Psicóloga Ana Graça
Psicóloga Ana Graça
06 Mar, 2018 - 17:48

A importância das atividades extracurriculares para as crianças

Psicóloga Ana Graça

De certeza que já alguma vez pensou se as atividades extracurriculares trazem ou não benefícios aos seus filhos. Neste artigo vamos tentar esclarecer, de forma clara, se estas atividades tão comuns nestas faixas etárias contribuem ou não para um bom desenvolvimento e elevado bem-estar nas crianças e nos adolescentes. Veja.

A importância das atividades extracurriculares para as crianças
O artigo continua após o anúncio

O desenvolvimento das sociedades depende, em grande parte, da capacidade para formar as suas crianças e jovens, para que sejam adultos habilitados, competentes e responsáveis.

Neste artigo vamos perceber como as atividades extracurriculares podem ser um contexto privilegiado, onde o desenvolvimento positivo de crianças e adolescentes pode ser potenciado.

Atividades extracurriculares: o que são?

atividades extracurriculares

As atividades extracurriculares são um conjunto de experiências de que as crianças usufruem informalmente. São atividades realizadas sem carácter obrigatório, constituindo um currículo paralelo ao currículo escolar obrigatório.

De forma geral, contribuem para uma melhor saúde física e mental, domínio de novas competências e experiência de novas atividades fora da sala de aula, no entanto, também lhes são apontadas algumas críticas.

A sobrecarga de atividades extracurriculares, associada à excessiva exigência de alguns pais, pode ser prejudicial às crianças. É importante que as crianças continuem a ter tempo disponível para se dedicarem às tarefas escolares e às atividades em família.

É igualmente importante que as crianças partilhem a decisão de escolha das atividades extracurriculares em que participam.

12 Benefícios das atividades extracurriculares!

atividades na escola

São vários os estudos que apontam inúmeros benefícios à frequência de atividades extracurriculares por parte das crianças:

  1. Estabelecer redes sociais de apoio: onde os seus valores pessoais são influenciados; onde as relações com pares proporcionam um sentido de pertença e de identidade própria; onde é possível experimentar diferentes papéis sociais associados ao grupo; oportunidade para desenvolver mais e melhores amizades; a interação com outros jovens favorece o estabelecimento de comportamentos pró-sociais;
  2. Interagir com adultos competentes: a resiliência e a identidade podem ser melhoradas através da interação com figuras não parentais competentes; a interação com essas figuras de referência facilita a aquisição de conhecimentos e competências, proporciona desafios aos mais novos e servem como modelos;
  3. Promover capacidades próprias: as crianças escolhem, habitualmente, atividades do seu interesse, de acordo com as suas preferências pessoais; essas atividades constituem uma oportunidade para expressar talentos e aprender a dominar competências complexas; oportunidade para desenvolver importantes competências: iniciativa; gestão do tempo; regulação emocional;
  4. Desenvolver o sentido de competência: o sucesso nestas atividades mostra à criança que tem talento e inúmeras capacidades em áreas distintas; oportunidade para desenvolver competências físicas e de hábitos saudáveis;
  5. Criar um autoconceito social e académico mais positivo, bem como maior valorização pessoal: melhor ajustamento psicológico e comportamental; nível mais elevado de resiliência pessoal e educacional; maior satisfação pessoal; maior ajustamento emocional; maior autoestima;
  6. Menores níveis de ansiedade: bem como menor probabilidade de desenvolver depressão;
  7. Reduzir os problemas de comportamento: nomeadamente comportamentos de risco (consumo de drogas) e níveis de delinquência; menos comportamentos de agressividade; quanto mais tempo as crianças e adolescentes despendem a praticar atividades extracurriculares, menos tempo sobra para serem aliciados por comportamentos problemáticos;
  8. Maiores níveis de empenho, mais e melhor sucesso e desempenho escolar;
  9. Maiores aspirações educacionais e ocupacionais: aumento do interesse das crianças em relação à escola;
  10. Promover outros tipos de desenvolvimento que não apenas o cognitivo;
  11. Aumentar o sentido de responsabilidade, através da capacidade para assumir compromissos, nomeadamente assiduidade e pontualidade: os horários regulares, a orientação de um adulto, ênfase no desenvolvimento de competências, a atenção que requer o envolvimento na atividade, as oportunidades e o feedback contribuem para o desenvolvimento positivo dos jovens; reforçar a capacidade de definição de metas pessoais e desenvolver esforços para o alcance das mesmas;
  12. Melhorar competências de uma forma lúdica.

Em suma

A participação em atividades extracurriculares, tais como desporto, artes, oficinas, entre outras, podem proporcionar oportunidades diversas para o crescimento e desenvolvimento das crianças e adolescentes.

Quando crianças e adolescentes se envolvem em atividades extracurriculares, genuinamente motivados, treinam a sua capacidade de esforço, persistência e concentração, bem como explorar a sua identidade.

O artigo continua após o anúncio

Mais ainda, quando em grupo, permitem adquirir mais e melhores competências de relacionamento social, trabalho em equipa, aceitação perante a diversidade, espirito de equipa e colaboração.

Veja também: