Nutricionista Hugo Canelas
Nutricionista Hugo Canelas
24 Jan, 2020 - 15:25

Alimentos que comprovadamente reduzem o risco de cancro

Nutricionista Hugo Canelas

Muitos alimentos que reduzem o risco de cancro, devem-no aos seus componentes, que são muitas vezes protetores em relação a alguns tipos de cancro.

Alimentos que reduzem o risco de cancro: alguns exemplos
O artigo continua após o anúncio

Existem alimentos que reduzem o risco de cancro e a ciência comprova-o. Tudo aquilo que se consome pode afetar drasticamente muitos aspectos relacionados com a saúde, incluindo o risco de desenvolver doenças crónicas, como doenças cardiovasculares, diabetes e cancro.

O desenvolvimento do cancro é particularmente influenciado pela alimentação, seja para o lado benéfico como para o lado prejudicial.

Mas da mesma forma que a alimentação pode influenciar o desenvolvimento do cancro e potenciar o seu aparecimento, também pode ser uma ajuda para reduzir o risco através de compostos benéficos que deles fazem parte.

Neste artigo vai encontrar alimentos que estão relacionados com a diminuição do risco de cancro e com a respetiva explicação.

12 Alimentos que reduzem o risco de cancro

De acordo com a evidência científica, é possível reduzir o risco de cancro adotando comportamentos saudáveis de alimentação e atividade física.

Vários estudos mostram que uma maior ingestão de determinados alimentos pode estar associada a um menor risco da doença, nomeadamente desenvolvimento do cancro.

Desta lista de alimentos que reduzem o risco de cancro fazem parte:

1.

Feijão

Alimentos que podem ajudar no tratamento das hemorroidas

O feijão, assim como as restantes leguminosas, é rico em fibras, estando este componente associado a um menor risco de cancro coloretal (123).

  • Cancro coloretal: um estudo realizado em mais de 1900 pessoas com história de tumor coloretal concluiu que o risco de reincidência de cancro era 65% inferior para aqueles que consumiam feijão (4)
2.

Açafrão

Alimentos para atenuar as dores menstruais: existem ou não?

O açafrão é uma especiaria com algumas propriedades interessantes. A curcumina, o ingrediente ativo, é um fitoquímico com ação anti-inflamatória, antioxidante e anticarcinogénica.

O artigo continua após o anúncio
  • Cancro coloretal: um estudo com 44 doentes que apresentavam lesões no colon com possível progressão para maglinidade concluiu que, após 30 dias de suplementação com 4 g de curcumina, o número de lesões tinha reduzido em 40% (5)

Embora não sejam estudos em humanos vale a pena referir que, em células in vitro, a curcumina reduziu o ritmo de crescimento de células cancerígenas no pulmão, mama, próstata, cabeça e pescoço (6, 789).

3.

Linhaça

Alimentos que reduzem o risco de cancro: linhaça

Para além do elevado conteúdo em fibra, a linhaça é ainda rica em ácidos gordos essenciais ómega-3. Estes dois componentes podem estar envolvidos na diminuição do risco de cancro através da inibição do crescimento das células cancerígenas.

  • Cancro da mama: ao final de 1 mês, 32 mulheres suplementadas com um muffin de linhaça por dia apresentavam menores níveis de marcados de crescimento tumoral assim como um aumento nos marcadores de apoptose (morte) de células cancerígenas (10).
  • Cancro da próstata: um estudo envolvendo 161 homens com diagnóstico de cancro da próstata suplementados sementes de linhaça concluiu que 30 g deste alimento po dia ajudava na redução e taxa de replicação das células tumorais (11)

Para além disso, e tal como as leguminosas, a linhaça é rica em fibrab que pode ter uma ação protetora no que diz respeito ao cancro coloretal (124).

4.

Peixe gordo

O que comer depois do treino?

Embora sejam necessários mais estudos de forma a avaliar se o consumo de peixe gordo pode influenciar diretamente o risco de cancro em humanos, têm sido feitos vários avanços nesse sentido. Peixes como salmão, cavala e anchovas são importantes fontes de vitamina D e de ómega-3, dois compostos com um papel importante no risco de cancro (12).

  • Cancro no trato gastrointestinal: um estudo bastante extenso analisou o impacto do consumo de peixe gordo em vários tipos de cancro, concluindo que havia associação entre o consumo de peixe gordo e o risco de carcinoma do trato digestivo, mais propriamente da cabeça e pescoço, esófago, estômago, cólon, reto e pâncreas (13)
  • Cancro coloretal: o EPIC, um estudo multicêntrico bastante importante realizado em quase meio milhão de adultos concluiu que o consumo de peixe gordo está associado a um menor risco de cancro coloretal (14)
5.

Cenouras

As cenouras estão relacionados com a diminuição do risco de vários tipos de cancro.

Alimentos que reduzem o risco de cancro: cenouras
  • Cancro do estômago: uma meta-análise analisou os resultados obtidos de 5 estudos observacionais e mostrou que o consumo de cenouras está associado à diminuição do risco de cancro gástrico. Além disso, os resultados deste estudo mostraram que o consumo de cenoura poderia reduzir o risco de cancro gástrico até 26%
  • Cancro da próstata: um outro estudo descobriu que uma maior ingestão de cenouras estava associada a uma diminuição do risco de desenvolver este cancro em 18%
  • Cancro do pulmão: Um estudo analisou a alimentação de 1266 participantes com e sem cancro do pulmão. Chegou-se à conclusão que os fumadores atuais que não consomem cenouras apresentam um risco três vezes maior de desenvolver este tipo de cancro, em comparação com aqueles que consumem cenoura mais de uma vez por semana
6.

Bagas

Alimentos que reduzem o risco de cancro: bagas

As bagas são ricas em antocianinas, uma substância vegetal que dá cor aos frutos e que possui propriedades antioxidantes. Mas também está associada à diminuição de alguns tipos de cancro.

  • Cancro colo-retal: num estudo realizado em humanos, 25 pessoas com cancro colo-retal foram tratadas com um extrato de mirtilo durante sete dias, o que reduziu o crescimento de células cancerígenas em cerca de 7%
  • Cancro na boca: foram dadas framboesas pretas liofilizadas a pacientes com cancro na boca. No final do estudo, concluiu-se que que os níveis de determinados marcadores associados á progressão do cancro sofreram uma diminuição.
7.

Tomate

Alimentos que reduzem o risco de cancro: tomate

O tomate contém uma substância chamada licopeno, que é um composto responsável pela cor vermelha, bem como suas propriedades anti-cancerígenas.

Vários estudos descobriram que um aumento da ingestão de licopeno presente no tomate pode levar a uma redução do risco de cancro da próstata:

O artigo continua após o anúncio
  • Uma revisão de 17 estudos descobriu que uma maior ingestão de tomates crus, tomates cozidos e licopeno estava associada a um risco reduzido de cancro da próstata
  • Um estudo que acompanhou 47365 homens ao longo de 6 anos descobriu que uma maior ingestão de molho de tomate, em particular, estava ligada a um menor risco de desenvolver cancro da próstata
8.

Alho

Tratamento da candidíase: medicação para os vários tipos e remédios caseiros

Vários estudos descobriram uma associação entre a ingestão de alho e um menor risco de certos tipos de cancro.

  • Cancro do estômago: uma meta análise que acompanhou 543.220 participantes ao longo de 44 anos, descobriu que aqueles que comiam mais alimentos como alho, cebola, cebolinha e alho francês, tinham um risco menor de cancro do estômago do que aqueles que raramente consumiam estes alimentos
  • Cancro da próstata: um estudo com 471 homens mostrou que uma maior ingestão de alho estava associada a um risco reduzido de cancro da próstata
9.

Azeite

alimentos para engordar azeite

O azeite é uma das melhores gorduras e ainda um dos alimentos que reduzem o risco de cancro. Não é por acaso que é um dos alimentos base da dieta mediterrânea.

Vários estudos descobriram que uma maior ingestão de azeite pode ajudar a proteger contra o cancro.

  • Cancro da mama e cancro do sistema digestivo: uma revisão feita a 19 estudos mostrou que pessoas que consumiram a maior quantidade de azeite tiveram menor risco de desenvolver estes cancros do que aquelas com uma ingestão inferior
  • Cancro colo-retal: um estudo analisou as taxas de cancro em 28 países em todo o mundo e descobriu que os locais onde existe um maior consumo de azeite são as que possuem também menor taxa de colo-retal
10.

Frutos secos

variedade de frutos secos

Ter o hábito de comer nozes pode estar associado a um menor risco de certos tipos de cancro.

  • Cancro colo-retal, pancreático e do endométrio: um estudo acompanhou 30.708 participantes durante um máximo de 30 anos e descobriu que a ingestão regular de frutos secos estava associada a uma diminuição do risco de desenvolvimento destes cancros
11.

Citrinos

Alimentos que reduzem o risco de cancro: citrinos

A ingestão de limões, limas, toranjas e laranjas, também está associada a um risco menor de cancro, tal como demonstram alguns estudos.

  • Cancro do aparelho digestivo e trato respiratório superior: um grande estudo que analisou vários tipos de cancro, descobriu que os participantes que ingeriam uma quantidade maior de frutas cítricas tinham um risco menor de desenvolver estes cancros
  • Cancro do pâncreas: uma revisão que analisou nove estudos também descobriu que uma maior ingestão de frutas cítricas estava associada a um risco reduzido de câncer de pâncreas
  • Cancro do estomago: uma revisão de 14 estudos mostrou que ingerir pelo menos três porções por semana de citrinos, pode reduzir o risco de cancro do estômago em 28%
12.

Leite

Alimentos para dormir bem: o papel da melatonina

A ingestão de leite é um dos temas mais controversos da nutrição. Mas existem evidências cientificas que mostram que o consumo de leite apresenta um efeito protector em alguns tipos de cancro.

  • Cancro colo-retal: numa meta análise que incluiu 19 estudos sobre o consumo de leite e produtos lácteos e o risco de desenvolver cancro colo-retal, mostrou que o leite está associado a uma redução no risco deste tipo de cancro
  • Cancro da bexiga: numa recente revisão sistemática, os autores concluíram que o consumo de leite estava associado a um risco reduzido de cancro da bexiga

Em Suma

Como o avanço da ciência, começam a surgir cada vez mais evidências do papel que a alimentação desempenha na saúde.

Aposte numa dieta rica em alimentos integrais, adote um estilo de vida saudável e a sua saúde vai sair beneficiada em muitos aspetos.

O artigo continua após o anúncio

Fontes

  1. Yao, Y., et.al. (2017). Dietary fibre for the prevention of recurrent colorectal adenomas and carcinomas. Disponível em: https://sci-hub.se/https://ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/28064440
  2. Murphy, N., et.al. (2012). Dietary Fibre Intake and Risks of Cancers of the Colon and Rectum in the European Prospective Investigation into Cancer and Nutrition (EPIC). Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/22761771
  3. Kunzmann, A. T., et.al. (2015). Dietary fiber intake and risk of colorectal cancer and incident and recurrent adenoma in the Prostate, Lung, Colorectal, and Ovarian Cancer Screening Trial.  Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4588743/
  4. Lanza, E., Hartman, et.al. (2006). High Dry Bean Intake and Reduced Risk of Advanced Colorectal Adenoma Recurrence among Participants in the Polyp Prevention Trial. Disponível em: https://scihub.se/https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC1713264/
  5. Carroll, R. E., et.al. (2011). Phase IIa Clinical Trial of Curcumin for the Prevention of Colorectal Neoplasia. Disponível em:  https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/21372035
  6. Amin, A. R. M. R., et.al. (2015). Curcumin Induces Apoptosis of Upper Aerodigestive Tract Cancer Cells by Targeting Multiple Pathways.  Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25910231
  7. Tsai, J.-R., et.al. (2015). Curcumin Inhibits Non-Small Cell Lung Cancer Cells Metastasis through the Adiponectin/NF-κb/MMPs Signaling Pathway.  Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/26656720
  8. Hua, W.-F et.al. (2010). Curcumin induces down-regulation of EZH2 expression through the MAPK pathway in MDA-MB-435 human breast cancer cells.  Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/20385124/
  9. Dorai, T., et.al. (2001). Therapeutic potential of curcumin in human prostate cancer. III. Curcumin inhibits proliferation, induces apoptosis, and inhibits angiogenesis of LNCaP prostate cancer cells in vivo.  Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/11398177
  10. Thompson, L. U. (2005). Dietary Flaxseed Alters Tumor Biological Markers in Postmenopausal Breast Cancer.  Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/15897583
  11. Demark-Wahnefried, W., et.al. (2008). Flaxseed Supplementation (Not Dietary Fat Restriction) Reduces Prostate Cancer Proliferation Rates in Men Presurgery. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/19064574
  12. Garland, C. F., et.al. (2006). The Role of Vitamin D in Cancer Prevention.  Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC1470481/
  13. Fernandez, E., et.al. (1999). Fish consumption and cancer risk.  Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/10393143
  14. Norat, T., et.al. (2005). Meat, Fish, and Colorectal Cancer Risk: The European Prospective Investigation into Cancer and Nutrition. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC1913932/
Veja também