Psicóloga Ana Graça
Psicóloga Ana Graça
03 Ago, 2020 - 11:15

Baby blues: como enfrentar a melancolia pós-parto?

Psicóloga Ana Graça

Após o parto é comum surgir o baby blues, um período transitório em que a recém mãe sofre um grande conjunto de alterações do humor.

Mãe a sofrer com episódio de baby blues

As alterações do estado de ânimo da mãe no pós-parto têm vindo a merecer atenção crescente dado que podem comprometer o seu estado emocional, o processo da adaptação ao pós-parto e constituir fator de risco para o desenvolvimento de depressão. Neste artigo, vamos tentar compreender do que estamos a falar quando nos referimos a baby blues, bem como descobrir de que forma podemos enfrentar a melancolia pós-parto.

PÓS-PARTO: UMA FASE ESPECIALMENTE SENSÍVEL NA VIDA DE UMA MULHER

Bebé a dormir no colo da mãe

O nascimento de um filho dá início a uma nova fase na vida de uma mãe. O pós-parto é um período de enormes alterações (biológicas, psicológicas e sociais), o que o torna especialmente vulnerável para a ocorrência de transtornos psiquiátricos e emocionais, podendo afetar negativamente a interação da mãe com o bebé, amigos e/ou familiares.

Algumas das alterações emocionais mais sentidas pelas recém mães são:

  • Disforia e choro
  • Sentimentos de fragilidade
  • Sentimentos de incapacidade de prestar os cuidados ao bebé
  • Excessiva preocupação com a saúde, bem-estar e alimentação do bebé
  • Sentimentos de culpa
  • Ansiedade
  • Fadiga
  • Sofrimento psicológico (1)

AFINAL, O QUE SÃO OS TÃO FAMOSOS BABY BLUES?

Casal com bebé ao colo

A melancolia pós-parto, também conhecida como baby blues, é um período transitório, observada sobretudo nos primeiros dias após o parto, altura em que as recém mães tendem a apresentar choro fácil, sensibilidade exacerbada, irritabilidade, tristeza e, em muitos casos, uma inclinação à rejeição do marido, da família e do bebé (1, 2).

Esta sensação de melancolia aparece de forma repentina, habitualmente entre 3 e 5 dias após o parto, e é normalmente sentido como inesperada pela recém mães, que esperavam sentir-se imensamente felizes após o nascimento do seu bebé (2).

Pelo contrário, esta melancolia pós-parto/baby blues é perfeitamente comum e compreensível já que após o parto acontecem inúmeras tranformações, nomeadamente:

  1. Mudanças rápidas nos níveis hormonais (que descem a pique no pós-parto).
  2. Um parto esgotante, seguido de um regresso a casa fatigante.
  3. Exigentes cuidados com o recém-nascido, 24 horas por dia.
  4. Privação do sono.
  5. Dificuldades com a amanentação.
  6. Desagrado com a aparência física (2).

BABY BLUES: COMO ENFRENTAR A MELANCOLIA PÓS-PARTO?

Família a passear no parque

Habitualmente, a melancolia pós-parto, o chamado baby blues, tende a desvanecer com o passar das semanas e com a habituação à nova rotina. Para enfrentar este difícil período da melhor forma possível há que:

1.

Ajustar as expectativas

Sente-se assoberbada no novo papel de mãe? Sente que não consegue dar conta de tantas tarefas? Tente manter a calma, baixar a fasquia e ajustar expectativas. É perfeitamente normal e comum necessitar de algum tempo para processar tamanha mudança do dia-a-dia e aprender a desempenhar este novo papel. Lembre-se de que não há mães nem bebés perfeitos e tente fazer o melhor que lhe for possível.

2.

Sair de casa

Saia de casa. Seja sozinha, com amigas ou num passeio a sós com o bebé. O importante é que não permaneça todo o dia, todos os dias, fechada em casa.

3.

Dizer não à solidão

Não fique todo o dia, todos os dias, sozinha com um recém-nascido. Não tenha vergonha de pedir ou aceitar a ajuda que lhe é oferecida. A companhia e a ajuda são preciosas nesta fase tão desafiante.

4.

Cuidar de si

Pode parecer algo demasiado simples, mas pode fazer uma enorme diferença: arranje-se, vista-se, ponha-se bonita. Aproveite os momentos em que outros adultos podem cuidar do bebé para cuidar de si.

Para além do cuidado com a aparência, mime-se. Vá jantar fora com o seu marido ou alguém que seja uma ótima companhia, vá ao cinema ou escolha outra atividade de lazer de que goste muito. É certo que o bebé é a sua maior prioridade, mas não se esqueça de cuidar de si.

5.

Praticar atividade física

O tempo é curto e a vontade também não é muita, mas a prática de atividade física faz aumentar a produção de determinadas substâncias que a farão sentir-se mais bem-disposta, durante mais tempo. Seja uma aula de ginástica pós-parto, seja uma pequena caminhada, tudo é válido.

6.

Alimentar-se corretamente

Parece óbvio, mas nem sempre é. As recém-mães, sempre demasiado ocupadas, esquecem-se muitas vezes da sua própria alimentação. Contudo, importa salientar que níveis demasiado baixos de açúcar no sangue limitam a energia e a boa disposição. Há que ter sempre à mão opções nutritivas e fáceis de consumir.

7.

Expressar os sentimentos

Se apetece chorar, chore. Mas de seguida procure fazer alguma atividade divertida (por exemplo, ver um episódio de uma série cómica) ou tente recordar com humor as peripécias que tem vivido ultimamente (por exemplo, aquela fralda que não conteve tudo o que devia) (2).

CONCLUSÃO

Importa relembrar que os baby blues tratam-se um período de melancolia, tristeza e ansiedade transitório, que afeta a esmagadora maioria das recém mães. Todavia, quando este período se prolonga no tempo, os sintomas se agravam e interferem gravemente na rotina diária. Importa procurar ajuda médica pois pode estar presente uma situação de depressão pós-parto, que requer ajuda especializada.

Fontes

  1. Semedo, C. (2019). Estado de ânimo da mãe de criança no pós-parto e puerpério. Disponível em: https://bibliotecadigital.ipb.pt/bitstream/10198/19867/1/pauta-relatorio-11.pdf
  2. Murkoff, H., Mazel, S. (2017). O que esperar quando está à espera de bebé. 1ª edição. Casa das Letras.
Veja também