículos;
  • Células mortas se acumulam nos poros;
  • Bactérias colonizam os poros.

Fatores de risco para o acne

Os mitos acerca do contributo dos alimentos para o surgimento do acne são muito, e nenhum dele é maior do que o do chocolate.

Na verdade, os fatores de risco reais são as alterações hormonais que ocorrem na puberdade e durante a gravidez, o uso de certos medicamentos como a pílula e corticosteróides, uma dieta rica em hidratos de carbono refinados e a genética familiar (pais que também tiveram acne).

O acne hormonal, relacionado com a puberdade, geralmente é transitório ou pelo menos melhora na idade adulta.

Comer chocolate causa acne? O que diz a ciência

Comer chocolate causa acne: variedades de chocolate
1.

Os estudos que dizem que SIM

Alguns estudos sugerem que o chocolate pode exacerbar os sintomas do acne ou mesmo despoletar crises.

Um deles, realizado em células, sugere que o chocolate pode aumentar a severidade e frequência das crises, promovendo uma resposta imune mais agressiva a duas das bactérias causadoras de acne. No entanto, esta reação não foi confirmada em humanos.

Outro estudo utilizou cápsulas de cacau, gelatina ou uma combinação dos dois para determinar se o chocolate tinha impacto no acne de 14 indivíduos com história positiva de Acne vulgaris. Este estudo encontrou associação positiva entre a quantidade de cacau consumido e o aumento dos sintomas de acne.

Um estudo semelhante determinou que o consumo diário de 25 g de chocolate negro com 99% de cacau estava associado ao exacerbar de sintomas de acne em 25 indivíduos e as alterações permaneciam mesmo passadas 4 semanas do final da experiência. 

Por fim, um estudo realizado em estudantes com acne verificou que, após apenas 48 horas, aqueles que comeram chocolate apresentaram mais novas lesões do que aqueles que consumiram gomas.

2.

Os estudos que dizem que NÃO

Por outro lado, um estudo realizado em jovens adultos com idades entre os 18 e os 30 anos aos quais foi pedido um diário alimentar de três dias não encontrou ligação entre o consumo de chocolate e o acne.

São necessários mais estudos em maior escala de forma a confirmar os resultados e determinar quais os compostos no chocolate que podem promover um aumento do estado inflamatório e piorar os sintomas.

Um dos mecanismos propostos envolve o efeito do chocolate nos níveis de insulina. Um estudo de 2013 concluiu que os indivíduos que consumiram alimentos aromatizados com cacau em pó registaram uma resposta insulínica superior à dos que não consumiram cacau.

Outro estudo avaliou os níveis de insulina e glicose de 243 indivíduos com história de acne e 156 adultos saudáveis, determinando que existe uma correlação positiva entre o acne severo e a resistência à insulina.

Avaliação Vida Ativa: Impreciso

O problema dos estudos que associam o consumo de chocolates ao acne está no facto de haver outros ingredientes envolvidos no produto final – como leite e açúcar – que podem também ter um impacto no surgimento da doença.

Alguns dos primeiros estudos utilizaram barras de chocolate normais e versões do produto “controlo”, muitas vezes com muito mais açúcar do que as primeiras, metodologia inconsistente que levou a resultados um tanto contraditórios, contribuindo para manter o debate aceso.

O que sabemos sobre acne e dieta

Dar continuidade a um processo de perda de peso durante a quarentena: snacks salgados

Embora existam dados que reforcem a ideia de que o chocolate possa causar acne, os outros ingredientes contidos no produto final também podem ter um impacto no surgimento ou exacerbar de sintomas desta doença.

Um exemplo são os estudos que demonstram que o acne é menos comum em pessoas que não seguem um padrão alimentar ocidentalizado (rico em gordura saturada e hidratos de carbono refinados, pobre em ácidos gordos essenciais, fibras e antioxidantes) (9).

Um estudo analisou 1200 habitantes de ilhas na Nova Guiné e 115 caçadores-coletores do Paraguái e nenhum deles sofria de acne (10). Ambos os grupos de estudo tinham uma alimentação caracteristicamente de baixo índice glicémico, rica em peixe e frutas, não incluindo alimentos refinados como pão branco, bolachas, biscoitos e cereais de caixa açucarados.

Por fim, um estudo de 2017 sugere que uma dieta rica em hidratos de carbono e alimentos açucarados possa estar relacionada com o acne e a sua severidade.

Veja também

A não esquecer

A informação disponibilizada no Vida Ativa não substitui o diagnóstico, tratamento ou acompanhamento por um profissional de saúde ou do exercício físico. Os conteúdos do Vida Ativa são de carácter meramente informativo e estão em constante atualização. Caso queira reportar algum erro ou melhoria, por favor contacte-nos através do e-mail: sugestõ[email protected]